Estudar é sua mente ir às estrelas: um estudo das compreensões de crianças sobre o processo de aprendizagem escolar

Autores

  • Leticia Teles de Sousa Universidade Federal de Santa Maria - UFSM
  • Zuleica Pretto

DOI:

https://doi.org/10.26694/caedu.v4i3.2926

Palavras-chave:

Apredizagem escolar, Crianças, Currículo, Infâncias

Resumo

Este estudo aborda a compreensão sobre o processo de aprendizagem de crianças matriculadas no quarto ano do Ensino Fundamental Inicial, de uma escola pública, situada em um município localizado na região sul do Brasil. Com inspiração etnográfica, pretendeu-se compreender os sentidos que as crianças atribuíam a escola, a aprendizagem e os atores envolvidos nesse processo, como familiares e professores. Entende-se, mediante a perspectiva Histórico-Cultural e os Estudos da Sociologia da Infância, que a criança é um sujeito ativo no seu processo de aprendizagem e tem potencial discursivo sobre como ele acontece. A partir da pesquisa, as crianças evidenciaram como a escola é um lugar de encontro, pertencimento e envolvimento com as dimensões epistemológica, socializante e profissionalizante da vida; salientaram os desafios das relações com os adultos que estão presentes nesse processo; e, sobretudo, denotaram a relevância de repensarmos as normativas curriculares no processo de aprendizagem escolar na experiência das infâncias.

 

Biografia do Autor

Zuleica Pretto

Doutora pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Psicóloga do Espaço Biografias – Atividades em Psicologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Endereço para correspondência: Av. Campeche, 1157, Bloco A2, 302. Campeche, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. CEP:88063-300. ORCID iD: https://orcid.org/0000-0002-6111-1041 Lattes: http://lattes.cnpq.br/7284004284209233. E-mail: zuleicapretto@gmail.com.

Referências

AQUINO, Julio Groppa. Indisciplina na escola: alternativas teóricas e práticas. In: A desordem na relação professor-aluno: indisciplina, moralidade e conhecimento / organização Julio Groppa Aquino. – São Paulo, Editora Summus, 1996.

ARIÉS, Philippe. História Social da Criança e da Família. 2a Edição. LTC: Rio de Janeiro, 1981.

BARBOSA. Maria Carmen Silveira. Culturas escolares, culturas de infância e culturas familiares: as socializações e escolarização no entretecer destas culturas. Educação & Sociedade [online]. 2007, v. 28, n. 100, pp. 1059-1083. https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000300020.

CORAZZA, Sandra Mara. Infância & educação: era uma vez... quer que conte outra vez? Petrópolis/RJ, Editora Vozes, 2002.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes Necessários à Prática educativa. (Coleção Leitura) 30ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

JAMES, Allison & PROUT, Alan (org.) Constructing and Reconstructing Childhood: Contemporany Issues in the Sociological Study of Childhood. London: The Falmer Press, 1990.

KRAMER, S. Autoria e autorização: questões éticas na pesquisa com crianças. Cadernos de pesquisa [online], n.116, pp. 41-59, 2002. https://doi.org/10.1590/S0100-15742002000200003.

LANGE, Andreas & MIERENDORFF, Johanna. Method and Methodology in Childhood Research. In: Corsaro, Honig & Qvortrup. The Palgrave Handbook of Childhood Studies. London: Palgrave Macmillan, 2009.

LEÃO, Denise Maria. Paradigmas contemporâneos de educação: escola tradicional e escola construtivista. Cadernos de Pesquisa [online], n. 107, pp.187-206, 1999. https://doi.org/10.1590/S0100-15741999000200008.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 8. ed. São Paulo: EPU, 2004.

MOSS, Peter. Reconceitualizando a infância: crianças, instituições e profissionais. In: Machado, M. L. A. (org). Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002.

OLIVEIRA, Cynthia Bisinoto Evangelista de; MARINHO-ARAUJO, Claisy Maria. A relação família-escola: intersecções e desafios. Estudos de Psicologia (Campinas) [online]. 2010, v. 27, n. 1, pp. 99-108. https://doi.org/10.1590/S0103-166X2010000100012.

PEREIRA, Rita Marisa Ribes; JOBIM E SOUZA, Solange. Infância, conhecimento e contemporaneidade. In: KRAMER, Sonia et al. Infância e produção cultural. 5. ed. Campinas: Papirus, 1998.

PRETTO, Zuleica. As infâncias em um bairro em processo de urbanização – o ponto de vista das crianças. 1º ed. Editora Appris, 2021.

QVORTRUP, Jens. A infância enquanto categoria estrutural. Educação e Pesquisa [online]. 2010, v. 36, n. 2, pp. 631-644. https://doi.org/10.1590/S1517-97022010000200014.

QVORTRUP, Jens. Nove teses sobre a "infância como um fenômeno social". Pro-Posições [online]. 2011, v. 22, n. 1, pp. 199-211. https://doi.org/10.1590/S0103-73072011000100015.

RESENDE, H. Michel Foucault: o governo da infância. Belo Horizonte: Autêntica Editora, (Col. Estudos Foucaultianos), 2015.

SACRISTAN. José Gímeno. O aluno como invenção / J. Gimeno Sacristán; trad. Daisy Vaz de Moraes. – Porto Alegre: Artmed, 2005.

SANT´ANA, Ruth Bernardes de. Criança-sujeito: experiências de pesquisa com alunos de escolas públicas. Ouvindo as crianças na escola: abordagens e desafios metodológicos para a Psicologia/ Marilene Proença Rabello de Souza. – 1. Ed. – São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010.

SANTIAGO, Flávio; DE FARIA, Ana Lucia Goulart. Para além do adultocêntrismo: uma outra formação docente descolonizadora é preciso. Educação e Fronteiras, [S. l.], v. 5, n. 13, p. 72–85, 2016. https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/educacao/article/view/5184

SARMENTO, Manuel Jacinto. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. Educação & Sociedade [online]. 2005, v. 26, n. 91, pp. 361-378. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0101-73302005000200003.

VIGOTSKY. Lev Semenovich. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7ª ed. – São Paulo: Martins Fontes, 2007.

Downloads

Publicado

2022-12-29

Como Citar

SOUSA, L. T. de; PRETTO, Z. . Estudar é sua mente ir às estrelas: um estudo das compreensões de crianças sobre o processo de aprendizagem escolar . CAMINHOS DA EDUCAÇÃO diálogos culturas e diversidades, [S. l.], v. 4, n. 3, p. 01-20, 2022. DOI: 10.26694/caedu.v4i3.2926. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/cedsd/article/view/2926. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS