A INFLUÊNCIA DA INDÚSTRIA CULTURAL NA FORMAÇÃO ARTÍSTICA DOS INDIVÍDUOS SOCIAIS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/caedu.v5i3.4672

Palavras-chave:

Industria Cultural, Formação Artística, Educação Estética

Resumo

Ao tratar das influências que a Indústria Cultural impõe aos seres humanos pelos canais tecnológicos de comunicação, faz-se necessário repensar a organização do trabalho humano e as suas implicações para a Educação, considerando os fenômenos históricos, políticos, econômicos, culturais e sociais para a formação humana. Para tal, utilizou-se metodologicamente a pesquisa de cunho bibliográfico a fim de apresentar os estudos clássicos e contemporâneos respaldos nos seguintes autores acerca dessa temática, como: Lukács (1970), Adorno e Horkheimer (1985), Friedman (1985), Adorno (1995; 2005), entre outros. Diante disso, objetivou-se refletir a influência da Indústria Cultural na formação artística dos indivíduos, por meio da educação estética, pois acredita-se que a Educação precisa apresentar aos indivíduos o que há de mais avançado em termos de produção histórica pelo gênero humano, bem como diante das possibilidades de fornecer subsídios para repensar o desenvolvimento social e humano. Os resultados alcançados revelaram a compreensão das relações dialéticas entre tempo e espaço do trabalho na educação estética, tendo em vista o desenvolvimento da criticidade, da humanização e da emancipação mediante os processos de objetivação e subjetivação artística dos indivíduos.

Biografia do Autor

Poliana Hreczynski Ribeiro, Universidade Estadual de Maringá

Graduada em Pedagogia na Universidade Estadual de Maringá (UEM), (2016-2020). Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação (PPE) na UEM (2020- 2021). É Doutoranda do PPE/UEM. Professora Colaboradora no Departamento de Teoria e Prática da Educação e Representante Discente no Conselho Acadêmico do PPE/UEM. E membro do EPEFOP/CNPq - Estado, Políticas Educacionais e Formação de Professores/as e do GEPEFI/CNPq - Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Educacionais, Gestão e Financiamento da Educação. Seus estudos e pesquisas têm ênfase na: Política Educacional, Formação de Professores e Educação Infantil, a partir dos referenciais teóricos da pedagogia histórico-crítica e psicologia histórico-cultural (base epistemológica o materialismo histórico-dialético). 

Etienne Henrique Brasão Martins, Universidade Estadual de Maringá

Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Maringá (PPE/UEM). Graduação em Pedagogia (UEM). Docente pela SEED/PR. Atualmente, integrante do Núcleo de Pesquisa e Estudo em Diversidade Sexual - NUDISEX e do GEPEFI/CNPq - Grupo de Estudos e Pesquisa em Políticas Educacionais, Gestão e Financiamento da Educação. Membro do EPEFOP/CNPq - Estado, Políticas Educacionais e Formação de Professores/as. Desenvolve estudos na linha de pesquisa de Formação de Professores, Gestão Escolar e Gênero, entre outros estudos, tendo como base epistemológica o materialismo histórico-dialético.

Referências

ADORNO, T. W.. Educação - para quê. In: ______. Educação e emancipação. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995.

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M.. O conceito de esclarecimento. In:______. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

ADORNO, T. W.. Teoria da semicultura. Primeira Versão, v. 13, n. 191, Porto Velho, 2005.

ADORNO, T. W. Teoria Estética. Lisboa: Edições 70, 2011.

CROCHIK, J. L. A tecnologia Educacional e a Transformação do saber em informação. In: ______. O computador no ensino e a limitação da consciência. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1998.

DUARTE, Newton. O trabalho educativo como reprodução dialética da humanidade. In: DUARTE, Newton. Os conteúdos escolares e a ressurreição dos mortos: contribuição à teoria. Campinas: Autores Associados, 2016. p. 8-19.

FOGAL, A. A.. Arte, crítica e sociedade em Georg Lukács e Theodor Adorno. Signótica, v.31, n. 1, p. 1-20, abr. 2019.

FRIEDMAN, M.. Papel do Governo na educação. In: Capitalismo e liberdade. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

GIL, A. C.. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

LUKÁCS, G.. Arte e Sociedade: escritos estéticos. Organização e tradução: Carlos Nelson Coutinho e José Paulo Netto. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

LUKÁCS, G.. Estetica I: La peculiaridad de lo estetico. v. 1. Cuestiones previas y de princípio. Barcelona: Grijalbo, 1966a.

LUKÁCS, G.. Estetica I: La peculiaridad de lo estetico. v. 2. Problemas de la mímesis. Barcelona: Grijalbo, 1966b.

LUKÁCS, G.. Introdução a uma estética marxista. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1970.

MARCUSE, H.. Comentários para uma redefinição de cultura. In: ________. Cultura e Sociedade, volume II. Tradução de Wolfgang Leo Maar, Isabel Maria Loureiro e Robespierre de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1998.

MARX, K.; ENGELS, F.. A ideologia alemã. São Paulo: Hucitec, 1993.

MÉSZÁROS, I.. A educação para além do capital. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2008.

MORAES, M. C. M. de. O recuo da teoria. In: MORAES, M. C. M. de (org.). Iluminismo às avessas: produção de conhecimento e políticas de formação docente. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

OLIVEIRA, B. A. de.; DUARTE, N.. Socialização do saber escolar. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1987.

OLIVEIRA, B. A. de. Fundamentos filosóficos marxistas da obra vigotskiana: a questão da categoria de atividade e algumas implicações para o trabalho educativo. In: MENDONÇA, Sueli Guadelupe de Lima; MILLER, Stela (Orgs.). Vigotski e a escola atual: fundamentos teóricos e implicações pedagógicas. 2. ed. rev. Araraquara-SP: Junqueira&Marin; Marília-SP: Cultura Acadêmica, 2010, p. 03-26.

RIBEIRO, Poliana Hreczynski. Contradições da Base Nacional Comum Curricular acerca do conhecimento artístico na Educação Infantil em interface com a formação continuada de professores/as. 170 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá. Orientador: Marcos Vinicius Francisco. Maringá, 2022.

RIBEIRO, Poliana Hreczynski; MARTINS, Etienne Henrique Brasão. A influência da Indústria Cultural na formação artística dos indivíduos: aproximações com o materialismo histórico-dialético. In: Congresso Nacional de Educação – EDUCERE, XV, 2021, Curitiba. Tipo de obra (Anais, Inspirações, espaços e tempos da educação) [...] Curitiba: 2021. p. 4481– 4488.

TERTULIAN, N.. Lukács e seus contemporâneos. Tradução: Pedro Campos Araújo Corgozinho. São Paulo: Perspectiva, 2016.

TONET, I.. Educação, cidadania e emancipação humana. Coleção Fronteiras da Educação. Ijuí: UNIJUÍ, 2005.

Downloads

Publicado

2023-12-18

Como Citar

RIBEIRO, P. H.; MARTINS, E. H. B. A INFLUÊNCIA DA INDÚSTRIA CULTURAL NA FORMAÇÃO ARTÍSTICA DOS INDIVÍDUOS SOCIAIS. CAMINHOS DA EDUCAÇÃO diálogos culturas e diversidades, [S. l.], v. 5, n. 3, p. 01-12, 2023. DOI: 10.26694/caedu.v5i3.4672. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/cedsd/article/view/4672. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS