DISPOSITIVO DE ANTECIPAÇÃO DA ALFABETIZAÇÃO E POLÍTICAS CURRICULARES CONTEMPORÂNEAS: GOVERNANDO CRIANÇAS E DOCENTES

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/les.v0i43.9689

Palavras-chave:

Alfabetização, Currículo, Base Nacional Comum Curricular

Resumo

Este artigo analisa três documentos curriculares recentes – os Cadernos de Formação do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (BRASIL, 2012), a Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2018) e o Caderno da Política Nacional de Alfabetização (BRASIL, 2019) – para compreender de que modo o dispositivo de antecipação da alfabetização opera nesses textos para produzir a criança alfabetizada. Com base em uma perspectiva foucaultiana, considero que um dispositivo se constitui de elementos diversos e tem como objetivo eliminar determinados riscos e governar dadas populações. O dispositivo de antecipação da alfabetização pretende governar crianças e docentes a fim de produzir uma criança que se alfabetize o quanto antes, eliminando os riscos que uma população analfabeta pode representar. Argumento que para justificar a antecipação da alfabetização como estratégia fundamental para a diminuição dos riscos que envolvem a população infantil, os três documentos curriculares utilizam a expertise e a argumentação em torno da ciência como técnica importante. Embora se utilizem de técnicas semelhantes, as definições de quem são os experts e qual ciência é a verdadeira variam nos documentos, gerando tensões e conflitos em torno de que conhecimentos e saberes são válidos no processo de alfabetização. Com base na análise de discurso de inspiração foucaultiana, mostro as condições de emergência para que essas verdades sejam afirmadas, bem como os conflitos que se estabelecem na demanda pelas posições de sujeito criança alfabetizada e boa professora alfabetizadora.

Biografia do Autor

MARIA CAROLINA DA SILVA CALDEIRA, Universidade Federal de Minas Gerais

Professora do Centro Pedagógico/UFMG. Professora do PPGE/FaE/UFMG. Doutora em Educação.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é um dispositivo. Outra travessia. Ilha de Santa Catarina, n. 5, p. 9-16, 2° semestre de 2005.

BRASIL. Ampliação do ensino fundamental para nove anos: 3º relatório do Programa. Brasília: MEC/SEB, 2004.

BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: formação do professor alfabetizador: Caderno de apresentação. Brasília: MEC, SEB, 2012a.

BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: currículo na alfabetização: concepções e princípios. Brasília: MEC, SEB, 2012b.

BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: apropriação do sistema de escrita alfabética. Brasília: MEC, SEB, 2012c.

BRASIL. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: apropriação do sistema de escrita alfabética e a consolidação do processo de alfabetização em escolas do campo. Brasília: MEC, SEB, 2012d.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, SEB, 2018.

BRASIL. PNA – Política Nacional de Alfabetização. Brasília: MEC, SEALF, 2019.

CALDEIRA, Maria Carolina da Silva; PARAÍSO, Marlucy Alves. Dispositivo da antecipação da alfabetização: condições de emergência e seus contornos atuais. Cadernos de Pesquisa (Fundação Carlos Chagas), v. 46, p. 846-868, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cp/v46n161/1980-5314-cp-46-161-00846.pdf

CORAZZA, Sandra; TADEU, Tomaz. Dr. Nietzche, curriculista – com uma pequena ajuda do professor Deleuze. In: TADEU, T; CORAZZA, S. Composições. Belo Horizonte: Autêntica, 2003, p. 35-57.

DREYFYS, Hubert; RABINOW, Paul. Michel Foucault: Uma trajetória filosófica para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense, 1995.

FOUCAULT, Michel. Sobre a história da sexualidade. In: MACHADO, Roberto. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2000a. p. 243-276.

FOUCAULT, Michel. Nietzche, a genealogia e a história. In: MACHADO, Roberto. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2000b. p. 15-37.

FOUCAULT, Michel. Não ao sexo rei. In: MACHADO, Roberto. Microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2000c. p. 229-242

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: a vontade de saber. São Paulo: Graal, 2006.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFYS H. & RABINOW, P. Michel Foucault: Uma trajetória filosófica para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de

Janeiro, Forense, 1995, p. 231-249.

FOUCAULT, Michel. Resumo dos Cursos do Collège de France. Rio de Janeiro: Zahar,1997.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. Petrópolis: Vozes, 1999.

FOUCAULT, Michel. Arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

FREIRE, Paulo.Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

HEYWOOD, Colin. Uma história da infância. Porto Alegre: Artes Médicas, 2005.

LOURENÇO FILHO, Manuel. Testes ABC para a verificação da maturidade necessária à aprendizagem da leitura e da escrita. 13. ed. Brasília, DF: Inep, 2008.

MACEDO, Elizabeth. As demandas conservadoras do movimento escola sem partido e a Base Nacional Curricular comum. Educação & Sociedade (Impresso), v. 38, p. 507-524, 2017.

OLIVEIRA, Sueli. O ingresso no ensino fundamental com cinco anos: direito à escolarização ou negação do direito à infância? 2012 (Ensaio). Disponível em:<http://www.mp.rs.gov.br/ infância/doutrina/id694.htm>. Acesso em: 30 mar. 2013.

ORWELL, George. Revolução dos bichos. São Paulo: Companhia dos bichos, 2000. (Versão para e-book).

PARAÍSO, Marlucy. Currículo e mídia educativa brasileira: poder, saber, subjetivação. Chapecó-SC: Editora Argos, 2007.

REVEL, Judith. Michel Foucault: conceitos essenciais. São Carlos: Claraluz, 2005.

ROSE, Nikolas. Governando a alma: a formação do eu privado. In: SILVA, Tomaz Tadeu (org.). Liberdades Reguladas. Petrópolis: Vozes, 1998, p. 30-45.

ROSE, Nikolas. Como se deve fazer a história do eu. Educação e Realidade. Porto Alegre, v. 26, n. 1, p. 33-57, 2001.

SANTOS, Lucíola. VIEIRA, Lívia. “Agora seu filho entra mais cedo na escola”: a criança de seis anos no ensino fundamental de nove anos em Minas Gerais. Educação & Sociedade. Campinas, v. 27, n. 96, p. 775-796, out. 2006.

SILVA, Tomaz Tadeu. As pedagogias psi e o governo do eu nos regimes neoliberais. In: SILVA, T. T. Liberdades Reguladas. Petrópolis: Vozes, 1998, p. 7-13.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

SOARES, Magda. Simplificar sem falsificar. Guia da Alfabetização. Educação (São Paulo), v. 1, p. 6-11, 2010.

STREET, Brian. Os novos estudos sobre o letramento: histórico e perspectivas. In: MARINHO, Marildes. CARVALHO, Gilcinei. Cultura escrita e letramento. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 2010, p. 33-53.

BELLO, Samuel; TRAVERSINI, Clarice. Saber estatístico e sua curricularização para o governamento de todos e de cada um. Bolema. Boletim de Educação Matemática (UNESP. Rio Claro. Impresso), v. 24, p. 855-871, 2011.

TRAVERSINI, Clarice Salete. Programa Alfabetização Solidária: o governamento de todos e de cada um. Porto Alegre: UFRGS, 2003. Tese (Doutorado em Educação) - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2003.

Downloads

Publicado

2019-11-29

Como Citar

DA SILVA CALDEIRA, M. C. . (2019). DISPOSITIVO DE ANTECIPAÇÃO DA ALFABETIZAÇÃO E POLÍTICAS CURRICULARES CONTEMPORÂNEAS: GOVERNANDO CRIANÇAS E DOCENTES. Linguagens, Educação E Sociedade, (43), 170-192. https://doi.org/10.26694/les.v0i43.9689

Edição

Seção

Dossiê Temático