IMPACTOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA COM JOGOS DIGITAIS PARA O ENSINO DE MÚSICA: UM ESTUDO COLABORATIVO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v28i56.4967

Palavras-chave:

Ensino Fundamental, Educação Musical, Pesquisa Colaborativa, Lei nº 13.278/16

Resumo

A promulgação da Lei nº 13.278/16, que estabelece a obrigatoriedade dos conteúdos de música, artes visuais, teatro e dança na educação básica, juntamente com a crescente necessidade de formação docente, serviram de motivação para a pesquisa sobre o emprego de jogos digitais na formação continuada de docentes de música. Portanto, este estudo tem como objetivo investigar os impactos da formação continuada de um docente de música do Ensino Fundamental por meio da utilização de jogos digitais como ferramenta educacional. Para tanto, foi realizado um estudo qualitativo por meio de uma pesquisa colaborativa que envolveu a colaboração entre pesquisadores e um docente de música do ensino fundamental. A coleta de dados incluiu análise documental, observações, entrevistas e questionários. A análise textual discursiva (ATD) foi aplicada para examinar textos discursivos coletados. A análise dos dados revelou que a formação continuada de docentes por meio de jogos digitais foi validada, uma vez que promoveu o entusiasmo do docente e engajamento dos estudantes. Os resultados também apontaram para a importância do planejamento e reflexão no uso de jogos digitais e destacaram a colaboração entre pesquisadores e docentes. Esperamos que a estratégia pedagógica investigada neste estudo, com base na pesquisa colaborativa, apresente um enfoque pedagógico alternativo para o contexto da educação musical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Beatriz de Oliveira Ogata, Universidade do Oeste Paulista

Cantora, Professora e Empresária. Mestre em Educação pela Universidade do Oeste Paulista. Possui graduação em Licenciatura em Música (2016) e Especialização em Arte na Educação (2017) pela mesma instituição. Atualmente é Sócia e Professora do Espaço Musical e Produtora Duas Muié Produções. Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Música, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação, Música e Tecnologias Digitais.

Sidinei de Oliveira Sousa, Universidade do Oeste Paulista

Bacharel em Sistemas de Informação pela Universidade do Oeste Paulista (2005). Licenciado em Informática pelo Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza (2008). Mestre em Educação pela Universidade Estadual Paulista - UNESP (2010). Doutor em Educação pela Universidade Estadual Paulista - UNESP (2015). Atualmente é professor no Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza e na Faculdade de Informática de Presidente Prudente FIPP/UNOESTE. Lotado no programa de Mestrado e Doutorado em Educação da UNOESTE como Professor Permanente. Integrante dos grupos de pesquisa: Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação, Currículo e Tecnologias (vice-líder) e Grupo de Pesquisa em Educação e Tecnologias para EAD (participante). Atua nas linhas de pesquisa de Metodologias ativas em processos educativos na perspectiva deweyana; Utilização de Serious Games e Gamificação na educação; Blended Learning com foco na sala de aula invertida; Estratégias Ativas de aprendizagem com apoio das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC).

Vinícius Fagundes Vargas, Universidade do Oeste Paulista

Possui graduação em Sistemas de Informação pela Faculdade de Presidente Prudente (2015), Pós-graduação "Lato-Sensu" em Docência do Ensino Superior (2020) e Pós-graduação "Lato-Sensu" em Administração pela Universidade do Oeste Paulista (2021). Atualmente é Professor de ensino médio e técnico e Coordenador de Curso do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza. Professor de Pensamento Computacional do Colégio Maximus em Santo Anastácio. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Ciência da Computação. É Mestrando em Educação na Universidade do Oeste Paulista.

Referências

ALVARENGA, V. M.; SILVA, M. C. R. F. Formação Docente em Arte: percurso e expectativas a partir da lei 13.278/16. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 43, n. 3, p. 1009-1030, set. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2175-62362018000301009&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 28 mai. 2020.

ALVES-MAZZOTI, A. J.; GEWANDSZNAJDER, F. O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa, São Paulo: Pioneira, 1999.

BALOGH JÚNIOR, C. H. P. O Uso dos Games Digitais para a Educação Musical no Ensino Fundamental I. 2019. 115f. Dissertação (Mestrado Profissional Gestão e Tecnologias Aplicadas à Educação) – Universidade do Estado da Bahia, Salvador, 2019.

BARBOSA, A. M. Inquietações e Mudanças no Ensino da Arte. São Paulo: Cortez, 2002.

BORGES, Adilson de Souza; RICHIT, Adriana. TECNOLOGIAS DIGITAIS NA APRENDIZAGEM MUSICAL: O QUE DIZEM AS PESQUISAS. Linguagens, Educação e Sociedade, [S. l.], v. 26, n. 51, p. 61-94, 2022. DOI: 10.26694/rles.v26i51.2905. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2905. Acesso em: 5 dez. 2023.

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. 2. ed. São Paulo: Parábola, 2011.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Educação é a Base. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_publicacao.pdf. Acesso em: 20 ago. 2022.

BRASIL. Lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm>. Acesso em: 20 ago. 2022.

BRASIL. Lei n.º 11.769, de 18 de agosto de 2008. Altera a LDB nº 9.394/96, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica. Diário Oficial da União, Brasília, 2008. Disponível em: <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11769.htm>. Acesso em: 20 ago. 2022.

BRASIL. Lei n.º 13.278, de 2 de maio de 2016. Altera o § 6o do artigo 26 da Lei no 9.394/96, referente ao ensino da arte. Diário Oficial da União, Brasília, 2016. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2016/Lei/L13278.htm>. Acesso em: 20 ago. 2022.

BRASIL DE TUHU. O sonho coletivo de musicalizar o Brasil. 2020. Disponível em: http://brasildetuhu.com.br/biblioteca/aplicativo-tuhu-musical/. Acesso em 25 mar. 2020.

COSTA, Lucian José de Souza Costa e. Formação continuada de professores de música: uma proposta de ensino-aprendizagem por intermédio da pesquisa e prática docente. Orientador: Áureo Deo de Freitas Junior. 2023. 318 f. Tese (Doutorado em Artes) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Ciências da Arte, Belém, 2023. Disponível em:https://repositorio.ufpa.br/jspui/handle/2011/15649. Acesso em: 10 out. 2023.

COSTA; Lucian José de Souza Costa e; DE FREITAS JÚNIOR, Áureo Déo. Impactos da pandemia na formação continuada de professores de Artes/Música. In: Anais do XXXI Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação, 2021, João Pessoa, ANPPOM, 2021. p.1-8.

DE SÁ, Lanuzia Tércia Freire; HENRIQUE, Ana Lúcia Sarmento. A TRIANGULAÇÃO NA PESQUISA CIENTÍFICA EM EDUCAÇÃO. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 15, n. 36, p. 645-660, 2019. DOI: 10.22481/praxisedu.v15i36.5941. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5941. Acesso em: 10 out. 2022.

DINIZ-PEREIRA, J. E. O Ovo ou a Galinha: a crise da profissão docente e a aparente falta de perspectiva para a educação brasileira. Revista Brasileira Estudos da Pedagogia, Brasília, v. 92, n. 230, p. 34-51, jan.-abr. 2011.

FARIA, L. C. F. Da Sala de Estar à Sala de Aula: Educação Musical por Meio de Jogos Eletrônicos. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente, 2014.

FONTERRADA, M. T. De tramas e fios: um ensaio sobre música e educação. 2. ed. São Paulo: UNESP, 2008.

FREITAS, Victor; MORAIS, Alana. Ensino de Música apoiado pelo uso de serious games: revisão sistemática sobre o panorama de publicações nacionais e internacionais. Brazilian Symposium on Computers in Education (Simpósio Brasileiro de Informática na Educação - SBIE), 30(1), 833. 2019. Disponível em: http://milanesa.ime.usp.br/rbie/index.php/sbie/article/view/8811. Acesso em: 4 dez. 2023.

GARCIA, V. F.; GAVA, F. G.; ROCHA, M. T. L. G.; Pesquisa colaborativa em educação. Ensaios Pedagógicos, v. 2, n. 1, p. 73-80, 2018.

GASPAROTTO, D. M.; MENEGASSI, R. J. Aspectos da pesquisa colaborativa na formação docente. Perspectiva, Florianópolis, v. 34, n. 3, p. 948-973, fev. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/2175-795X.2016v34n3p948. Acesso em: 26 jun. 2020.

GONZÁLEZ, Fredy Enrique. Reflexões sobre alguns conceitos da pesquisa qualitativa. Revista Pesquisa Qualitativa, 8(17), 155–183. 2020. https://doi.org/10.33361/RPQ.2020.v.8.n.17.322. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/322. Acesso em: 10 fev. 2023.

GUAZI, Taísa Scarpin. Diretrizes para o uso de entrevistas semiestruturadas em investigações científicas. Revista Educação, Pesquisa e Inclusão, [S. l.], v. 2, 2021. Disponível em: https://revista.ufrr.br/repi/article/view/e202114. Acesso em: 4 dez. 2023.

IBIAPINA, Ivana Maria Lopes de Melo. Pesquisa Colaborativa: Investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber Livro, 2008.

LIBÂNEO, J. C. Organização e gestão da escola: teoria e prática. 4. ed. Goiânia: Editora alternativa, 2001.

MIZUKAMI, M G. N. Formação continuada e complexidade da docência: o lugar da universidade. In: XVI ENDIPE, 16., 2008. Porto Alegre. Anais [...]. Porto Alegre: PUC, 2008.

MORAES, Roque; GALIAZZI, Maria do C. ANÁLISE TEXTUAL DISCURSIVA: PROCESSO RECONSTRUTIVO DE MÚLTIPLAS FACES. Ciência e Educação (Bauru), Bauru, v. 12, n. 1, p. 117 - 128, 2006 . Disponível em: https://www.scielo.br/j/ciedu/a/wvLhSxkz3JRgv3mcXHBWSXB/?lang=pt. Acesso em: 12 maio 2020.

MORAN, José. Manuel. Ensino e Aprendizagem Inovadores com Apoio de Tecnologias. In: MORAN, J. M. ; MASETTO, M. T. ; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 21.ed. Campinas: Papirus, 2014.

NUNES, A. L. R. O Ensino de Arte na Educação Básica. In: XVII CONGRESSO NACIONAL DA FEDERAÇÃO DOS ARTE/EDUCADORES DO BRASIL. VI COLÓQUIO SOBRE O ENSINO DE ARTE, 17., 2007. Florianópolis. Anais [...]. Florianópolis, 2007. (CD-ROOM).

OLIVEIRA, Mateus Souza. Possibilidades formativas para a prática reflexiva. In: KOCHHANN, A.; SOUZA, J. O. (Orgs.). Reflexões teóricas o Ensino e a Educação. Campina Grande: Licuri, 2023, p. 90-103. Disponível em: https://editoralicuri.com.br/index.php/ojs/article/view/80. Acesso em: 17 out. 2023.

PENNA, M. O dito e o feito: política educacional e arte no ensino médio. João Pessoa: Manufatura, 2003.

PRENSKY, Marc. Digital natives, digital immigrants. On the Horizon, v. 9, n. 5. MCB University Press. out. 2005. Disponível em: https://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf. Acesso em: 02 out. 2019.

QUEIROZ, L. R. S.; MARINHO, V. M. Educação musical nas escolas de educação básica: caminhos possíveis para a atuação de professores não especialistas. Revista da ABEM, Porto Alegre, v. 17, p. 69-76, set. 2007.

QUISSANGA, F. Caracterización de sistemas operacionales móviles celular: Android, Symbian, iphone y Windows phone. Project Design and Management, v. 1, n. 2, p. 75-88, 2019. Disponível em: https://www.mlsjournals.com/Project-Design-Management/article/view/200/647. Acesso em: 19 jun. 2020.

SAVIANI, Dermeval. Escola e Democracia. Campinas/SP: Autores Associados, 2002.

SAVIANI, Dermeval. Política educacional brasileira: limites e perspectivas. Revista de Educação PUC-Campinas, [S. l.], n. 24, 2012. Disponível em: https://periodicos.puc-campinas.edu.br/reveducacao/article/view/108. Acesso em: 18 ago. 2021.

SOUSA FILHO, Francisco Gonçalves de; MENEZES, Eliziete Nascimento de. A formação continuada em tempos de pandemia de Covid-19. Ensino em Perspectivas, [S. l.], v. 2, n. 4, p. 1–10, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/ensinoemperspectivas/article/view/6459. Acesso em: 12 ago. 2023.

SOUZA, Paulo Vitor Souza de; FREIRE, Fátima de Souza. Observação como técnica de pesquisa qualitativa: panorama em periódicos brasileiros. Revista Ciências Sociais em Perspectiva, [S. l.], v. 22, n. 42, p. 43–64, 2023. Disponível em: https://e-revista.unioeste.br/index.php/ccsaemperspectiva/article/view/30627. Acesso em: 5 dez. 2023.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2012.

TEIXEIRA, Beatriz Taveira de Moura. O professor reflexivo em tempos de pandemia e o ensino de música online - Boa Vista, 2021, Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Roraima. Boa Vista, 2021. Disponível em: https://www.uerr.edu.br/ppge/wp-content/uploads/2023/05/2020-DISSERTACAO-BEATRIZ-versao-final.pdf. Acesso em: 21 jul. 2023.

Downloads

Publicado

2024-01-17

Como Citar

de Oliveira Ogata, B., de Oliveira Sousa, S., & Fagundes Vargas, V. (2024). IMPACTOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA COM JOGOS DIGITAIS PARA O ENSINO DE MÚSICA: UM ESTUDO COLABORATIVO. Linguagens, Educação E Sociedade, 28(56), 1 - 30. https://doi.org/10.26694/rles.v28i56.4967