INTELECTUAIS DA VIOLA: A AÇÃO DE TIÃO CARREIRO E PARDINHO COMO MEDIADORES CULTURAIS

Autores

Palavras-chave:

Intelectuais mediadores culturais. História da Educação. Mediação cultural.

Resumo

A presente pesquisa se localiza no campo da História da Educação, tem como base teórico-metodológica a História Cultural (CHARTIER, 2002), e mantém diálogo com a História Intelectual e dos Intelectuais. O objetivo deste trabalho é analisar a ação de mediação cultural de Tião Carreiro e Pardinho, uma dupla da música sertaneja raiz, e de que modo essa ação de intervenção social a partir da cultura possibilita a identificação desses artistas como intelectuais mediadores culturais com base no conceito proposto por Gomes & Hansen (2016). Como referencial metodológico, utilizamos a análise de conteúdo proposta por Bardin (2016) para analisar as canções da dupla, o que permitiu a identificação de representações e elementos que expressavam o contexto sócio-histórico e a realidade vivida pelo público da música sertaneja. Essas representações que atribuíam sentido às mensagens das músicas possibilitavam a reflexão por parte do público desse gênero musical sobre a realidade socioeconômica na qual estavam inseridos, funcionando como uma forma de educação social ao possibilitar e ajudar na construção de uma consciência da condição enfrentada por eles num contexto em que ocorria o processo do êxodo migratório, do qual o público da música sertaneja participou ativamente. Como resultado, entendemos que essa ação de identificação e expressão da realidade por meio da veiculação de representações permite a categorização da dupla enquanto intelectuais mediadores culturais que possibilitaram uma prática de educação social a partir da cultura.

Referências

AMARAL, J. P. A trajetória do violeiro Tião Carreiro – das primeiras duplas ao sucesso do criador e rei do pagode. Revista Tulha. Ribeirão Preto, 2016, v. 2, n. 1, p. 144-173. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revistadatulha/article/view/125299. Acessado em: 19 de abril de 2020.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo; Tradução Luís Antero Reto, Augusto Pinheiro. São Paulo: Edições 70, 2016

BURKE, P. O que é História Cultural?. Tradução: Sérgio Goes de Paula – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed. 2005.

CHARTIE, R. A História Cultural: entre práticas e representações. Tradução de Maria Mauela Galhardo. Algés: Editora Difusão Editorial, 2002.

FAUSTINO, J. C. O Êxodo Cantado: a formação do caipira para a modernidade. 2014. 197 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2014.

FAUSTO, B. História Concisa do Brasil. São Paulo: EduSP, 2014.

FREIRE, V. L. B. A História da Música em Questão: uma reflexão metodológica. Revista Música¸ São Paulo, v. 5, n. 2, p... 152-170, Nov. 1994. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/revistamusica/article/view/55079. Acessado em: 15 de abril de 2020.

GOMES, A. de C.; HANSEN, P. S. (orgs.). Intelectuais mediadores. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2016.

GOMES, A. de C. Ideologia e trabalho do Estado Novo. In: PANDOLFI, Dulce. Repensando o Estado Novo. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getúlio Vargas, 1999.

GREGOLIM JUNIOR, L. M. Presença do Sagrado na música caipira de raiz brasileira: análise de composições de Tião Carreiro e Pardinho. 2011. 59 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Religião) – Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2011.

MARTINS, Franklin. Quem foi que inventou o Brasil?. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

MOLIN, P. Parada de Sucesso. Folha do Povo, Belo Horizonte, s. p., 23 de Setembro de 1979.

NEPOMUCENO, R. Música Caipira: da roça ao rodeio. São Paulo: Editora 34, 1999.

O QUE HÁ DE NOVO. Diário do Paraná, Curitiba, terceiro caderno, p. 6, 20 de fevereiro de 1972.

OLIVEIRA, A. de P. Miguilim foi pra cidade ser cantor: uma antropologia da música sertaneja. 2009, 352f. (Tese de Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2009.

PARADAS PAULISTAS. O Jornal, Rio de Janeiro, p. 7, 18 de Novembro de 1971.

PRIORI, M. del. Histórias da gente brasileira, vol. 4: República – Testemunhos (1951-2000). São Paulo: Editora Leya, 2019.

RIBEIRO, J. H. Música Caipira: As 270 maiores modas. Santos: Realejo Edições, 2015.

RIBEIRO, D. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. 3 ed. São Paulo: Global, 2015a.

SCHWARCZ, L. M.; STARLING, H. M. Brasil: uma biografia. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

TABORDA DE OLIVEIRA, M. A.. Silvio Rodriguez: vamos a andar. In.: VIEIRA, Carlos Eduardo; OSINSKI, Dulce Regina Baggio; TABORDA DE OLIVEIRA, Marcus Aurélio

(orgs.). História Intelectual e Educação: artes, artistas e projetos estéticos. 1. Ed. Jundiaí: Paco Editorial, 2019.

TINHORÃO, J. R. Vamos conhecer Tião Carreiro e Pardinho enquanto é tempo. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, caderno b, p. 15, 1975.

TINHORÃO, J. R. Os melhores discos do ano. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 36, 1976.

FONTES

CARREIRO, T.; SANTOS, L. dos. Música: Casa Modesta. Álbum: A caminho do sol. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1973. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

CARREIRO, T.; SANTOS, L. Música: Pra tudo se dá jeito. Álbum: Navalha de Carne. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1982. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

CARREIRO, T.; SANTOS, L. dos. Música: A Coisa tá Feia. Álbum: No Som da Viola. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1983. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

CARREIRO, T.; SANTOS, L. dos. Música: A coisa ficou bonita. Álbum: Estrela de Ouro. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1986. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

GERALDINHO; CARREIRO, T. Música: Versos aos pés do Homem. Álbum: A majestade “O Pagode”. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1988. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

PAULO, Z.; JOSÉ, M.; VENTURA FILHO, A.. Música: Osso Duro de Roer. Álbum: A majestade “O Pagode”. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1988. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

PINTO, A. Música: Jerimum; álbum: Linha de Frente. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1964. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

SANTOS, L. dos; SANTOS, M. dos. Música: Cochilou cachimbo cai. Álbum: A força do perdão. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1970. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

SANTOS, L. dos; SANTOS, M. dos; CARREIRO; Tião. Música: A Casa. Álbum: A força do perdão. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1970. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

SANTOS, Lourival dos; SANTOS, J. dos. Música: Mineiro do pé quente. Álbum: Modas de viola classe “A”. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1984. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

SANTOS, M.; VAQUEIRINHO. Música: Baiano no Coco. Álbum: Rancho dos Ipês. São Paulo: Gravadora Chantecler, 1967. Intérpretes: Tião Carreiro e Pardinho.

Downloads

Publicado

2022-04-07

Como Citar

Fíngolo Claras, L., & de Almeida Orlando, E. (2022). INTELECTUAIS DA VIOLA: A AÇÃO DE TIÃO CARREIRO E PARDINHO COMO MEDIADORES CULTURAIS. Linguagens, Educação E Sociedade, (48). Recuperado de https://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2502

Edição

Seção

Artigos