IDEB/POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E CONTROLE: ASPECTOS HISTÓRICOS, CONTRADIÇÕES E REVERBERAÇÕES NAS PESQUISAS EDUCACIONAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v28i57.4667

Palavras-chave:

Avaliação externa, Controle, IDEB, Pesquisa Educacional, Polìtica Educacional

Resumo

Este texto busca discutir a política de avaliação instituída a partir do Plano de Desenvolvimento da Educação – PDE que considerou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – IDEB, como um mensurador de qualidade educacional, e como este reverbera no cotidiano escolar e das pesquisas educacionais no âmbito das universidades. Nesse sentido, incialmente buscou-se nos documentos oficiais a compreensão do modo como essa política foi gestada e implantada na educação brasileira; em seguida por meio das contribuições analíticas de Saviani (2009); Richter; Souza (2015); Freitas (2016); Bertagna; Melo (2020); e Richter Vieira (2021) procedeu-se uma discussão sobre os significados e implicações desse modelo de política nas escolas; e por fim, através de uma busca no indexador Redalyc selecionou-se os artigos publicados nos últimos 05 anos, na tentativa de compreender o modo como as pesquisas tem se apresentado no âmbito acadêmico. Como conclusão aponta-se que esse modelo de política tem trazido para a escola a responsabilização pelos resultados, fragmentação do trabalho didático pedagógico dos professores, mudanças no currículo, e, portanto, um distanciamento de um ensino emancipador, sendo substituído pela busca de resultados nos testes padronizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Darluce Andrade de Queiroz Muniz, Universidade Federal de Uberlândia

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGED/UFU. Mestra em Formação Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Formação de Professores da Educação Básica-DCIE/UESC. Professora da Educação Básica na Escola Comunitária São Boaventura, Canavieiras, Bahia, Brasil. E-mail: darluceaq@hotmail.com

Lyvia Fernanda Leal, Universidade Federal de Uberlândia

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGED/UFU. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Professora de Educação Física na Rede Municipal de Educação de Uberlândia (RME/UDI), Minas Gerais, Brasil. E-mail: lyvialeal85@hotmail.com.

Marcelo Soares Pereira da Silva, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).  Professor Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). E-mail: marcelospsilva@hotmail.com 

Sabrina Bucci Rosa, Universidade Federal de Uberlândia

Doutoranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação – PPGED/UFU. Mestre em Educação pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Professora da Secretaria Estadual da Educação de São Paulo e da Secretaria Municipal de Educação de Franca/SP- Brasil. E-mail: sabrinabrosa15@gmail.com

Referências

BERTAGNA, Regiane Helena; DE MELLO, Liliane Ribeiro. Qualidade e avaliação: influências e significados na educação brasileira/Quality and assessment: influences and meanings in brazilian educational scenario. Revista Educação e Políticas em Debate, v. 9, n. 2, p. 287-304, 2020.

BRASIL. MEC. Plano de desenvolvimento da educação: razões, princípios e programas. 2007.

BRASIL. MEC. IDEB. 2011. Disponível em: . Acesso em: 04de abr, 2014.

BRUNO, Lúcia. Educação e desenvolvimento econômico no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 16, p. 545-562, 2011.

CAMINI, L. A política educacional do PDE e do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação. RBPAE – v.26, n.3, p. 535-550, set./dez. 2010

CUNHA, Luiz Antônio. Educação e desenvolvimento social no Brasil. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1980.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Ideologia e educação brasileira. 4ª ed. São Paulo: Cortez & Moraes, 1988.

DIAS, Elisângela Teixeira Gomes. Políticas de Avaliação em larga escala da Educação Básica: revisão da liter. Linguagens, Educação e Sociedade, n. 28, p. 17-42, 2013.

FREITAS, Katia Siqueira; SOUSA, J. V. Progestão: como articular a gestão pedagógica da escola com as políticas públicas da educação para a melhoria do desempenho escolar. Módulo X, 2009.

FREITAS, Luiz Carlos de. Três teses sobre as reformas empresariais da educação: perdendo a ingenuidade. Cadernos Cedes, v. 36, p. 137-153, 2016.

MENDES, D.C.B; GEMAQUE, R.M.O. O Plano de Ações Articuladas (PAR) e sua implementação no contexto federativo brasileiro. Roteiro, Joaçaba, v. 36, n. 2, p. 293-308, jul./dez. 2011

SAVIANI, Demerval. PDE – Plano de Desenvolvimento da Educação: Análise crítica da política do MEC. São Paulo: Autores Associados LTDA. 2009.

SILVA, H. A. Um estudo sobre o índice de desenvolvimento da educação básica (ideb): como as escolas públicas municipais de juiz de fora melhoraram o seu desempenho. Dissertação (mestrado acadêmico) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Faculdade de Educação. Programa de Pós-Graduação em Educação, 2012.

VOSS¸ D. M. da S. O Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE): contextos e discursos. Pelotas [38]: 43 - 67, janeiro/abril 2011.

LUCKESI. Cipriano Carlos. Avaliação da aprendizagem escolar. 19 ed. São Paulo. Editora. 2008.

RICHTER, Leonice Matilde; SOUZA, Vilma Aparecida; SILVA, Maria Vieira. A dimensão meritocrática dos testes estandardizados e a responsabilização unilateral dos docentes. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação-Periódico científico editado pela ANPAE, v. 31, n. 3, p. 607-625, 2015.

RICHTER, Leonice Matilde; SILVA, Maria Vieira. O IDEB e seus efeitos na organização do trabalho escolar. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 37, n. 1, p. 327-350, 2021.

SILVA, Janssen Felipe; HOFFMANN, Jussara; ESTEBAN, Maria Teresa. Práticas avaliativas e aprendizagens significativas em diferentes áreas do currículo. 8ª ed. Porto Alegre. Mediação.2010

SORDI, Mara Regina Lemes de. A experimentação social da AIP em uma rede de ensino: princípios e processos contrarregulatórios em movimento. In: SORDI, Mara Regina Lemes de. Desafiando a hegemonia do campo da avaliação da qualidade das escolas: a avaliação institucional participativa como estratégia. Belo Horizonte -MG: Fino Traço, 2022. p.(24 -51)

VASCONCELLOS, Celso dos Santos. Avaliação da aprendizagem: práticas de mudanças – por uma práxis transformadora. 7 ª ed. São Paulo. Libertad. 2005.

Downloads

Publicado

2024-05-03

Como Citar

Andrade de Queiroz Muniz, D., Fernanda Leal, L. ., Silva, M. S. P. da ., & Bucci Rosa, S. (2024). IDEB/POLÍTICA DE AVALIAÇÃO E CONTROLE: ASPECTOS HISTÓRICOS, CONTRADIÇÕES E REVERBERAÇÕES NAS PESQUISAS EDUCACIONAIS. Linguagens, Educação E Sociedade, 28(57), 1 - 25. https://doi.org/10.26694/rles.v28i57.4667