SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS E CURADORIA DE INFORMAÇÕES NAS MÍDIAS DIGITAIS PARA A PRODUÇÃO DE ARTIGOS DE OPINIÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/les.v0i43.8875

Palavras-chave:

Sequências didáticas, Curadoria de informações, Artigo de opinião

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi verificar as contribuições das mídias digitais para o ensino-aprendizagem da argumentação escrita junto a alunos dos anos finais do Ensino Fundamental. Tomando como referenciais teóricos as Sequências Didáticas (SD) idealizadas pelo Grupo de Didática das Línguas da Universidade de Genebra, investigou-se como as mídias digitais poderiam contribuir, por meio do processo de curadoria de informações, para o ensino-aprendizagem de artigos de opinião, nas aulas de língua portuguesa. Por meio da metodologia de pesquisa-ação, identificaram-se estratégias utilizadas e dificuldades encontradas pela professora-colaboradora, no trabalho com o gênero em questão. Elaborou-se e validou-se uma SD de produção de artigos de opinião integrada às mídias digitais, junto a alunos de uma escola municipal. O processo de validação da SD demonstrou ter havido avanços quanto às capacidades de linguagem dos discentes, verificados por meio de análises qualitativas e quantitativas de produções iniciais e finais. O processo de curadoria de informações indicou, nos artigos produzidos pelos alunos, avanços, especialmente, quanto às capacidades de ação e discursivas.

Biografia do Autor

CLAUDIA ZUCATELLI, Universitário Fundação Santo André

Possui Licenciatura Plena em Letras pelo Centro Universitário Fundação Santo André/CUFSA (2004), Especialização em Ensino de Ciências da Natureza e suas Tecnologias pela Universidade de São Paulo/USP (2011) e Mestrado em Educação pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul/USCS (2017). 

ALAN CESÁR BELO ANGELUCI, University of Texas at Austin

Desenvolveu estudos de pós-doutorado no Department of Radio-Television-Film, Moody College of
Communication, University of Texas at Austin (EUA) e no Departamento de Informação e Cultura da Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP). Doutor em Ciências com ênfase em Sistemas Eletrônicos pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo - EPUSP. Realizou Doutorado Sanduíche na University of Brighton, Inglaterra, por meio do programa Ciência sem Fronteiras (CNPq). Mestre em Televisão Digital pela Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP. Bacharel em Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo pela mesma Instituição. É líder do Smart Media & Users, cadastrado no diretório de grupos de pesquisas do CNPq. É coordenador do GP Conteúdos Digitais e Convergências Tecnológicas da Intercom. 

ANA SÍLVIA MOÇO APARÍCIO, Universidade Estadual de Campinas

Possui graduação em Letras, mestrado e doutorado em Linguística Aplicada pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), com estágio sanduíche em Didática de Língua Materna no LIDILEM (Laboratoire de Linguistique et Didactique des Langues Etrangères et Maternelle) de l`Université Stendhal Grenoble 3, na França, e pós-doutorado em Educação pela Fundação Carlos Chagas. 

Referências

AÇÃO EDUCATIVA; INSTITUTO PAULO MONTENEGRO. Indicador de alfabetismo funcional. Estudo especial sobre alfabetismo e mundo do trabalho. São Paulo: Instituto Paulo Montenegro, 2016. p. 1-26.

AMARAL, A. Curadoria de informação e conteúdo na web: uma abordagem cultural. In: CORRÊA, E. N. S. (org.) Curadoria digital e o campo da comunicação. São Paulo: ECAUSP, 2012. p. 40-50. AUTOR (2016)

BAKHTIN, M. M. Estética da criação verbal. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BEIGUELMAN, G. Curadoria de informação. Palestra, USP, 2011. Disponível em: http://www.slideshare.net/gbeiguelman/curadoria-informacao. Acesso em 7 ago. 2017.

BRAKLING, K. L. Trabalhando com artigo de opinião: revisitando o eu no exercício da (re) significação da palavra do outro. In: ROJO, R. (org.) A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. Campinas: Mercado de Letras, 2000. p. 221-247.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: língua portuguesa. 1ª ed. Brasília: MEC/SEF,1997.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, discurso e desenvolvimento humano. 1ª ed.Campinas: Mercado de Letras, 2006.

CENPEC. Pontos de vista. Caderno do professor: orientações para produção de textos. 5ª ed.São Paulo: Cenpec, 2016.

CUNHA, H. C. M. A construção da argumentação no ensino médio: um trabalho técnico e retórico. In: Encontro Nacional de professores de Letras e Artes, 4., Rio de Janeiro, 2009. Anais… Rio de Janeiro: Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia Fluminense,2009. p. 1-8.

DOLZ, J.; NOVERRAZ, M.; SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 81-108.

DOLZ, J.; SCHNEUWLY, B. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita: elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004. p. 35-60.

GILSTER, P. Digital literacy. 1ª ed. New York: Wiley, 1997.

GONÇALVES, A. V.; BARROS, E. M. D. Planejamento sequenciado da aprendizagem: modelos e sequências didáticas. Revista Linguagem & Ensino, v. 13, n. 1, p. 37-69, 2010.

GONÇALVES, A. V.; FERRAZ, M. R. R. Ferramentas didáticas e ensino: da teoria à prática de sala de aula. In: NASCIMENTO, E. L. Gêneros Textuais: da didática das línguas aos objetos de ensino. São Carlos: Editora Claraluz, 2009. p. 209-230.

GONÇALVES, A. V.; NASCIMENTO, E. L. Avaliação formativa: autorregulação e controle da textualização. Trabalhos em Linguística Aplicada, v. 49, n. 1, p. 241-257, 2010.

HOBBS, R. Digital and media literacy: a plan of action. 1ª ed. Washington DC: The Aspen Institute, 2010.

KEEN, A. O culto do amador. 1ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.

LEMES, N. Argumentação, livro didático e discurso jornalístico: vozes que se cruzam na disputa pelo dizer e silenciar. 2013. 116f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto/USP, Ribeirão Preto/SP, 2013.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONÍSIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (orgs.) Gêneros textuais e ensino. São Paulo:Parábola Editorial, 2010. p. 19-38.

MIHAILIDIS, P.; COHEN, J. 2013. Exploring curation as a core competency in digital and media literacy education. Journal of Interactive Media in Education, v. 1, art. 2, 2013.

RODRIGUES, R. H. O artigo jornalístico e o ensino da produção escrita. In: ROJO, R. (org.) A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. Campinas: Mercado de Letras, 2000. p. 207-220.

ROJO, R. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. 1ª ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

ROJO, R.; ALMEIDA, E. M. Multiletramentos na Escola. 1ª ed. São Paulo: Parábola Editora, 2012.

ROSENBLAT, E. Critérios para a construção de uma sequência didática no ensino dos discursos argumentativos. In: ROJO, R. (org.) A prática de linguagem em sala de aula: praticando os PCNs. Campinas: Mercado de Letras, 2000. p. 185-205.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Os gêneros escolares: das práticas de linguagem aos objetos de ensino. In: SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas:Mercado de Letras, 2004. p. 61-78.

SHIRKY, C. Cognitive surplus: how technology makes consumers into collaborators. 1ª ed.New York: Penguin, 2010.

SOARES, M. Português na escola: história de uma disciplina curricular. In: BAGNO, M.Linguística da norma. São Paulo: Edições Loyola, 2002. p. 155-177.

TERRA, C. F. Usuário-mídia: o curador das mídias sociais? In: CORRÊA, E. N. S. (org.) Curadoria digital e o campo da comunicação. São Paulo: ECA-USP, 2012. p. 51-72.

WEISGERBER, C. Building thought leadership in an age of curation. 2012. Disponível em: https://pt.slideshare.net/corinnew/building-thought-leadership-through-content-curation.Acesso em 15/08/2017.

Downloads

Publicado

2019-11-29

Como Citar

ZUCATELLI, C. ., BELO ANGELUCI, A. C. ., & MOÇO APARÍCIO, A. S. . (2019). SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS E CURADORIA DE INFORMAÇÕES NAS MÍDIAS DIGITAIS PARA A PRODUÇÃO DE ARTIGOS DE OPINIÃO. Linguagens, Educação E Sociedade, (43), 287-310. https://doi.org/10.26694/les.v0i43.8875

Edição

Seção

Artigos