PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: A FORMAÇÃO CONTINUADA E O PROCESSO DE DIDATIZAÇÃO EM LÍNGUA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/les.v0i43.9664

Palavras-chave:

PNAIC, Formação Docente, Ensino de Língua Portuguesa

Resumo

Esse estudo busca analisar a influência do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa – PNAIC no processo de didatização do ensino de língua portuguesa nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Está ancorado nos campos da formação docente e da alfabetização. O corpus teórico conta com contribuições de autores, tais como: Morais (2019; 2012), Soares (2017), Chartier (2007), Garcia (1999), Pereira (2012), entre outros. Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa (ANDRÉ, 2003) que recorreu, como técnica de investigação, à observação participante (LÜDKE; ANDRÉ, 1986). A produção dos dados teve início no primeiro semestre de 2019, em três turmas do Bloco Inicial de Alfabetização (1º, 2º e 3º anos). Três das doze observações previstas compuseram o escopo de análise. Os dados preliminares indicam, a partir de um dos eixos priorizados nos cadernos do PNAIC, o sistema de escrita alfabética, que, como previsto, houve predominância da exploração de leitura das unidades: letra, sílaba e palavra por parte das turmas de primeiro e segundo anos. Já em relação a sentenças/frase, a turma de terceiro ano também investiu nesse encaminhamento. A unidade linguística escrita de palavras foi priorizada nas três turmas acompanhadas. Embora o estudo tenha comprovado uma atenção dada à comparação de palavras quanto ao número de sílabas e letras, inexistiu uma prática com rimas entre os três grupos-classe. Alinhando-se às proposições do PNAIC, as professoras vinham empreendendo esforços em articular os campos da alfabetização e do letramento.

Biografia do Autor

MARIA DJANIRA VIEIRA VASCOCELOS, Universidade de Brasília

Mestranda em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Brasília (UnB) /Brasil. Professora servidora Pública da SEEDF. 

SOLANGE ALVES DE OLIVEIRA MENDES, Universidade Federal de Pernambuco

Professora Associada da Universidade de Brasília. Doutora pela Universidade Federal de Pernambuco em articulação com o Institut Nacional de Recherche Pédagogique, através do doutorado sanduíche. Professora do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Educação da UnB.

CARLA PATRÍCIA ACIOLI LINS, Universidade Federal de Pernambuco

Doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora do Programa de Pós Graduação em Educação Contemporânea- PPGEDUc - Campus Agreste da Universidade Federal de Pernambuco. 

Referências

BRASIL. Ministério da Educação – Secretaria de Educação Fundamental. Programa de Formação Professores Alfabetizadores – Documento de Apresentação. Brasília: MEC,

BRASIL. Ministério da Educação – Secretaria de Educação Fundamental. Programa de Formação Professores Alfabetizadores – Modulo I. Brasília: MEC, 2001.

BRASIL. Ampliação do Ensino Fundamental para nove anos. Ministério da Educação – Secretaria de Educação Básica, Brasília, 2006.

BRASIL. Rede Nacional de Formação Continuada de Professores de Educação Básica: Orientações Gerais- Objetivos Diretrizes Funcionamento. Ministério da Educação –Secretaria de Educação Básica, Brasília, 2006.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica.Diretoria de Apoio á Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: formação do professor alfabetizador. Caderno de Apresentação. Brasília: MEC, SEB, 2012.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: Formação de professores no PACTO

Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Caderno de Apresentação. Brasília: MEC, SEB, 2012.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio á Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Interdisciplinaridade nos ciclos de Alfabetização. Caderno de Apresentação. Brasília: MEC, SEB, 2015.

CHARTIER, Anne-Marie. Práticas de leitura e escrita: história e atualidade. Tradução Flávia Sarti e Teresa Van Acker. Belo Horizonte: Ceale/Autêntica, 2007.

CHEVALLARD, Yves. La transposición didáctica: Del saber sábio al saber enseñado. Buneos Aires. Aique Grupo Editor, 2005.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de fazer. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

FERREIRO, Emilia; Teberosk, Ana. A Psicogênese da Língua Escrita. Porto Alegre: Artes Medicas 1985.

FRANCO, Maria Laura Puglisi Barbosa. Análise de conteúdo. 3ª Edição. Brasília: Liber Livro Editora, 2008.

GARCIA, Carlos Marcelo. Formação de professores para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

LUDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo Afonso. Pesquisa em Educação: Abordagens Qualitativas. São Paulo: EPU,1986.

MORAIS, Artur Gomes de. Consciência Fonológica na Educação Infantil e no Ciclo de Alfabetização. 1º Edição. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2019.

MORAIS. Sistema de escrita alfabética. São Paulo: Melhoramentos, 2012.

MORAIS. Ortografia - Ensinar e Aprender. São Paulo: Ática, 1998.

PEREIRA, Cláudia Justus Tôrres. A Formação do Professor Alfabetizador: desafios e possibilidades na construção da prática docente. Dissertação (Mestrado) – Fundação Universidade Federal de Rondônia. 2012.

SOARES, Magda. Alfabetização e Letramento. 7. ed. São Paulo: Contexto, 2017.

SOARES, Magda. Letramento: um tema em três gêneros. Belo Horizonte: Autentica, 2009.

Downloads

Publicado

2019-11-29

Como Citar

VIEIRA VASCOCELOS, M. D. ., DE OLIVEIRA MENDES, S. A. ., & ACIOLI LINS, C. P. . (2019). PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA: A FORMAÇÃO CONTINUADA E O PROCESSO DE DIDATIZAÇÃO EM LÍNGUA. Linguagens, Educação E Sociedade, (43), 242-264. https://doi.org/10.26694/les.v0i43.9664

Edição

Seção

Dossiê Temático