O SIGNIFICADO HISTÓRICO DE PRÁTICAS EDUCATIVAS: UM MOVIMENTO QUE VAI DO CLÁSSICO AO CONTEMPORÂNEO

Autores

  • ELIANA DE SOUSA ALENCAR MARQUES Universidade Federal do Piauí
  • MARIA VILANI COSME DE CARVALHO Universidade Federal do Piauí

Palavras-chave:

Práticas educativas, Significado histórico, Educação

Resumo

O objetivo do texto é apresentar reflexões teóricas que ajudem a esclarecer o processo de constituição das práticas educativas como fenômeno histórico. A análise assenta-se na assertiva teórica de que todo fenômeno tem uma história e, portanto, a compreensão do fenômeno práticas educativas envolve recuperar sua história, o que significa voltar à sua gênese. A pesquisa bibliográfica foi parte constitutiva do percurso de realização de tese de doutoramento que tinha como objetivo investigar as mediações constitutivas de práticas educativas bem-sucedidas. A pesquisa bibliográfica partiu de referenciais teóricos que esclareceram sobre a constituição desse fenômeno desde a educação clássica à educação contemporânea. Dentre elas foram consultadas Rousseau (1999), Dewey (1979), Espinosa (2008; 2007), Freire (2011; 2005), Jaeger (2010), Saviani (1997; 2007); Cambi (1999), Morin (2009; 2003), dentre outros. A investigação apontou como resultados que o significado que hoje se atribui às práticas educativas certamente carrega as marcas do tempo atual, das ações humanas atuais, mas contém também vestígios do passado, tendo em vista que a existência de nova realidade não significa o desaparecimento da anterior, mas a sua transformação. Destarte, a pesquisa evidencia que não se pode esquecer que as práticas educativas aparecem como problemática profundamente inserida nos contextos em que surgem e se desenvolvem, expressando os movimentos contraditórios que emergem do processo de lutas e interesses, muitas vezes, antagônicos. Portanto, não faz nenhum sentido analisá-las abstratamente, pois se trata de uma dimensão da vida humana que, como tal, se transforma historicamente, acompanhando-se e articulando-se às transformações do modo como esses homens produzem sua existência.

Biografia do Autor

ELIANA DE SOUSA ALENCAR MARQUES, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Educação Universidade Federal do Piauí. 

MARIA VILANI COSME DE CARVALHO, Universidade Federal do Piauí

Doutora em Educação Universidade Federal do Piauí.

Referências

ARANHA, M. L. de A. Filosofia da educação. São Paulo: Moderna, 2006.

CAMBI, F. História da educação. São Paulo: Ed. UNESP (FEU), 1999.

COSTA-PINTO, A. B.; RODRIGUES, L. Reflexões sobre a educação em Espinosa: a experiência do encontro como segundo nascimento. Filosofia e Educação, Campinas, v. 5, n. 1, p. 111-129, abr./set. 2013. Disponível em: <https://www.fe.unicamp.br/revistas/ged/index.php/rfe/article/view/4390/3836>. Acesso em: 12 jun. 2013.

DUARTE, N. Vigotski e o “aprender a aprender”: crítica às apropriações neoliberais e pós-modernas da teoria vigotskiana. Campinas, SP: Autores Associados, 2004.

DEWEY, J. Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. 4. ed. Tradução de Godofredo Rangel; Anísio Teixeira. São Paulo: Nacional, 1979.

ESPINOSA, B. de. Ética. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 39. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

JAEGER, W. Paideia: a formação do homem grego. São Paulo: WMF; Martins Fontes, 2010.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa, PT: Horizonte Universitário, 1978.

LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora?: novas exigências educacionais a profissão docente. São Paulo: Cortez, 2009.

MANACORDA, M. A. Marx e a Pedagogia moderna. Campinas, SP: Alínea, 2010.

MERÇON, J. O desejo como essência da educação. Filosofia e Educação, Campinas, v. 5, n. 1, p. 25- 51,abr./set. 2013. Disponível em <https://www.fe.unicamp.br/revistas/ged/rfe/article/ view/3630/3812>. Acesso em: 23 out.2013.

MORIN, E. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem pelo erro e incerteza humana. São Paulo: Cortez; Brasília, DF: UNESCO, 2003.

______. A cabeça bem feita: repensar a reforma e reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,2009.

______. O conhecimento do conhecimento. Porto Alegre: Sulina, 2008.

ROUSSEAU, J.-J. Emilio, ou da educação. São Paulo: Martins fontes, 1999.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 1997.

______. Trabalho e educação: fundamentos ontológicos e históricos. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 12, n. 34, p. 152-165, abr. 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v12n34/a12v1234.pdf>. Acesso em: 12 jun. 2013.

Downloads

Publicado

2016-08-10

Como Citar

DE SOUSA ALENCAR MARQUES, E. ., & COSME DE CARVALHO, M. V. . (2016). O SIGNIFICADO HISTÓRICO DE PRÁTICAS EDUCATIVAS: UM MOVIMENTO QUE VAI DO CLÁSSICO AO CONTEMPORÂNEO. Linguagens, Educação E Sociedade, (35), 122-143. Recuperado de https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/1239

Edição

Seção

Artigos