Linguagens, Educação e Sociedade https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc <p>A Revista <em><strong>Linguagem, Educação e Sociedade</strong></em> <strong>(LES)</strong> é um veículo de divulgação científica do Programa de Pós-Graduação em Educação<em>,</em> do Centro de Ciências da Educação, da Universidade Federal do Piauí, criado em 1996, com a edição de dois números anuais, passando a ser publicada na versão eletrônica, a partir de 2017, com publicação quadrimestral.</p> <p>A <strong>LES</strong> tem o objetivo de contribuir com a divulgação do conhecimento científico no campo da Educação e áreas afins, produzido por pesquisadores brasileiros e estrangeiros.</p> <p>A Revista publica resultados de pesquisas originais e inéditos, revisões bibliográficas e resenhas de obras relevantes para a área de Educação, em português, espanhol e inglês, em conformidade com sua política editorial. Foi classificada no Qualis-Capes 2013-2016 como B1 e no Qualis-CAPES 2017-2020 como A3.</p> Universidade Federal do Piauí pt-BR Linguagens, Educação e Sociedade 2447-6293 CURRÍCULUM, PENSAMIENTO CRÍTICO Y CONOCIMIENTO SOCIAL EN EL BACHILLERATO LATINOAMERICANO https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2750 <p>Apresenta-se aqui um estudo comparativo dos usos do pensamento crítico na área de ciências sociais do ensino médio obrigatório na América Latina. A partir da oposição entre perspectiva analítica e perspectiva desconstrutiva do pensamento crítico e sua relação com quatro tipos curriculares de ensino de ciências sociais: canônico, neoliberal, crítico funcional e contranarrativo, as semelhanças e diferenças são expostas em toda a região, sobre a função educativa que é dada ao pensamento crítico dentro dos conteúdos curriculares voltados para o conhecimento social. Da mesma forma, destaca-se o seu papel na formação cidadã e na educação política que fundamenta o uso curricular do pensamento crítico. Trata-se de um caráter comparativo, qualitativo e interpretativo baseado em um primeiro momento em um processo de codificação da teoria fundamentada e em um segundo momento na análise política do discurso curricular.</p> DALIA ARGÜELLO SEBASTIÁN PLÁ Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 DIVERSIDADE DE GÊNERO: A DESCONSTRUÇÃO DE BARREIRAS SÓCIOS COMPORTAMENTAIS EM BUSCA DO ENFRENTAMENTO DO BULLYING NO CONTEXTO ESCOLAR https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2778 <p>Informar, desmistificar conceitos, quebrar tabus e combater preconceitos, são práticas de responsabilidade social de toda uma sociedade, mas sobretudo da escola, que por sua característica acolhedora, influenciadora e reflexiva, inegavelmente promove encontros e discussões dos mais variados núcleos e caracterizações humanas. Em seu contexto cotidiano regular, a escola abrange em seu dia a dia, aspectos sócio comportamentais, emocionais, étnicos-raciais, econômicos, de gênero e de sexualidade e, portanto, a adoção de posturas de combate ao preconceito e de valorização da inclusão da diversidade em suas variadas dimensões, mostram-se cada vez mais relevantes e urgentes, indo ao encontro de demandas pela busca por direitos de igualdade e oportunidades, anseios esses, tão buscados em nossa sociedade atual. Pensando em contribuir, identificar e reconhecer condutas pedagógicas que promovam a ampliação e a conscientização da diversidade sexual e de gênero, buscamos demonstrar, por meio da pesquisa bibliográfica, que a escola pode ser um local promovedor ao enfrentamento de preconceitos e do <em>bullying</em>, capaz de romper barreiras sócio comportamentais historicamente construídas.</p> MARIA BEATRIZ RIBEIRO PRANDI-GONÇALVES CLEISON CAPUZZO SISCATI LUZIA BEATRIZ BONATO FERNANDES Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 A FORMAÇÃO DOCENTE PARA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: CAMINHOS PELO DIREITO DE APRENDER https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2772 <p class="Default" style="text-align: justify;"><span style="font-size: 11.0pt;">Neste trabalho investigou-se o atual cenário da formação docente para Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Brasil. Na primeira parte apresentamos uma análise descritiva da atual legislação sobre a EJA e sobre a formação inicial e continuada de professores, contextualizando a modalidade como de estratégica relevância para a Educação Básica, Em seguida, discutimos a importância e atualidade de pautar a formação de professores para a EJA, à luz das mais recentes normatizações instituídas e a partir das concepções e perspectivas teóricas de referência, como Arroyo (2006, 2017), Di Pierro (2006) e Freire (1996). A partir do desenvolvimento e análise de investigação empírica, verificamos os contextos e perspectivas de professores atuantes na EJA, de uma escola do Ensino Fundamental e Médio de um município do estado de Goiás. Por fim, o texto encaminha-se para, a partir das análises e concepções investigadas, refletir sobre possíveis caminhos para o desenvolvimento da EJA no país e o alcance dos objetivos esperados de tal modalidade. </span></p> MARIA CRISTINA MESQUITA SILVA AIRTON RODRIGUES GONÇALVES DE PAIVA RENATO DE OLIVEIRA BRITO Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 ABORDAGENS PEDAGÓGICAS: UM ESTUDO DOS CONCEITOS DE LIBÂNEO E MIZUKAMI PARA PENSAR A RELAÇÃO ENTRE PROFESSOR E ALUNO NO ENSINO SUPERIOR https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2771 <p class="Default" style="text-align: justify;"><span style="font-size: 11.5pt;">Este artigo tem como objetivo conhecer alguns dos conceitos, classificações e apontamentos relacionados às abordagens pedagógicas de Libâneo (1985) e Mizukami (1986) e sua implicação na relação professor aluno no ensino superior. Para tanto foi realizada pesquisa bibliográfica de natureza exploratória. Que de acordo com Trivinos (1967) tem o objetivo de delimitar e proporcionar um manejo seguro de determinada teoria. Parte-se de uma hipótese e se aprofunda o estudo no limite de uma realidade específica, buscando maior conhecimento a partir de uma revisão de literatura. A vantagem do caráter exploratório, segundo Lakatos e Marconi (2010), está no número de informações coletadas e na facilidade de análise por parte de outros pesquisadores. O resultado evidencia que a relação entre professor e aluno é definida a partir de uma abordagem pedagógica constituída por sua visão de mundo. Nela está incluída a forma como aprendeu e vivenciou o seu próprio processo educativo, seu o contexto histórico, cultural e político. Em cada situação que vive, o professor se aproxima ou se afasta de determinada tendência, podendo utilizá-las inclusive de forma conjunta, mesmo que, muitas vezes, sem um conhecimento prévio ou aprofundado dos estudos das abordagens pedagógicas. </span></p> KAREN KAUFFMANN DA SILVA LEONETE LUZIA SCHMIDT Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E A ESCOLA COMO LOCÚS DE APRENDIZAGEM https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2819 <p>O presente artigo objetiva refletir sobre a formação continuada de professores tendo a escola como lugar de aprendizagem e locús de formação continuada dos professores que ensinam matemática nos anos iniciais do ensino fundamental. Para tanto, partimos do seguinte problema: Como a escola pode se constituir um espaço de aprendizagem e formação? Na organização do artigo utilizamos como contribuições teóricas os estudos realizados por diversos autores dos quais destacamos, Nóvoa (2009), Campos (2003), Tardif (2012), Candau (1996), Formosinho (2009), Resende (2006) dentre outros, que discorrem sobre o tema. Os resultados se encaminham no sentido de que existe uma tedência para que a formação continuada dos professores possa acontecer também na escola, tendo em vista que a mesma se constitui em uma comunidade de aprendizagem que articula saberes e promove a construção de conhecimentos. Nesse sentido, a escola como lócus de formação assume uma tendência cada vez mais fortalecida diante das necessidades que emanam da sala de aula, favorecendo a unidade teoria-prática.</p> LAURILENE CARDOSO DA SILVA LOPES NEIDE CAVALCANTE GUEDES Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE PORTUGUÊS: DESAFIOS E POSSIBILIDADES https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2769 <p>Atualmente, no Brasil, a formação inicial do professor de Português ocorre em um contexto sócio-histórico complexo. Vivencia-se a “era” do produtivismo acadêmico, cuja ênfase recai nos projetos individuais que visam a fomentar os currículos em detrimento de projetos coletivos que&nbsp; busquem fortalecer as práticas de formação docente. Ademais, há um conjunto de demandas para o professor universitário, que, conforme os documentos reguladores, precisa formar professores críticos, reflexivos, preparados para lidar com as exigências da contemporaneidade. Considerando tal contexto, objetivamos neste artigo discutir os principais problemas que circundam a formação inicial do professor de Português, com vistas a apontar alguns encaminhamentos. Para desenvolver a discussão aqui proposta, realizamos um estudo exploratório ancorado em dados construídos via pesquisa documental. Foram lidos projetos pedagógicos de instituições de ensino do RN que atuam na formação do professor de Português e respectivas literaturas: PPP-UFRN e PPC-UERN. A análise desses documentos se concentrou&nbsp; em três grandes desafios para a formação inicial de professores de Português: a) formar professores para os desafios da contemporaneidade, como as novas tecnologias; b) formar professores para atender aos novos grupos sociais que passaram a fazer parte da escola; e c) correlacionar teoria e prática . A razão que justifica a escolha dessas três linhas de discussão decorre do fato de entendermos de serem os principais eixos orientados pelos documentos oficiais que regulam a formação inicial de professores. Ante os desafios que se nos apresentam, faz-se necessário, portanto, um processo constante de discussão nas instituições formativas para buscarem melhorias no processo formativo.</p> ANDRÉA JANE SILVA IVONEIDE BEZERRA DE ARAÚJO SANTOS MARQUES Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 O EDUCADOR GOVERNANTE E A FORMAÇÃO SOCIAL DO INDIVÍDUO EM EMÍLIO OU DA EDUCAÇÃO https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2774 <p>Neste artigo analisa-se o lugar do educador no contexto da pedagogia rousseauniana e tem-se como objeto de investigação a obra <em>Emílio ou Da Educação</em> (1762). Os objetivos propostos são a caracterização da pedagogia natural e a caracterização do papel do educador governante no processo de formação moral e política do indivíduo. Adotou-se, como método de pesquisa, a hermenêutica aplicada aos estudos bibliográficos, que além da obra supracitada, amparou-se também em livros de comentadores do filósofo Rousseau. Como resultados da discussão, observou-se que o pensador genebrino propôs uma pedagogia inovadora para seu tempo, na medida em que revoluciona a relação entre educador e educando e entre educação e sociedade, vínculos estes que são evidenciados em nossas análises. Inaugurador da chamada pedagogia natural, o filósofo alvitra uma reaproximação entre a educação e a condição natural de liberdade do educando e a formação moral e política para vida na sociedade democrática, mediada pelo educador governante.</p> JULIANA DA SILVA LOPES KALOCZI CARLOS BETLINSKI Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 FILOSOFIA E PRÁTICA DAS ESCOLAS DEMOCRÁTICAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2779 <p>O presente trabalho teve como objetivo analisar aspectos da filosofia e da prática das Escolas Democráticas, também conhecidas como Escolas Livres. Inicialmente é traçado um breve histórico do paradigma educacional atual, no qual se baseiam os sistemas educacionais tradicionais, com um enfoque particular sobre o contexto brasileiro. Em seguida, aborda-se a fundamentação histórica e filosófica da Educação Democrática, assim como algumas de suas práticas pedagógicas. São apresentados exemplos de escolas e suas principais diferenças e características. Ao final, discute-se em que medida a experiência dessas escolas pode contribuir para o processo de revisão dos paradigmas educacionais atuais.&nbsp;</p> JONAS DE OLIVEIRA BERTUCCI Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 O PROCESSO HISTÓRICO DOS DIREITOS HUMANOS PARA AS MULHERES NO BRASIL https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2775 <p>O presente artigo tem como tema de investigação os direitos humanos das mulheres com ênfase nos direitos das mulheres brasileiras. Os direitos humanos são resultado de uma construção histórica e já são significativos os avanços em termos da legislação relacionada às questões de gênero, o que motivou o interesse na pesquisa. O estudo tem como objetivo analisar os direitos das mulheres em documentos nacionais e internacionais e para tanto foi realizada uma pesquisa com abordagem qualitativa, mediante análise de: declarações, convenções, conferências, planos, estatutos, leis e políticas públicas. O estudo se apoia nos argumentos teóricos de Michel Foucault (1988), com base nos estudos de gênero de Judith Butler (2015), e das contribuições de Simone de Beauvoir (1980). A partir do estudo, foram encontrados 33 documentos, datados entre o período de 1789 a 2015, os quais evidenciam que a luta pelos direitos das mulheres foi intensa no aparato legal. No entanto, há muito para ser conquistado em termos de respeito à dignidade da pessoa humana, diante da complexidade interseccional, considerando a raça, a nacionalidade, a etnia, o gênero, a classe social, a região, a cultura, a religião, a orientação sexual, a identidade de gênero, a geração e a deficiência. Questiona-se a não materialidade de muitas políticas de direitos humanos, evidenciando a necessidade de superação do estigma, das violências, das discriminações, das desigualdades, das condições de exclusão social e de vulnerabilidades que marcam o cotidiano de milhares de mulheres brasileiras.</p> POLYANA RAQUEL PEDROSO MARIA LOURDES GISI Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 CONTEXTO DE TRABALHO E FATORES ESTRESSORES DE DOCENTES DO ENSINO AGRÍCOLA: UM OLHAR PARA AS PARTICULARIDADES DO CAMPO https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2777 <p>O objetivo desta pesquisa foi analisar a percepção sobre o contexto do trabalho e os fatores estressores dos docentes dos campi agrícolas do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Roraima (IFRR). A pesquisa foi desenvolvida a partir de abordagem quantitativa e qualitativa, tendo como sujeitos 24 docentes da instituição. O tratamento e análise dos dados seguiram as técnicas de análise exploratória e análise de conteúdo. Através da aplicação de questionário aos participantes, constatou-se que os docentes dos campi agrícolas estão expostos aos riscos comuns da categoria profissional, tais como, estresse, fadiga, problemas de voz, garganta e ossos motores, hipertensão arterial, ansiedade, insônia, rinite alérgica e hérnia de disco; e aos específicos dos trabalhadores rurais, tais como, exposição demasiada ao sol e à mudança brusca do clima, manipulação de reagentes químicos/agrotóxicos, acidentes com animais peçonhentos e contato com dejetos animais. Os docentes desenvolvem ações preventivas, todavia somente 16,7% afirmaram conhecer legislações que amparam os direitos à saúde dos trabalhadores. Em relação às medidas institucionais, existem iniciativas no IFRR de ações de saúde e segurança do trabalho, porém a conjuntura sociopolítica do país dificulta a implementação dessas ações.</p> TATIANA PEREIRA SODRÉ ARGEMIRO SANAVRIA GILMAR FERREIRA VITA Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 . IMPLEMENTAÇÃO DO ENSINO REMOTO EM MEIO À PANDEMIA DA COVID 19: DILEMAS, DESAFIOS E PERSPECTIVAS. https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2773 <p>Um dos grandes desafios da investigação em educação é o fato de pesquisar sobre as múltiplas relações entre o uso de tecnologias e a sala de aula. Ao levarmos em consideração o atual contexto de pandemia, percebemos que a busca por respostas às inquietações relativas à implementação das Atividades Remotas ganha ainda mais importância na comunidade científica. Tendo o que foi mencionado anteriormente, este trabalho apresenta como Objetivo Geral: Compreender os dilemas e desafios na implementação das Atividades Remotas de Ensino Aprendizagem no IFPI, Campus Floriano. Para tanto, o estudo consistiu de uma pesquisa qualitativa, documental, cuja forma de abordagem foi a Etnometodologia, tendo como procedimentos a Observação Participante, a Entrevista Narrativa e o Ciclo de Políticas, tendo como lócus o Instituto Federal do Piauí – IFPI, Campus Floriano e como interlocutores, três acadêmicos do curso de Licenciatura em Matemática. O trabalho evidenciou que o IFPI, embora tenha trabalhado para regulamentar as atividades não-presenciais e para buscar a diminuição das desigualdades apresentadas no acesso às atividades remotas o IFPI, por meio de instrumentos como o “auxílio conecitividade”, na prática, vivenciou o surgimento de muitos dilemas de cunho pessoal, social e pedagógico por parte dos alunos, bem como desafios didáticos por parte dos professores.</p> ANDRÉ LUIZ FERREIRA DE CARVALHO MELO ANA VALÉRIA BORGES DE CARVALHO MELO Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49 Editorial https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2920 Neide Cavalcante Guedes Copyright (c) 2022 Linguagens, Educação e Sociedade 2022-08-28 2022-08-28 49