O AGENCIAMENTO ECONÔMICO-FORMATIVO DA EDUCAÇÃO NO CAMPO NO ACRE

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v28i56.4561

Palavras-chave:

Desenvolvimento econômico, Educação do campo, Organismo multilaterais, Trabalho

Resumo

Este estudo enfatiza o exame dos programas e projetos educacionais do campo no Vale do Juruá-Acre, verificando suas articulações com a agenda global dos organismos multilaterais e seus reflexos sobre a pobreza. Como constituintes metodológicos atinentes às concepções teóricas e gerados pelos dados documentais, pelo enfoque de natureza qualitativa, desenvolvemos uma análise dialética. Na pesquisa, identificou-se o predomínio da dimensão econômico-formativa, tanto no conhecimento escolar quanto no trabalho, apreendidos para legitimar um ideário educativo e de modo de vida que captura as individualidades e singularidades dos povos do campo, produzindo uma convergência de interesses que falseia a realidade e repercute como condicionante socioeconômico e educativo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcondes de Lima Nicácio, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre

Doutor em Educação (UFAM). Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre  (IFAC) e Líder Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisa em Trabalho, Educação e Políticas Educacionais (NITEPES), Cruzeiro do Sul, Acre, Brasil. E-mail: marcondes.nicacio@ifac.edu.br.

Referências

ACRE. Caminhos do Acre: escolhas que transformam cidades e vidas. 2016. Disponível em: acre.gov.br/wp-content/uploads/2019/02/caminhosdoacre-web.pdf. Acesso em: 03 ago. 2022.

ACRE. Lei n. 1.695, de 21 de dezembro de 2005. Cria o Instituto Estadual de Desenvolvimento da Educação Profissional Dom Moacyr Grechi e dá outras providências. Rio Branco: AL.AC, [2005]. Disponível em: Lei 1695 (al.ac.leg.br). Acesso em: 03 ago. 2022.

ACRE. Lei n. 2.965, de 2 de julho de 2015. Aprova o Plano Estadual de Educação para o decênio 2015-2024 e dá outras providências. Diário Oficial do Estado do Acre, Rio Branco, AC, ano. 48, n. 11.589, p. 5-61, 2015.

ACRE. Plano Plurianual - PPA 2008/2011. 27 dez. 2007. Disponível em: acre.gov.br/wp-content/uploads/2019/02/PPA_2008_2011.pdf. Acesso em: 13 dez. 2020.

ACRE. Plano Plurianual - PPA 2012-2015: desenvolver e servir.20 dez. 2011. Disponível em: acre.gov.br/wp-content/uploads/2019/02/PPA2012-2015.pdf. Acesso em: 13 dez. 2020.

ALVAREZ, Carmem Paola Torres. Governança da educação profissional e tecnológica: uma análise do contexto da Amazônia Ocidental. 2013. 140f. Dissertação (Mestrado em Políticas Públicas e Gestão da Educação Profissional e Tecnológica) - Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

BLOG DA VERINHA. Asas da Florestania: histórico, legislação e organização curricular. Feijó, 26 fev. 2016. Disponível em: Blog da Verinha (blogdaverinhafj.blogspot.com). Acesso em: 3 ago. 2022.

BRAUN, V.; CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, v. 3, n. 2. p. 77-101. 2006.

CENPEC. CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E AÇÃO COMUNITÁRIA. Currículos para os anos finais do Ensino Fundamental: concepções, modos de implantação e usos. São Paulo: CENPEC, 2015.

CENTRO DE REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO INTEGRAL. Asas da Florestania leva educação às comunidades da zona rural do Acre. 17 nov. 2014.Disponível em: Asas da Florestania leva educação às comunidades da zona rural do Acre - Centro de Referências em Educação Integral (educacaointegral.org.br). Acesso em: 3 ago. 2022.

INEP. Informe estatístico 2, 1996: Rondônia, Acre, Amazonas, Roraima, Amapá, Pará, Tocantins. Brasília: INEP, 1997. Disponível em: Educação Básica — Inep (www.gov.br). Acesso em: 21 dez. 2020.

INEP. Melhores práticas em escolas de Ensino Médio no Brasil. Brasília: INEP, 2010.

INEP. Resumo Técnico: Censo da Educação Básica Estadual 2019. Brasília: INEP, 2020. Disponível em: Educação Básica — Inep (www.gov.br). Acesso em: 6 dez. 2020.

INEP. Sinopse Estatística da Educação Básica 2006. Brasília: INEP, 2006. Disponível em: Educação Básica — Inep (www.gov.br). Acesso em: 2 ago. 2022.

INEP. Sinopse Estatística da Educação Básica 2017. Brasília: INEP, 2017. Disponível em: Educação Básica — Inep (www.gov.br). Acesso em: 2 ago. 2022.

INEP. Sinopse Estatísticas da Educação Básica 2020. Brasília: INEP, 2021. Disponível em: Educação Básica — Inep (www.gov.br). Acesso em: 3 ago. 2022.

LIMA, Maria Aldecy Rodrigues de. A escola e o ensino na diversidade da Amazônia: desafios formativos. In: SIMPÓSIO LINGUAGENS E IDENTIDADES DA/NA AMAZÔNIA SUL-OCIDENTAL, 10., 2016, Rio Branco. Anais [...]. Rio Branco: UFAC, 2016.

LIMA, Maria Aldecy Rodrigues de; OLIVEIRA, Amarílio Saraiva de; ROCHA, Cleidison de Jesus. A Amazônia esquadrinhada discursivamente: da tradição literária aos discursos partidários. ARIÚS: revista de ciências humanas e artes. Campina Grande, v. 23, n. 1, p. 7- 35, jan./jun. 2017. Disponível em: 00_arius_v23_n1_2017_edicao_completa.pdf (ufcg.edu.br). Acesso em: 3 ago. 2022

MEDEIROS, João Bosco. Redação científica: a prática de fichamentos, resumos, resenhas.7. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MENDONÇA, Ana Teresa Pollo; COSME, Ariana. A transformação das práticas profissionais docentes tendo como referência a metodologia telessala tm: um estudo de caso do programa autonomia. Revista Labor, Fortaleza, v. 1, n. 19, p. 133-152, jan./jul. 2018.

OLIVEIRA, Amarilio Saraiva de. O programa Asas da Florestania/ Fundamental como varadouro de mão dupla: encurtando caminhos entre governo, escola e povos da floresta. 2016. 169f. Dissertação (Mestrado em Letras: Linguagem e Identidade) – Universidade Federal do Acre, Rio Branco, 2016.

PAULA, Valdemar Matos; PEREIRA, Maria das Graças Alves; SOARES, Jailene Ribeiro. A promoção de Educação do campo na Amazônia Acreana através do Asas da Florestania. Revista EDUC Amazônia – Educação Sociedade e Meio Ambiente, Humaitá, a. 13, v. 24, n. 1, p. 58-69 Jan-Jun, 2020.

PEREIRA, José Ronaldo. Novas Tecnologias na Educação de Jovens e Adultos: Um estudo sobre o aprendizado na telessala. 2006. 101f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Católica de São Paulo. São Paulo, 2006.

PINHEIRO, Francisco de Moura. Florestania: meio ambiente, ideologia e hipóteses de um agendamento. In: INTERCOM – Sociedade Brasileira De Estudos Interdisciplinares Da Comunicação, 35., 2012, Fortaleza, Anais[...]. Fortaleza: Intercom, 2012.

PINHEIRO, Simone da Silva. A colonialidade do ver: o papel da mídia na construção do programa de ensino Asas da Florestania para as comunidades rurais do Acre. In: Encontro Regional Norte De História Da Mídia, 6., 2016, Rio Branco. Anais[...]. Rio Branco: ALCAR, 2016.

PINHEIRO, Simone da Silva. Asas da Florestania: o “distante” e o “difícil” o discurso de educação para os povos da cidade/floresta. 2017. 128f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Acre. Rio Branco, 2017.

SAMPIERI, Roberto. Hernández; COLLADO, Carlos Fernández; LUCIO, María del Pilar Baptista. Metodologia de Pesquisa. Tradução de Daisy Vaz de Moraes. 5. ed. Porto Alegre: Penso, 2013.

SOUZA, José Valderí Farias de. Educação do campo e da floresta: um olhar sobre a formação docente no Programa Asas da Florestania no Alto Juruá/AC. 2013. 143f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2013.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1987.

Downloads

Publicado

2024-01-15

Como Citar

de Lima Nicácio, M. (2024). O AGENCIAMENTO ECONÔMICO-FORMATIVO DA EDUCAÇÃO NO CAMPO NO ACRE. Linguagens, Educação E Sociedade, 28(56), 1 - 26. https://doi.org/10.26694/rles.v28i56.4561