“VOCÊ QUE LUTE!”: A RECONSTRUÇÃO DO DISCURSO MIDIÁTICO POR JOVENS DE ESCOLAS PÚBLICAS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v27i53.2963

Palavras-chave:

mídia, pandemia, meritocracia, acesso à educação superior

Resumo

Temos como propósito compreender a construção e a reconstrução de discursos midiáticos por estudantes de escola pública sobre os estudos de vestibulandos no contexto da pandemia da covid-19 e analisar como o acesso de jovens da classe trabalhadora em cursos de alta seletividade social na universidade pública é divulgado na mídia. Utilizamos o modelo Codificação e Decodificação, de Stuart Hall (1973; 1980), e entrevistamos 13 estudantes do Distrito Federal. Entre as conclusões, refletimos que as mídias valorizam o mérito individual, inclusive em tempos de pandemia, enquanto silenciam as políticas públicas de acesso à educação superior. Conclui-se que a maioria dos jovens, ao reconstruir as notícias, mantém a lógica hegemônica e dominante.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Júlia Mello Schnorr, Universidade de Brasília

Doutoranda em Educação (UnB). Mestra em Comunicação Midiática (UFSM). Licenciada e Bacharel em História (UFSM). Professora de História na Secretaria de Educação do Distrito Federal. Email: juliaschnorr@gmail.com.

Carlos Lopes, Universidade de Brasília

Doutor em Sociologia (PUCSP). Mestre em Educação (UCB). Pedagogo (UFPI). Professor Associado da Universidade de Brasília. Email: carloslopes@unb.br

 

Referências

BOTOSSO, T. Negros na universidade: a cobertura da mídia sobre as políticas públicas de inclusão sócio-racial no Brasil. 2015. 174f. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Escola de Artes, Ciências e Humanidades, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

BOURDIEU, P. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Zouk/Edusp, 2013.

FERREIRA, L.; BARBOSA, A. Lições de quarentena: limites e possibilidades da atuação docente em época de isolamento social. Práxis Educativa, Ponta Grossa, PR, n. 15, p. 1-24. 2020.

FRITOLI, S.; POLATO, A. Enem 2020 em tempos de pandemia: a análise de uma charge em perspectiva dialógica. Revista Humanidades e Inovação, v. 8, n. 37, p. 334-348, 2020.

GATTI, B. Possível reconfiguração dos modelos educacionais pós-pandemia. Revista Estudos Avançados, v. 100, n. 34, p. 29-42, 2020.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

HALL, S. Encoding and decoding in the television discourse. Birmingham: Centre for Contemporary Cultural Studies - University of Birmingham, 1973.

HALL, S. Encoding/Decoding. In: : S. Hall; D. Hobson; A. Lowe; P. Willis (Eds.). Culture, Media, Language: working papers in cultural studies. London: Hutchinson, 1980, p. 128-138.

HALL, S. Da diáspora: identidade e mediações culturais. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

HARVEY, D. O neoliberalismo: história e definições. São Paulo: Edições Loyola, 2008.

LIMA, V. Um esquecido nos estudos de mídia no Brasil. Jornal de Debates – Observatório da Imprensa, n. 853, 2015.

MARTÍN-BARBERO, J. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora da UFRJ, 2009.

MORAES, A.C. et al. Conhecimentos de Sociologia. In: Orientações Curriculares para o Ensino Médio. Brasília: Ministério da Educação, 2006, p.101-133.

MORAES, A.C. GUIMARÃES, E.F. Metodologia de Ensino de Ciências Sociais: relendo as OCEM-Sociologia. In: Coleção Explorando o Ensino. Brasília: Ministério da Educação, 2010, p.45-62.

NETO, A.; SILVA, F. De “a vida não pode parar” a “você que lute”: discursos oficiais, contradiscursos e a resistência de um cursinho popular na pandemia da Covid-19. Olhar de Professor, n. 23, p.1-6, 2020.

NÓVOA, A.; ALVIM, Y.C. Os professores depois da pandemia. Educação & Sociedade, Dossiê Democracia, escola e mudança digital: desafios da contemporaneidade. Campinas, n. 42, p.1-16, 2021.

SALES, S. As insustentáveis levezas dos discursos da mídia no Brasil: representações sobre ação afirmativa e universidade (2000-2006). In: Anais da Reunião da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, XXXII, 2009, Caxambu, 2009.

SANDEL, M. A tirania do mérito: o que aconteceu com o bem comum? Rio de Janeiro: Record, 2020.

SOUZA, J. Os batalhadores brasileiros. Belo Horizonte: Editoria UFMG, 2012.

SOUZA, J. A elite do atraso: da escravidão à lava jato. Rio de Janeiro: Editora Leya, 2017.

UNESCO. When schools shut: gendered impacts of COVID-19 school closures. Paris, France, 2021.

YOUNG, M. The rise of meritocracy: 1870-2033 – an essay on education and equality. London: Thames and Hudson, 1958.

Downloads

Publicado

2023-03-24

Como Citar

Schnorr, J. M., & Lopes, C. . (2023). “VOCÊ QUE LUTE!”: A RECONSTRUÇÃO DO DISCURSO MIDIÁTICO POR JOVENS DE ESCOLAS PÚBLICAS. Linguagens, Educação E Sociedade, 27(53), 66-95. https://doi.org/10.26694/rles.v27i53.2963