O LIVRO DE NÃO FICÇÃO PARA CRIANÇAS: ENTRE A AETONORMATIVIDADE E A ALTERIDADE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v28i56.3983

Palavras-chave:

Livro infantil, Não ficção, Aetonormatividade, Alteridade, Infância

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir sobre a relação criança e adulto no circuito do livro não ficcional. Para isso, é apresentado um panorama sobre as percepções das infâncias, no qual elencamos o conceito de Nikolajeva (2009) de “Aetonormatividade” para tentar demonstrar como muitas produções editoriais constroem uma relação verticalizada e desigual entre adultos e crianças na dimensão textual. Neste sentido, são apresentadas duas obras que caminham nessa perspectiva aetonormativa, “Água” (2020) do “Programa Conta pra mim” e “Mundinho Azul” de Ingrid Bellinghausen (2011). Em contraposição, são elaboradas algumas propostas de discussão como a ideia de partilha da informação sob o prisma da alteridade, dessa maneira, as crianças e os adultos compartilham informações e experiências do mundo, a partir de suas assimetrias e semelhanças, em busca de construir uma rede de conexões e saberes entre humanos e não humanos. A partir dessa perspectiva são apresentados dois livros não ficcionais, “Web” de Isabelle Simler(2018) e “Arboles” de Lemniscates (2015) que estão submersos em uma trama de linguagens e textos que convocam os leitores, a partilharem o conhecimento sobre o mundo, tendo sempre em vista, a inventividade e a sensibilidade como indícios potenciais a serem seguidos por todos, adultos e crianças, que pretendem produzir, elaborar, mediar e ler um livro não ficcional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcus Vinicius Rodrigues Martins, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio)

Doutor em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.  E-mail: marcusmartins2005@gmail.com

Referências

ARNOLD, Helen. Do the blackbirds sing all day? Literature and information texts. In: STYLES, Morag; BEARNE, Eve; WATSON, Victor. After Alice: Exploring children’s literature. New York: Cassel, 1992. p. 126-134

BAKHTIN, Mikhail. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 6.ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2011.

BEAUVAIS, Clementine. Thinking the adult–child relationship with existentialism. In: SPYROU, Spyros.; ROSEN, Rachel; COOK, Daniel Thomas (Eds.), Reimagining childhood studies. London: Bloomsbury Academic, 2019, p. 57-74.

BELLINGHAUSEN, Ingrid Beisemeyer. O mundinho azul. São Paulo: Farol Literário, 2011, 24p.

BELMIRO, Celia Abicalil; MARTINS, Marcus Vinicius Rodrigues. Em busca de fugas poéticas: informação e ficção em livros para infância. Em aberto, Brasilia, v. 32, n. 105, p. 59-76, maio/agosto, 2019. Disponível em: rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/emaberto/article/view/4209. Acesso em: 15 jan. 2023.

BERNARDO, Gustavo. Qualidade da invenção. In: OLIVEIRA, Ieda. O que é qualidade em literatura infantil e juvenil? Com a palavra o escritor. São Paulo: DCL, 2005, p. 09-24.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Alfabetização. Água. Brasília: MEC, SEALF, 2020ª

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Alfabetização. Conta pra Mim: guia de literacia familiar. - Brasília: MEC, SEALF, 2020b.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Acervos complementares: alfabetização e letramento nas diferentes áreas do conhecimento. Brasilia: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2012, 140p.

CATINCHI, Philippe Jean. Luces de Hoy. Hors de Cadre (s), Paris, n. 14, 2014

CASTRO, Liana Garcia. Infância e autoridade em relações intergeracionais: narrativas de avós sobre a educação das crianças. Linguagens, Educação e Sociedade - LES, v. 26, n. 51, p. 172-201, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.26694/rles.v26i51.2962. Acesso em: 14 jan. 2024

COBLENCE, Jean-Michel. Créer des livres, choisir des images. La revue des livre pour enfants, n. 175-176, p. 79-85, jun. 1997

DESZCZ-TRYHUBCZAK, Justyna; GARCIA-GONZÁLEZ, Macarena. Thinking and doing with childism in children's literature studies. Children&Society, 2022, p. 1-15. Disponível em: https://doi.org/10.1111/chso.12619. Acesso em: 15 dez. 2022.

DUCKWORTH, Melanie. Agency and multispecies communities in picture books: the snail and the whale and the secret of black rock. environmental humanities, v. 14, n. 1, mar 2022, p. 162-181. Disponivel em: https://doi.org/10.1215/22011919-9481495. Acesso em: 14 nov. 2022

EDELMAN, Lee. No Future: queer history and the death drive. Durham: Duke University, 2004, 208p.

GARCIA-GONZÁLEZ, Macarena; DESZCZ-TRYHUBCZAK, Justyna. “La literatura infantil como un sitio de violencia lenta”. Reimagining Childhood Studies, Maio 2021. Disponível em: https://reimaginingchildhoodstudies.com/la-literatura-infantil-como-un-sitio-de-violencia-lenta. Acesso em: 07 nov. 2022

GARCIA-GONZÁLEZ, Macarena; DESZCZ-TRYHUBCZAK, Justyna. New Materialist Openings to Children's Literature Studies. International Research in Children's Literature, v. 13, n. 1, p. 45-60, jul. 2020. Disponível em: https://www.euppublishing.com/doi/epub/10.3366/ircl.2020.0327. Acesso em: 12 nov. 2023

GOUVÊA, Maria Cristina Soares. Infantia: entre a anterioridade e a alteridade. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 2, p. 547-567, maio/ago. 2011

GUBAR, Marah. The Hermeneutics of Recuperation: What a Kinship-Model Approach to Children’s Agency Could Do for Children’s Literature and Childhood Studies. Jeunesse: Young People, Text, Cultures, v. 8, n. 1, p. 291-310. Disponível em: https://dspace.mit.edu/handle/1721.1/112618. Acesso em: 15 dez. 2022

GUERRA, Monica. As mais pequenas coisas: a exploração como experiência educativa. São Carlos: Pedro e João, 2022, 230p.

HAYNES, Joanna; MURRIS, Karin. Intra-generational education: Imagining a post-age pedagogy. Educational Philosophy and Theory, v. 49, n. 10, p. 971-983, 2016. Disponivel em:https://www.tandfonline.com/action/showCitFormats?doi=10.1080%2F00131857.2016.1255171. Acesso em: 15 jan. 2023

HELD, Jacqueline. L'enfant et le Documentaire. In: HELD, Jacqueline. Connaître et choisir les livres pour enfants. Paris: Hachette, 1985

HERVOUET, Claudine. El libro divulgativo infantil y juvenil: evolución y panorama actual. Hors de Cadre (s), Paris, n. 14, 2014

JAMES, Alisson; PROUT, Alan. Constructing and Reconstructing Childhood: Contemporary issues in the sociological study of childhood. 3. ed. Londres: Routledge, 2014, 246p.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto Histórico. Revista Brasileira de História da Educação, n. 1, p. 9-44, 2001.

LEMNISCATES. Arboles. Barcelona: Ekaré, 2015.

MARTINS, Marcus Vinicius Rodrigues. O livro não ficcional para crianças. 2020. 221f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2020.

MARTINS, Marcus Vinicius. Rodrigues; BELMIRO, Celia Abicalil. Stylistic Strategies in Children’s Nonfiction books. In: GOGA, Nina; IVERSEN, Sarah Hoem; TEIGLAND, Anne-Stefi. Verbal and visual strategies in nonfiction picturebooks: theoretical and analytical approaches. Oslo: Scandinavian University Press. 2021.

MURRIS, Karin. Educational transformation through philosophy with picturebooks. London; New York: Routledge, 2016

NIKOLAJEVA, Maria. Theory, post-theory, and aetonormative theory. Neohelicon, v. 36, n. 1, p. 13–24, 2009. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s11059-009-1002-4#Bib1 . Acesso em: 15 nov. 2022

NODELMAN, Perry. The Hidden Adult: defining children’s literature. Baltimore: The Johns Hopkings, 2008, 408p.

PAULINO, Graça. Diversidade de narrativas. In: PAIVA, Aparecida; EVANGELISTA, Aracy; PAULINO, Graça; VERSIANI, Zélia (orgs). No fim do século: a diversidade, o jogo do livro infantil e juvenil. Belo Horizonte: Autêntica, p. 39-48, 2000.

ROBINE, Nicole. Les Ouvrages documentaires pour la jeunesse. Bulletin des bibliothèques de France (BBF), Paris, 1982, n. 9-10, p. 545-551, 1982. Disponible em: http://bbf.enssib.fr/ consulter/bbf-1982-09-0545-002. Acesso em 07 dez. 2022

ROSE, Jacqueline. The case of Peter pan: Or the impossibility of Children's fiction. Londres: Palgrave Macmillan, 1984

SILVA, Jonathas Luiz Carvalho.; GOMES, Henriette. Ferreira. O conceito de informação pelo viés da alteridade. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v. 7, n. 1, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/119492. Acesso em: 30 dez. 2023.

SIMLER, Isabelle. Web. New York: Peter Pauper Press, 2018

VAN DER LINDEN, Sophie. Divulgadora prometedora. Hors de Cadre (s), Paris, n. 14, 2014.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações Filosóficas. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

ZORNADO, John. Inventing the child. Londres: Routledge, 2006

Downloads

Publicado

2024-01-15

Como Citar

Rodrigues Martins, M. V. . (2024). O LIVRO DE NÃO FICÇÃO PARA CRIANÇAS: ENTRE A AETONORMATIVIDADE E A ALTERIDADE. Linguagens, Educação E Sociedade, 28(56), 1 - 24. https://doi.org/10.26694/rles.v28i56.3983