Sobre a Revista

Revista eletrônica do Departamento de Ciências Econômicas da UFPI.

Edição Atual

v. 40 n. 1 (2020): INFORME ECONÔMICO (UFPI), Ano 22, janeiro-junho
Ver Todas as Edições

Histórico do periódico:

INFORME ECONÔMICO (UFPI) compõe parte importante da história do DECON/CCHL/UFPI. Sua primeira publicação ocorreu em 1997, tendo como editor-chefe o professor Francisco José Santos. Desde o início dos trabalhos contou com a dedicação de Enoisa Pinheiro dos Santos Veras, até sua aposentadoria como Economista pelo DECON. A partir de 2008, o professor Solimar Oliveira Lima capitaneou as atividades do periódico, assumindo como editor-chefe em 2013 em parceria com Enoisa Veras na função de editora-assistente.

Concomitantemente ao esmero de quem liderou as edições da revista teve também a contribuição fundamental do corpo docente do DECON e do CCHL. Em especial, destacaram-se os professores Samuel Costa Filho, Luiz Carlos Rodrigues Cruz (Puskas), Maria do Socorro Lira Monteiro (in memoriam), William Jorge Bandeira e Edson José de Castro Lima. Importantes contribuições também houve de outras instituições, inclusive do exterior, o que estimulou a expansão da equipe editorial.

A revista tornou-se referência na UFPI no decorrer do tempo, por assumir uma postura isonômica, democrática e multidisciplinar. Inicialmente na versão impressa com edições trimestrais, passou a ser semestral até encerrar-se nesta modalidade em 2017. Aceitou variados formatos de textos em sua estrutura e contribuições de diversos segmentos da comunidade acadêmica. Publicou informativos, resenhas, debates e artigos técnicos-científicos. Ao longo de sua história, foram 38 edições voltadas à ciência, à opinião e ao debate. Cumpriu com seu objetivo de difundir conhecimento e expandir o diálogo sobre a economia e sociedade.

No presente, o periódico reestrutura-se olhando para um novo horizonte em sintonia com o rico legado do passado. Passa por reformulações importantes ao inaugurar sua fase digital, com ampliação da sua capacidade de difusão científica. Assim, exercerá todo o seu potencial, coadunando a ciência com a crítica qualificada e o debate acadêmico de elevado nível.

* Texto gentilmente escrito pelo Prof. Dr. Francisco Prancacio Araújo de Carvalho (DECON/CCHL/UFPI).