A capoeira em Manaus - Amazonas (1969 - 2021)

Autores

  • Luiz Carlos de Matos Bonates Doutor em Botânica Tropical – Universidade Federal do Amazonas (UFAM) https://orcid.org/0000-0002-9421-6624
  • Tharcísio Santiago Cruz Doutor em Antropologia Social – Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

DOI:

https://doi.org/10.26694/rer.v4i2.12769

Palavras-chave:

capoeira, cultura, cidade, Manaus, Amazon

Resumo

Faz-se uma revisão crítica dos 49 anos de “capoeira com berimbau” no Amazonas. Temos, como produto sociocultural desta, 81 mestres radicados, 90 aparelhos difusores de capoeira, relações com mais de 40 categorias sociais, artísticas e científicas e com mais de 100 instituições públicas e privadas. A capoeira difundiu- se em todas as classes sociais e faixas etárias, possui representantes nacionais e internacionais, dá origem a publicações acadêmicas, assim como a diversos tipos de mídia, e dispõe de representações de classe. Hoje, apesar de ser considerada patrimônio cultural imaterial do Amazonas, não possui uma efetiva política pública de salvaguarda. Analisando-se comparativamente a formação de capoeiristas e mestres e as gerações subsequentes, foi possível interpretar os desdobramentos da capoeira na sociedade local e, assim, situá-la num quadro interpretativo de sua contribuição histórica e antropológica para a afirmação da cultura popular no Amazonas.

Referências

ABIB, Pedro Rodolfo Jungers. Capoeira angola: cultura popular e o jogo dos saberes na roda. Campinas: CMU/Unicamp; Salvador: EDUFBA, 2005.

ADORNO, Theodor; HORKHEIMER, Max. A dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

ARAÚJO, Rosangela Costa. “Elas gingam”. In: PIRES, Antônio Liberac Cardoso Simões et al. Capoeira em múltiplos olhares: estudos e pesquisas em jogo. Cruz das Almas: EDUFRB; Belo Horizonte: Fino Traço, 2013. pp. 465-480. (Coleção UNIAFRO).

ASSUNÇÃO, Matthias Röhrig. Capoeira: the history of an Afro-Brazilian martial art. Londres/Nova Iorque: Routledge, 2005.

BONATES, Luiz Carlos de Matos. “A capoeiragem na tribo dos manaós”. O Muhra – Secretaria de Cultura, Esportes e Estudos Amazônicos, ano I, (1), 1997, n. p.

BONATES, Luiz Carlos de Matos. “A capoeiragem baré”. In: SAMPAIO, Patrícia Melo (org.). O fim do silêncio: presença negra na Amazônia. Belém: Açaí/CNPq, 2011. pp. 79-102.

BONATES, Luiz Carlos de Matos. “A capoeiragem no Amazonas (1905 a 1980)”. In: PIRES, Antônio Liberac Cardoso Simões et al. Capoeira em múltiplos olhares: estudos e pesquisas em jogo. Cruz das Almas: EDUFRB; Belo Horizonte: Fino Traço, 2013. pp. 163-182. (Coleção UNIAFRO).

BONATES, Luiz Carlos de Matos. Visibilidade da palavra capoeira enfatizada como luta nos jornais do Amazonas no período de 1852 a 1999. Relatório de pesquisa (termo aditivo ao termo de doação número 15/2015). Programa de Apoio às Artes, Secretaria de Cultura do Amazonas, 2018.

BONATES, Luiz Carlos de Matos; CRUZ, Tharcísio Santiago. Capoeira: o patrimônio gingado do Amazonas e sua salvaguarda. Manaus: IPHAN, 2020.

CRUZ, Tharcísio Santiago. A capoeira no Alto Solimões: corpo, identidade e interação social. Tese de Doutorado. PPGAS, Universidade Federal do Amazonas, 2021.

DANTAS, Paula. Cenas das ruas: ocorrências policiais e cultura popular em Manaus (1916-1917). Relatório de Pesquisa. PIBIC, Universidade Federal do Amazonas, 2010.

GRANADA, Daniel. “Echanges globaux, agents locaux. l’apport de la capoeira aux études sur la mondialisation”. Campos, 16(1), 2015, p. 99-117.

GRANADA, Daniel. “Compreender o Brasil através da capoeira: capoeira, ‘raça’ e ‘nação’ no Brasil”. In: BRITO, Celso de; GRANADA, Daniel (org.). Cultura, política e sociedade: estudos sobre a capoeira na contemporaneidade. Teresina: EDUFPI, 2020. pp. 7-22.

GUERREIRO, Fernando. [Sem título]. In: SIMPLÍCIO, Franciane; POCHAT, Alex; DAIACUÍ, Nágila (org.). A capoeira em Salvador: registro de mestres e instituições. Salvador: Fundação Gregório de Mattos, 2015. n. p. (Coleção Capoeira Viva).

HABERMAS, Jürgen. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

IANNI, Octávio. Ditadura e agricultura: o desenvolvimento do capitalismo na Amazônia: 1964-1978. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Manaus – Panorama. IBGE, [S. l.], [2021]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/am/manaus/panorama. Acesso em: 20 jun. 2021.

LEAL, Luiz Augusto Pinheiro. A política da capoeiragem: a história social da capoeira e do boi-bumbá no Pará republicano (1888-1906). Salvador: EDUFBA, 2008.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro, 2016.

MONTEIRO, Mário Ypiranga. Roteiro do folclore amazônico. Manaus: Sérgio Cardoso, 1962. Tomo I.

MONTEIRO, Mário Ypiranga. Papagaio de papel. Manaus: EDUFAM, 2010.

PINHEIRO, Luís Balkar Sá Peixoto. Falta povo na história de Manaus. Jornal do Commercio, Manaus, edição 37941, 18 out. 1999. Caderno Especial, p. 3.

SALLES, Vicente. O negro no Pará: sob o regime da escravidão. Rio de Janeiro: FGV; Belém: UFPA, 1971. (Coleção Amazônica, Série José Veríssimo).

SALLES, Vicente. A defesa pessoal do negro: a capoeira no Pará. Brasília: [s. n], 1994.

SALLES, Vicente. O negro na formação da sociedade paraense. Belém: Paka-Tatu, 2004.

SAMPAIO, Patrícia Melo (org.). O fim do silêncio: presença negra na Amazônia. Belém: Açaí; CNPq, 2011.

SERÁFICO, José; SERÁFICO, Marcelo. “A Zona Franca de Manaus e o capitalismo no Brasil”. Revista de Estudos Avançados, 19(54), 2005, p. 99-113.

Downloads

Publicado

2022-06-16

Como Citar

MATOS BONATES, L. C. de .; SANTIAGO CRUZ, T. . A capoeira em Manaus - Amazonas (1969 - 2021). Revista EntreRios do Programa de Pós-Graduação em Antropologia, [S. l.], v. 4, n. 2, p. 15-34, 2022. DOI: 10.26694/rer.v4i2.12769. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/entrerios/article/view/5168. Acesso em: 19 jun. 2024.