FILOSOFIA E PRÁTICA DAS ESCOLAS DEMOCRÁTICAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v25i49.2779

Palavras-chave:

Educação Democrática. Educação Alternativa. Escolas Livres.

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo analisar aspectos da filosofia e da prática das Escolas Democráticas, também conhecidas como Escolas Livres. Inicialmente é traçado um breve histórico do paradigma educacional atual, no qual se baseiam os sistemas educacionais tradicionais, com um enfoque particular sobre o contexto brasileiro. Em seguida, aborda-se a fundamentação histórica e filosófica da Educação Democrática, assim como algumas de suas práticas pedagógicas. São apresentados exemplos de escolas e suas principais diferenças e características. Ao final, discute-se em que medida a experiência dessas escolas pode contribuir para o processo de revisão dos paradigmas educacionais atuais. 

Referências

ALTHUSSER, Louis (1985). Aparelhos ideológicos de Estado. 2. ed. Trad. de Valter José Evangelista e Maria Laura Viveiros de Castro. Rio de Janeiro: Graal.

BERTUCCI, Adriana (2016). Centro de Educação Infantil Aurora. Trabalho de conclusão de curso, Centro Universitário de Brasília.

BEYER, Sabine (2015). Uma Introdução à Arquitetura nas Pedagogias Alternativas. Arch Daily. http://www.archdaily.com.br/br/774406/uma-introducao-a-arquitetura-nas-pedagogias-alternativas

CAMPOS, Nathália de Freitas (2014). A experiência das crianças em uma escola democrática: olhares e interpretações. xi, 98 f., il. Dissertação (Mestrado em Processos de Desenvolvimento Humano e Saúde) - Universidade de Brasília, Brasília.

CHIES, Francielle. (2007). Escola nova. Em //francielle.wordpress.com/2007/11/16/escola-nova/.

SENAI (2016). Transcrição do discurso da Ministra da Educação da Finlândia, proferido em março de 2016 em Brasília, no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). Mimeo.

DE SAES, Décio Azevedo Marques (2007). A ideologia docente em A reprodução, de Pierre Bourdieu e Jean-Claude Passeron. Educação & Linguagem, Ano 10, Nº 16. P. 106-125, jul-dez/2007.

ELIAS, Nobert. O processo civilizador, vol 2: formação do Estado e civilização. Jorge Zahar Editores: Rio de Janeiro, 1993.

FERRARI, Márcio (2011). Pedagogia Célestin Freinet. Educar para Crescer. Revista Escola. Editora Abril. http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/celestin-freinet-307897.shtml

FOUCAULT, Michel (1987). Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Trad. Lígia M. Ponde Vassalo. Petrópolis: Vozes, 1987.

FREIRE, Paulo (1996). Pedagogia do oprimido. 23ª reimpressão. São Paulo, Editora Paz e Terra.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 4a Ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

ILLICH, Ivan (1985). Sociedade sem escolas. Tradução de Lúcia Mathilde Endlich Orth, 7ª Edição, Vozes, Petrópolis, 1985.

JARDIM et Al. (2012). Adolphe Ferrière. Em http://apostasemei.blogspot.com.br/2012/05/adolphe-ferriere.html

NOGUEIRA, Cláudio Marques Martins; NOGUEIRA, Maria Alice (2002). A sociologia da educação de Pierre Bourdieu: limites e contribuições. Educação & Sociedade, ano XXIII, no 78, Abril/2002.

SANTOS, Christiane Soní Costa da Cunha (2011). Gestão da escola pública: desafio para a consolidação de uma educação democrática e participativa. Artigo apresentado ao Curso de Pós-graduação em Administração, Supervisão e Orientação Escolar como requisito à obtenção do título de especialista em Administração, Supervisão e Orientação Escolar. Faculdade Redentor Departamento Nacional de Pós-Graduação e Atualização. Três Rios, RJ.

SIMÕES, Cássia et al (2006). A construção do coletivo no cotidiano escolar. RPD – Revista Profissão Docente, Uberaba, v.5, n. 13, p. 68- 74, jan/set. 2006 – ISSN 1519-0919.

SINGER, Helena (2010). República de Crianças: sobre experiências escolares de resistência. Campinas, Mercado de Letras.

SIQUEIRA, Alessandra Maria de Oliveira et al. (2011). A importância da afetividade na aprendizagem dos alunos. Trabalho apresentado a FACETEN – Faculdade de Ciências, Educação e Tecnologia do Norte do Brasil, no curso de licenciatura plena em pedagogia, como avaliação final do curso (TCC).

TOSTO, Rosanei (2011). Escolas democráticas: utopia ou realidade. Revista Pandora Brasil, Edição especial Nº 4, "Cultura e materialidade escolar".

VYGOTSKY, L. (2007). A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes.

Downloads

Publicado

2022-08-28

Como Citar

DE OLIVEIRA BERTUCCI, J. . (2022). FILOSOFIA E PRÁTICA DAS ESCOLAS DEMOCRÁTICAS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO. Linguagens, Educação E Sociedade, 25(49). https://doi.org/10.26694/rles.v25i49.2779