A PRESENÇA DA EDUCAÇÃO POPULAR NAS CARTAS DE CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v27i53.2881

Palavras-chave:

Palavras-chave: História da Educação Popular. Educação Popular. Saúde. Cartas.

Resumo

O artigo objetiva evidenciar a presença dos temas: Educação Popular e Saúde, em cartas de Carlos Rodrigues Brandão a fim de promover um diálogo entre esses dois campos de atuação. Trata-se de uma pesquisa documental tendo como base materiais inéditos de Carlos Rodrigues Brandão (cartas) e outros materiais oriundos de revistas: Cadernos do Centro Ecumênico de Documentação e Informação (CEDI) e Cadernos de Educação Popular do Nova: pesquisa, avaliação e assessoria, as quais são importantes interlocutoras dos processos educativos, vinculando as temáticas Educação Popular e Saúde. A análise dos dados teve contribuições reflexivas de autores referência do campo da Educação Popular, entre eles destacamos: Paulo Freire, Osmar Fávero, Fernanda Paulo e Eymard Mourão Vasconcelos. Identificamos, entre os resultados deste estudo, que no Brasil e na América Latina, há uma carência de estudos documentais de primeira mão, referindo-se a Educação Popular. As experiências apresentadas são pouco conhecidas e estudadas, desta forma, possuem potencial para a produção de educações de insurgências: isto é uma pedagogia latino-americana.

Biografia do Autor

Fernanda dos Santos Paulo, Universidade do Oeste de Santa Catarina

Doutora em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Especialista em Educação Popular: Gestão de Movimentos Sociais pela Brava Gente e Instituto. Graduada em Pedagogia pelo Centro Universitário Metodista. Atualmente é professora do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd) da Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC). É coordenadora da pesquisa intitulada: Memória e História da Educação Popular a partir do Levantamento e Catalogação das Cartas de Carlos Rodrigues Brandão: contribuições para a Pedagogia Latino-Americana, financiada pelo CNPq.

Mônica Tessaro, Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc).

Doutora em Educação pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (Unoesc). Mestre em Educação pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECO). Graduada em Psicologia pela UNOCHAPECO. Professora do curso de Psicologia, Bairro Flor da Serra, Joaçaba, Santa Catarina, Brasil.

Referências

BRASIL. Portaria nº 1.256, de 17 de junho de 2009. Institui o Comitê Nacional de Educação Popular em Saúde (CNEPS). Diário Oficial da União, Brasília, 17 jun. 2009. Disponível em:https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2009/prt1256_17_06_2009.html. Acesso em: 10 maio 2021.

BRASIL. Portaria nº 2.761, de 19 de novembro de 2013. Institui a Política Nacional de Educação Popular em Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde - PNEP-SUS. Diário Oficial da União, Brasília, 19 nov. 2013. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2761_19_11_2013.html. Acesso em: 10 maio 2021.

BRASIL. Portaria nº 11, de 23 de maio de 2014. Institui o Marco de Referência da Educação Popular para as Políticas Públicas. Diário Oficial da União, Brasília, 23 e maio 2014.Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt1082_23_05_2014.html. Acesso em: 10 maio 2021.

BRANDÃO, C. R.; ASSUMPÇÃO, R. Cultura rebelde: escritos sobre a educação popular ontem e agora. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2009.

CONDINI, M. A Pedagogia da Esperança em Dom Helder Camara. Revista de Ensino e Pesquisa em Administração e Engenharia, São Paulo, v. 2, n. 1, p. 147- 164, jan./jun. 2016. Disponível em: https://redib.org/Record/oai_articulo1775607-a-pedagogia-da-espera%C3%A7a-em-dom-helder-camara. Acesso em: 14 mar. 2021.

FÁVERO, O.; MOTTA, E. Educação popular e educação de jovens e adultos: memória e história. In: VIII ENCONTRO NACIONAL DO CENTRO DE MEMÓRIA, 2016, São Paulo. Anais: VIII Encontro Nacional do Centro de São Paulo: Unicamp, 2016, p. 1-15.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: Um reencontro com a Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FURTADO, C. Formação Econômica do Brasil.34. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GOMES, L. B.; MERHY, E. E. Compreendendo a Educação Popular em Saúde:

um estudo na literatura brasileira. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, RJ, 27(1), p. 7-18, jan. 2011. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/csp/2011.v27n1/7-18/pt. Acesso em: 25 jul. 2021.

MAUÉS, R. H. Comunidades "no sentido social da evangelização": CEBs, camponeses e quilombolas na Amazônia Oriental Brasileira. Religião & Sociedade, Rio de Janeiro, RJ, v. 30, n. 2, p. 13-37, 2010. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rs/v30n2/a02v30n2.pdf>. Acesso em: 21 jan. 2021.

PAULO, F. dos S. A formação dos (as ) educadores (as)populares a partir da práxis: um estudo de caso da AEPPA. 2013. 278f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

PAULO, F. dos S. Pioneiros e pioneiras da educação popular freiriana e a universidade. 2018. 269 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2018.

PAULO, F. dos S. Carlos Rodrigues Brandão (1940). In.: PITANO, S. de C.;STRECK, D. R.; MORETTI, C. Z. (Org.). Paulo Freire: uma arqueologia bibliográfica. 1. ed. Curitiba:Appris, 2019.

PAULO, F. dos S.; SANTOS, M. S. Cartas De Carlos Rodrigues Brandão e a Educação Não Escolar. In: PAULO, F. dos S.; DICKMANN, I. (Org.). Cartas pedagógicas: tópicos epistêmico-metodológicos na educação popular. 1. ed. Chapecó: Livrologia, 2020, p. 88-102.

PAULO, F. dos S; GAIO, A. Educação popular nas cartas do educador Carlos Rodrigues Brandão: contribuições para a pedagogia latino-americana– Chapecó: Livrologia, 2021.

STRECK, D. R.; ESTEBAN, M. T. Educação popular: lugar de construção social coletiva. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

VASCONCELOS, E. M. Educação popular nos serviços de saúde. São Paulo: Hucitec, 1988.

VASCONCELOS, E. M. Educação popular: de uma prática alternativa a uma estratégia de gestão participativa das políticas de saúde. Physis: Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, RJ, v. 14, n. 1, p. 67-84, 2004. Disponível em:https://www.scielo.br/j/physis/a/zdzwnsyC9nQV8dNgsDqbxLd/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 10 fev. 2021.

VASCONCELOS, E. M. Educação popular e a atenção à saúde da família. 4. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

VASCONCELOS, E. M. Educação popular em saúde: constituição e transformação de um campo de estudos e práticas na Saúde Coletiva. In: PELICIONI, M. C.; MIALHE, F. L.(Org.). Educação e promoção da saúde: teoria e prática. São Paulo: Santos, 2012. p. 313-348.

VASCONCELOS, E. M.; VASCONCELOS, M. O. D.; SILVA, M. O. da. A contribuição da Educação Popular para a reorientação das práticas e da política de saúde no Brasil. Revista da FAEEBA - Educação e Contemporaneidade, Salvador, BA, v. 24, n. 43, p. 89-106, jan./jun. 2015. Disponível em:http://www.edpopsus.epsjv.fiocruz.br/sites/default/files/texto-2-1-artigo-eymard.pdf. Acesso em: 20 jan. 2021.

Downloads

Publicado

2023-03-24

Como Citar

Santos Paulo, F. dos ., & Tessaro, M. . (2023). A PRESENÇA DA EDUCAÇÃO POPULAR NAS CARTAS DE CARLOS RODRIGUES BRANDÃO. Linguagens, Educação E Sociedade, 27(53), 327-352. https://doi.org/10.26694/rles.v27i53.2881