A BNCC E A EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: O CASO DO DOCUMENTO CURRICULAR REFERENCIAL MUNICIPAL DE ITAMARAJU (BAHIA)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rles.v28i56.4865

Palavras-chave:

BNCC, Educação Escolar Indígena, Políticas educacionais, Povo Pataxó

Resumo

Este artigo apresenta um estudo sobre os níveis de adesão aos pressupostos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e das diretrizes da modalidade Educação Escolar Indígena no currículo municipal. Por meio de uma pesquisa qualitativa realizada com base na análise documental e no estudo de caso do documento curricular do município de Itamaraju (Bahia), do Ensino Fundamental, identificaram-se alguns níveis de consonância aos parâmetros da BNCC e aos marcos legais e pedagógicos da educação escolar indígena, sobretudo, a respeito da inclusão do componente curricular Língua Materna (Patxohã) do povo Pataxó do sul da Bahia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliete da Silva Pereira, Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo

Doutora em Ciências da Comunicação (USP). Pós-Doutoranda no Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP), com Bolsa de Pós-Doutorado Sênior CNPq, São Paulo, SP, Brasil. 

Referências

AGUIAR, M. A. da S.; DOURADO, L. F. (org.). A BNCC na contramão do PNE 2014-2024: avaliação e perspectivas. [Livro Eletrônico]. Recife: ANPAE, 2018.

BAHIA. Secretaria de Educação do Estado da Bahia. Documento curricular referencial da Bahia para educação infantil e ensino fundamental (v. 1). Rio de Janeiro: FGV Editora, 2020.

BANIWA, Gersem. BNCC e a diversidade indígena: desafios e possibilidades. In: SIQUEIRA, Ivan Cláudio Pereira. (org.). BNCC: educação infantil e ensino fundamental. São Paulo: Fundação Santillana, 2019. p. 38-55.

BANIWA, Gersem. O parecer do CNE sobre a Educação Escolar Indígena na BNCC e aplicabilidade nas escolas indígenas. Fórum Nacional de Educação Escolar Indígena (FNEEI) e do Fórum de Educação Escolar e Saúde Indígena do Amazonas (FOREEIA). [2022]. 1 vídeo (1 hora e 54 minutos). [webinar]. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=556hflH4-eg&t=5842s. Acesso em: 12 set. 2022.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Congresso Nacional, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes para a Política Nacional de Educação Escolar Indígena. Brasília: MEC-SEF; Comitê Nacional de Educação Escolar Indígena, 1994.

BRASIL. Leis de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 23 dez. 1996. Ano CXXXIV, n. 248.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Resolução CEB Nº 3, de 10 de novembro de 1999. Fixa Diretrizes Nacionais para o funcionamento das escolas indígenas e dá outras providências. Câmara de Educação Básica. Conselho Nacional de Educação. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 13 abr. 1999.

BRASIL. Decreto Nº 5.051, de 19 de abril de 2004. Promulga a Convenção no 169 da Organização Internacional do Trabalho - OIT sobre Povos Indígenas e Tribais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 19 abr. 2004.

BRASIL. Câmara de Educação Básica. Parecer nº 14/1999. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 1999.

BRASIL. Lei n.º 10.172, de 9 de janeiro de 2001: Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 10 jan. 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. As leis e a educação escolar indígena. Brasília: Programa Parâmetros em Ação; Educação Escolar Indígena, 2002b.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CP nº 010/2002. Brasília, DF: Conselho Nacional de Educação, 2002.

BRASIL. Ministério da Educação. Referenciais para formação de professores indígenas. Brasília: MEC/SEF, 2002, mimeo.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Cenário contemporâneo da Educação Escolar Indígena no Brasil. Brasília, DF: MEC/CNE, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP). Censo educacional. Brasília, DF: Inep, 2021.

BOMFIM, A. Patxohã: a retomada da língua do povo Pataxó. Revista Linguística, 13(1), 303-327, 2017. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rl/article/view/10433

CANDAU, Vera (Org.). Educação intercultural e cotidiano escolar. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2006.

GONÇALVES, R. M.; MACHADO, T. M. R.; CORREIA, M. J. N. A BNCC na contramão das demandas sociais: planejamento com e planejamento para. Práxis Educacional, Vitória da Conquista, v. 16, n. 38, p. 338-351, 2020. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/6012. Acesso em: 12 ago. 2023.

GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. Educação em contexto de diversidade étnica: os povos indígenas e o paradigma da educação intercultural no Brasil. In: RAMOS, Marise (Org.). Diversidade na educação: reflexões e experiências. Brasília: MEC/SEMTEC, 2003a. p. 111-121.

GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. Um território ainda a conquistar. In: IBASE. (Org.). Educação escolar indígena em Terra Brasilis, tempo de novo descobrimento. Rio de Janeiro: IBASE, 2004. p. 33-55.

GRUPIONI, Luís Donisete Benzi. Formação de professores indígenas: repensando trajetórias. Brasília, DF: MEC/SECAD, 2006.

ITAMARAJU. Secretaria de Educação. Departamento de Educação Básica. Documento Curricular Referencial Municipal de Itamaraju para Educação Infantil e Ensino Fundamental. Itamaraju - Bahia: Secretaria de Educação, 2020.

KNAPP, C.; MARTINS, A. M. S. Alguns apontamentos para a efetivação de uma educação escolar indígena específica e diferenciada: identificando os desafios e construindo possibilidades. In: LANDA, M. B.; HERBETTA, A. F. (org.). Educação indígena e interculturalidade: um debate epistemológico e político. Goiânia: Editora da Imprensa Universitária, 2017. p. 82-115.

LEIVAS, Paulo Gilberto Cogo Leivas, Roger Raupp Rios, Gilberto Schäfer. Educação escolar indígena no direito brasileiro: do paradigma integracionista ao paradigma do direito à uma educação diferenciada. Revista da AJURIS – v. 41 – n. 136 – dezembro de 2014, p. 371-383.

LUCIANO, G. J. Educação escolar indígena no Brasil: avanços, limites e novas perspectivas. 36ª Reunião Nacional da ANPEd – 29 de setembro a 02 de outubro de 2013, Goiânia-GO.

LUCIANO, G. J. Língua, educação e interculturalidade na perspectiva indígena. Revista de Educação Pública, [S. l.], v. 26, n. 62/1, p. 295-310, 2017. DOI: 10.29286/rep.v26i62/1.4996. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/educacaopublica/article/view/4996. Acesso em: 01 jun. 2022.

MILITÃO, A. N. Contrapontos da BNCC para a Educação Escolar Indígena. Olhar de Professor, [S. l.], v. 25, p. 1–17, 2022. DOI: 10.5212/OlharProfr.v.25.20938.047. Disponível em: https://revistas.uepg.br/index.php/olhardeprofessor/article/view/20938. Acesso em: 29 mai. 2023

SILVA, Fábio Dantas de Souza; SENA, Ivania P. Freitas de Souza. Base Nacional Comum Curricular: confronto entre o marco legal e a política em implementação. Linguagens, Educação e Sociedade, v. 26, n. 52, 249-270, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.26694/rles.v26i52.3132. Acesso em: 03 nov. 2023.

Downloads

Publicado

2024-01-15

Como Citar

da Silva Pereira, E. (2024). A BNCC E A EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: O CASO DO DOCUMENTO CURRICULAR REFERENCIAL MUNICIPAL DE ITAMARAJU (BAHIA) . Linguagens, Educação E Sociedade, 28(56), 1 - 29. https://doi.org/10.26694/rles.v28i56.4865