“Você só vai me perguntar o peso e com quem transo?” Diálogos entre alimentação, saúde, gênero e sexualidade: aproximações metodológicas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rer.v4i1.12376

Palavras-chave:

Gênero, Sexualidade, Saúde, Alimentação, Metodologia

Resumo

A partir da prática de uma metodologia que considera uma abordagem qualitativa e incorpora técnicas quantitativas, procuramos analisar criticamente a aplicabilidade desta aproximação para entender os significados que os sujeitos gays autodenominados “ursos” atribuem à relação entre às práticas alimentares, à sexualidade homoerótica e às masculinidades e suas possíveis consequências na própria saúde. Realizamos uma pesquisa qualitativa de cunho etnográfico do tipo exploratório-descritiva-explicativa com o que denominamos como uma abordagem híbrida. Os dados foram construídos a partir de entrevistas de histórias de vida e semiestruturadas. Acrescentamos técnicas quantitativas para completar um corpus significativo e congruente com os objetivos propostos. A avaliação da aplicabilidade da aproximação metodológica apresentada se deu a partir de uma análise crítica dos materiais recolhidos. Uma abordagem híbrida mostrou-se adequada para descrever e explicar as características e os sentidos significativos desta população. A aplicação e utilização de metodologias e técnicas em diálogo crítico pode ser útil para obter uma maior riqueza descritiva/explicativa.

Biografia do Autor

Ramiro Andres Fernandez Unsain, Universidad de Buenos Aires-Universidade de São Paulo

Possui graduação em Antropologia - Universidad de Buenos Aires, mestrado em Ciências Antropológicas pela Universidade de Buenos Aires e doutorado em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia e Sociologia da Saúde e da Alimentação, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde coletiva, alimentação e escolhas/práticas alimentares, obesidade, interseccionalidade, sexualidade, gênero, saúde, identidade, etnicidade e metodologia de pesquisa. Membro do Grupo de Pesquisa do (co)Laboratório Humano de Estudos, Pesquisa e Extensão Transdisciplinares em Integralidade e Interseccionalidade no Cuidado em Saúde e Nutrição, Gêneros e Sexualidades (LABTrans/UFRB). Pesquisador da Fundação FioTec/FioCruz (Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico em Saúde). Pesquisador do GPAC (Grupo de Pesquisa em Alimentação e Cultura) da Universidade de Sao Paulo. Pesquisador convidado na Universidade de Buenos Aires em Ciência e Tecnologia com ênfase em Tecnologia dos Alimentos e Sociedade. Membro da Sociedade Brasileira de Sociologia, Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição, Colegio de Antropólogos de Argentina, American Anthropological Association, European Association of Social Anthropology, Association for Queer Anthropology, Society for the Anthropology of Food and Nutrition and The Society for Medical Anthropology.

Mariana Dimitrov Ulian, Doutora em Saúde Pública - USP

Nutricionista formada pela Universidade Federal de São Paulo e mestre em Ciências pela mesma instituição. Também é doutora pela Universidade de São Paulo - Faculdade de Saúde Pública -, e participa do Grupo de Pesquisa em Alimentação e Cultura. Atua principalmente nos temas de obesidade, escolhas alimentares, cultura e corpo. Tem experiência na aplicação de propostas de cuidado baseadas na nutrição clínica ampliada e no aconselhamento nutricional para pessoas gordas. Atualmente, é pós-doutoranda da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

Priscila de Morais Sato, Universidade de São Paulo

Priscila de Morais Sato possui graduação em Nutrição pela Universidade de São Paulo (2008), e Mestrado (2012) e Doutorado (2016) em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo. Realizou estágio de pesquisa na Bloomberg School of Public Health, Johns Hopkins University, em 2015, e no Great Ormond Street Institute of Child Health, University College of London, em 2019. Tem experiência na articulação entre Nutrição, Alimentação, Cultura e Sociedade, com ênfase nos aspectos socioculturais da alimentação a partir do referencial teórico de Pierre Bourdieu. Atua principalmente nos seguintes temas: obesidade, práticas alimentares, escolhas alimentares, interseccionalidade, cultura e gênero. Atualmente realiza pós-doutorado na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo e é membro do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (NUPENS) e do Grupo de Estudos em Alimentação e Cultura (GPAC).

Fernanda Sabatini, Universidade de São Paulo

Nutricionista graduada pela Universidade Federal de São Paulo. Mestre em Ciência pelo programa de Nutrição em Saúde e Pública da Faculdade de Saúde Pública (FSP), Universidade de São Paulo (USP), e atualmente doutoranda pelo mesmo programa. Realiza seu trabalho em pesquisa junto ao Grupo de Pesquisa em Alimentação e Cultura (GPAC) da FSP-USP.

Mayara Sanay da Silva Oliveira, Doutora em Nutrição em Saúde Pública - USP

nutricionista graduada pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN: 2013), Mestra em Alimentos, Nutrição e Saúde pela Universidade Federal da Bahia (UFBA: 2016) e Doutoranda no programa de pós-graduação em nutrição em saúde pública pela Universidade de São Paulo (USP: atual). Durante sua formação acadêmica, ela tem se inserido na área de Nutrição em Saúde Pública, tecendo diálogos entre a nutrição e as ciências sociais e humanas (especialmente à educação, sociologia e a antropologia). Os trabalhos de Mayara discorrem sobre temas como: educação alimentar e nutricional, uso de tecnologias da informação e comunicação (TICs) para à promoção da alimentação adequada e saudável, aspectos socioculturais presentes nos guias alimentares brasileiros e os aspectos de gênero que permeiam as práticas culinárias domésticas.

Fernanda Baeza Scagliusi, Doutora em Educação Física - USP

Ela possui graduação em Nutrição pela Universidade de São Paulo, doutorado direto em Educação Física pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado em Nutrição em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. É professora doutora da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, Departamento de Nutrição. Tem experiência na área de Nutrição, com ênfase em Análise Nutricional de População, Socioantropologia da Alimentação e Nutrição Clínica, atuando principalmente nos seguintes temas: aspectos socioculturais da alimentação, obesidade e avaliação do consumo alimentar. É bolsista de produtividade do CNPQ, nível 2F. Coordena o Grupo de Pesquisa em Alimentação e Cultura e é Membro da Rede Ibero Americana de Pesquisa Qualitativa em Alimentação e Sociedade (Rede NAUS). É membro da Comissão de Ciências Humanas e Sociais da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO).Foi, de 2017 a 2021, coordenadora da Comissão de Coordenação do Curso de Nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP. É vice-chefe do Departamento de Nutrição desde 2021. É membro do Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (NUPENS).

Referências

ACHILLI, Elena. Investigar en antropología social. Los desafíos de transmitir un oficio. Rosario: Laborde Editor; 2005. 101 p.

BARBOSA SILVA Patrícia; SOARES Sonia; GUIMARAES SANTOS Joseph; BARBOSA SILVA, Líliam. Ponto de corte para o WHOQOL-bref como preditor de qualidade de vida de idosos. Revista de Saúde Pública. 2014; 48(3):390-397. doi: 10.1590/S0034-8910.2014048004912.

BORRÁS, Vincent; LÓPEZ, Pedro; LOZARES COLINA, Carlos. La articulación entre lo cuantitativo y lo cualitativo: de las grandes encuentas a la recogida de datos intensiva. Barcelona: Revista Questió. 1999;23(3):525-541.

BOSI, Maria Lúcia Magalhães; PRADO, Shirley Donizete; Lindsay, Ana Cristina; MACHADO, Márcia Maria Tavares, CARVALHO, Maria Claudia Veiga Soares. O enfoque qualitativo na avaliação do consumo alimentar: fundamentos, aplicações e considerações operacionais. Physis Revista de Saúde Coletiva. 2011;21(4):1287-1296.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 156 p.

CRESWELL, John; CRESWELL, David. Qualitative, Quantitative, and Mixed Methods Approach. 2017 New York: Sage-USA. 304 p.

DE MAY, Paul. French Bear Asks: Are Bears an American Thing? In Wright L. ‘The Bear Book II, Readings in the History and Evolution of a Gay Male Subculture”. New York: Harrington Park Press; 1997.

DOMINGOS, Joao. O discurso dos ursos. Outros modos de ser da homoafetividade. João Pessoa: Marca de fantasia, 2010. 86 p.

ENSMENGER, Nathan. The Multiple Meanings of a Flowchart. Information & Culture: A Journal of History. 2016;51(3):321–351. doi:10.1353/lac.2016.0013.

FARÍAS, Levy, MONTERO, Maritza. De la transcripción y otros aspectos artesanales de la investigación cualitativa. International Journal of Qualitative Methods. 2005;4(1):12-19.

FISBERG, Regina Mara; LOBO MARCHIONI, Dirce Maria; ALMADA COLUCCI, Ana Carolina. Avaliação do consumo alimentar e da ingestão de nutrientes na prática clínica. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabolismo 2009:53(5):617-624. doi: 10.1590/S0004-27302009000500014.

FLECK, Marcelo; LOUZADA, Sergio; XAVIER, Marta; Chachamovich, Eduardo; Vieira, Guilherme; Santos, Lyssandra; Pinzon, Vanessa. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida “WHOQOL-bref”. Rev. Saúde Pública. 2000;34(2). doi:10.1590/S0034-89102000000200012.

GUBER, Roxana. La etnografia. Método, campo y reflexividad. Buenos Aires: Siglo XXI; 2016. p. 160.

GUTIERREZ MARMOLEJO, Javier. Masculinidad, cuerpo e identidad entre varones gay del Club de Osos Mexicanos. Ciudad de México. Tesis de Grado. Escuela Nacional de Antropología e Historia, 2004.

LEAN, Michael; HAN, Tom; SEIDELL John. Impairment of health and quality of life in people with large waist circumference. Lancet. 1998;(351):853-856. doi: 10.1016/s0140-6736(97)10004-6.

LIARTE TILOCA Agustín. De osos y cazadores... (y otros animales). Tensiones entre contextos de surgimento de la categoria “oso”. In: Castro Esna, Analía (org) Entre pasados y presentes IV. Estudios contemporáneos en ciencias antropológicas. Editorial: Instituto Nacional de Antropología y Pensamiento Latinoamericano p:133-148, 2014.

LINS FRANÇA, Isadora. Consumindo lugares, consumindo nos lugares: homossexualidade, consumo e subjetividades na cidade de São Paulo. Rio de Janeiro: EDUERJ; 2012. 274 p.

MANLEY Eric, LEVITT Heidi, MOSHER MCOUN Chad. Understanding the Bear Movement in Gay Male Culture. Journal of Homosexuality. 2008;53(4):89-112.

MAZZEI, George. Who’s who in the zoo? A glossary of gay animals. The Advocate 1979;42: 42-43.

McCANN, Thomas. Atlantic Crossing: The Developement of the Eurobear. In Lopes, D, Bento, B, Aboud, S, Garcia, W. (org) Imagem e diversidade sexual. Estudos de homocultura. São Paulo: Nojosa; 2004.

MORIN, Edgard. Sociología. Buenos Aires: Tecnos; 1994. 414 p.

PERLONGHER, Nestor. El negocio del deseo. La prostitución masculina en San Pablo. Buenos Aires: Paidós; 1999. 248 p.

PLATÓN. El banquete. Introducción, traducción y notas de Victoria Juliá. 2004; Buenos Aires: Losada. 129 p.

POULAIN, Jean-Pierre; PACHECO DA COSTA PROENÇA, Rossana. O espaço social alimentar: um instrumento para o estudo dos modelos alimentares. Revista Nutrição. 2003;16(3):245-256.

Ribeiro, Aída Calvão; Sávio, Karin Eleonora Oliveira; Rodrigues, Maria Lourdes Carlos; Costa, Teresa Macedo; Schmitz, Bethsaída de Abreu Soares. Validação de um questionário de frequência de consumo alimentar para população adulta. Revista Nutrição, Campinas. 2006;19(5):553-562. doi: 10.1590/1678-98652016000200002.

RIOS, Luís Felipe. “Paizões”, “filhotes” e a “simbiose do amor”: regulações de gênero entre homens frequentadores da comunidade dos “ursos” no Recife (Brasil), Etnográfica. 2018;22 (2), DOI: https://doi.org/10.4000/etnografica.5347

ROTEMBERG, Sheila; DE VARGAS, Sonia. Práticas alimentares e o cuidado da saúde: da alimentação da criança à alimentação da família. Revista Brasileira de Saúde Maternal Infantil. 2004;4(1):85-94. doi: 10.1590/S1519-38292004000100008.

DOS SANTOS, Daniel; COELHO DE SOUZA LAGO, Mara. Estilísticas e estéticas do homoerotismo na velhice: narrativas de si. Sexualidad, Salud y Sociedad: Revista Latinoamericana. 2013;15:113-147.

SAEZ, Javier. Excesos de la masculinidad: La cultura leather y la cultura de los osos. Teoría queer y psicoanálisis. Madrid: Síntesis; 2003.

SURESHA, Roy. Bears on Bears. Birmingham: Naworth Press; 2002.

TAYLOR, Steven J.; BOGADAN, Robert. Introducción a los métodos cuantitativos de investigación. Buenos Aires: Paidós; 1986. 327 p.

WANG, S; BRONWELL, K; WADDEN, T. The influence of the stigma of obesity on Overwheight individuals. International Journal of Obesity. 2004;28(10):1333-1337. doi: 10.1038/sj.ijo.0802730.

WRIGHT, Les (org). The Bear Book I, Readings in the History and Evolution of a Gay Male Subculture. New York: Harrington Park Press; 1997. 285 p.

Downloads

Publicado

2022-01-19

Como Citar

FERNANDEZ UNSAIN, R. A. .; DIMITROV ULIAN, M. .; MORAIS SATO, P. de .; SABATINI, F. .; SILVA OLIVEIRA, M. S. da .; BAEZA SCAGLIUSI, F. . “Você só vai me perguntar o peso e com quem transo?” Diálogos entre alimentação, saúde, gênero e sexualidade: aproximações metodológicas. Revista EntreRios do Programa de Pós-Graduação em Antropologia, [S. l.], v. 4, n. 1, p. 06-22, 2022. DOI: 10.26694/rer.v4i1.12376. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/entrerios/article/view/5182. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS