O sentido histórico como possibilidade de revitalização ou depauperação da cultura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/pensando.vol14i33.4209

Palavras-chave:

Antiquária, Crítica, Monumental, Nietzsche, História

Resumo

O artigo propõe analisar os diferentes sentidos históricos contidos na Segunda Consideração Extemporânea. Basicamente, o argumento nietzschiano acerca da palavra história desenvolve as seguintes explicações: contribuir no fortalecimento da cultura, tendo em vista o potencial inspirador que guarda, servindo de referência para o presente e o futuro; contrária a perspectiva anterior, caso feito o uso excessivo desse estudo acabaria gerando efeitos paralisantes na cultura. Além da crítica às pretensões histórico-científicas positivistas e hegelianas que delineavam os contornos da vida moderna, os ensinamentos de Nietzsche podem ser entendidos como uma exigência clínica direcionando novos cursos para um mundo em franco declínio.

Biografia do Autor

Abraão Costa, Centro Universitário Estácio de Brasília

Doutor em Filosofia (UNIOESTE, 2016),

Referências

DENAT, C. A filosofia e o valor da história em Nietzsche. Uma apresentação das Considerações Extemporâneas. Tradução de Ivo da Silva Jr. In. Cadernos Nietzsche, São Paulo, GEN, nº 26, 2010, p. 85-96.

DENAT, C. Nietzsche, pensador da história? Do problema do sentido histórico à exigência genealógica. Tradução de V. Gosselin. In. MARTON, S. (Org.). Nietzsche, um francês entre franceses. São Paulo: Barcarolla, 2009.

FOUCAULT. Nietzsche, a Genealogia e a História. In. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1984, p. 15-37.

HALL, H. R. The Ancient History of the Near East. London, Methurn & Co. Ltd, 1936.

HARTMANN, Karl R. E. Philosophie des Unbewussten. Berlin: Haacke, 1882.

HEGEL, G.W.F. Lecciones sobre la filosofia de la historia universal. Madrid: Revista de Occidente, 1953.

HEGEL, G.W.F. Princípios da Filosofia do Direito. Tradução de Orlando Vitorino. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

ITAPARICA, A. L. M. Introdução. In. NIETZSCHE, Friedrich. Sobre a utilidade e a desvantagem da história para a vida. Tradução de A.L.M. Itaparica. São Paulo: Hedra, 2017, p. 9-25.

LEBRUN, G. O avesso da dialética. Hegel à luz de Nietzsche. Tradução de Renato Janine Ribeiro. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

MARCONDES, Danilo. Iniciação à História da Filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007.

MELO SOBRINHO, Noéli. Apresentação In: NIETZSCHE, F. W. Escritos sobre história. Tradução de Noéli C. M. Sobrinho. Rio de Janeiro/São Paulo: PUC-Rio/Loyola, 2005, p. 11-58.

NIETZSCHE, F. W. David Strauss: o crente e escritor. In: NIETZSCHE, F. Considerações intempestivas. Tradução de Lemos de Azevedo. Lisboa: Presença, 1992. p. 7-100. (Coleção Sín-tese).

NIETZSCHE, F. W. Cinco prefácios para cinco livros não escritos. Tradução de Pedro Sussekind. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2000.

NIETZSCHE, F. W. II Consideração Intempestiva: sobre a utilidade e os inconvenientes da história para a vida. NIETZSCHE, F. W. Escritos sobre história. Tradução de Noéli C. M. Sobrinho. Rio de Janeiro/São Paulo: PUC-Rio/Loyola, 2005, p. 41-137.

NIETZSCHE, F. W. Sobre a utilidade e a desvantagem da história para a vida. Trad.: André Itaparica. São Paulo: Hedras, 2009.

WOTLING, Patrick. Vocabulário de Friedrich Nietzsche. Tradução de Cláudia Berlinder. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

Downloads

Publicado

2024-01-23

Como Citar

COSTA, A. O sentido histórico como possibilidade de revitalização ou depauperação da cultura. PENSANDO - REVISTA DE FILOSOFIA, [S. l.], v. 14, n. 33, p. 167-179, 2024. DOI: 10.26694/pensando.vol14i33.4209. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/pensando/article/view/4209. Acesso em: 19 abr. 2024.

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.