FORMAÇÃO HUMANA COMO AÇÃO INTELECTUAL, ÉTICA E POLÍTICA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v28i57.3939

Palavras-chave:

Formação de professores, Educação escolar, Pluralidade, Autoridade, Responsabilidade

Resumo

Este ensaio tem o intuito de refletir sobre algumas contribuições do pensamento de Hannah Arendt para a formação de professores. O argumento proposto é o de que a responsabilidade frente ao ato educativo envolve as dimensões intelectual, ética e política como constituintes primordiais do pensar e do agir pedagógico-educativo. Em sua dimensão intelectual, requer compreender que os sujeitos recém-chegados precisam ser inseridos em um mundo já existente e nele iniciados por meio de práticas escolares e de conhecimentos históricos, culturais e científicos para que assim possam preservar sua historicidade. Ainda, na ação pedagógico-educativa, ter um saber e saber-fazer não é suficiente, pois, em razão da imprevisibilidade e pluralidade da ação humana, a atividade do pensar continuamente é demandada. Assim, na interdependência entre pensamento e ação se observam duas implicações: uma ética e outra política. A primeira diz respeito ao pensar para agir de forma a preservar no mundo o bem, a força da palavra e a negação da violência. A dimensão ética também envolve a vontade e os motivos e projetos que os professores constroem para a ação educativa, aspectos por vezes esquecidos ou pouco explorados na formação. Já a implicação política tem como foco resguardar a vida dos sujeitos no espaço comum e estabelecer as condições possíveis e necessárias para que possam expressar e fazer suas escolhas. Quem assume a tarefa da educação admite a responsabilidade por outros e por criar encontros nos quais estes possam fazer seus inícios únicos e singulares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marta Nörnberg, Universidade Federal de Pelotas

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Professora associada e docente permanente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pelotas, RS, Brasil. Bolsista de Produtividade em Pesquisa, nível 2, do CNPq.

Josiane Jarline Jäger, Universidade Federal de Pelotas

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Mestre em Educação pela UFPEL. Professora da rede municipal de ensino de Carlos Barbosa, Carlos Barbosa, RS, Brasil.

Referências

ARENDT, H. Responsabilidade e julgamento. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

ALMEIDA, V. S. Educação em Hannah Arendt: Entre o mundo deserto e o amor ao mundo. São Paulo: Cortez, 2011.

ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

ARENDT, H. A vida do espírito: o pensar, o querer, o julgar. 4ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

ARENDT, H. Entre o passado e o futuro. 1ª reimp. 8ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2016.

ARENDT, H. A condição humana. 13ª ed. 2ª reimp. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2017.

BIESTA, G. Para além da aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

FRANCISCO, M. Pensamento e ação em Hannah Arendt. Trans/Form/Ação, São Paulo, SP, n.19, p. 163-175, 1996.

GIMENO SACRISTÁN, J. Tendências investigativas na formação de professores. In: PIMENTA, S. G.; GHEDIN, E. (Org.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. 7.ed. São Paulo: Cortez, 2012. p.94-102.

GRÜTZMANN, L. F.; SCHILLING, F. I. A desinformação e os discursos autoritários: A democracia ameaçada e o desafio à educação. Revista Linguagem, Educação e Sociedade -LES, v.27, n.54, 2023, eISSN: 2526-8449.

MEIRIEU, Philippe. A pedagogia entre o dizer e o fazer. Porto Alegre: Artmed, 2002.

NÖRNBERG, M. Formação de professores como ação humana: Reflexão e escrita sobre a prática pedagógica em contextos de ensino e pesquisa. In: REUNIÃO CIENTÍFICA REGIONAL DA ANPED-SUL, XI, 2016, Curitiba-PR. Anais [...] Curitiba-PR: Ed. Setor de Educação da UFPR, 2016. p.1-21.

NÖRNBERG, M.; CAVA, P. P. O que é da ordem do teórico e do prático? Reflexões sobre formação de professores em contexto de estágio. In: NÖRNBERG, M. (Org.). Formação em contextos de estágio e desenvolvimento profissional. São Leopoldo: Oikos, 2017. p.53-72.

NÓVOA, A. Professores: Imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.

SLOTERDIJK, P. Regras para o parque humano. Uma resposta à carta de Heidegger sobre o humanismo. São Paulo: Estação Liberdade, 2000.

Downloads

Publicado

2024-05-03

Como Citar

Nörnberg, M., & Jäger, J. J. (2024). FORMAÇÃO HUMANA COMO AÇÃO INTELECTUAL, ÉTICA E POLÍTICA. Linguagens, Educação E Sociedade, 28(57), 1 - 23. https://doi.org/10.26694/rles.v28i57.3939