PAIXÕES E RAZÃO: A PROXIMIDADE INESPERADA ENTRE ADAM SMITH E JOHN LOCKE

Autores

  • Alexandre Amaral Rodrigues

DOI:

https://doi.org/10.26694/pensando.v13i29.13157

Palavras-chave:

Filosofia, Política, Economia Política, Adam Smith, John Locke.

Resumo

Existe um parentesco sempre mencionado entre os grandes autores John Locke (séc. XVII) e Adam Smith (séc. XVIII) que residiria no valor que ambos dariam ao trabalho humano, como origem da propriedade e gerador de riquezas, e na “defesa” comum da “propriedade” e da restrição aos poderes do estado, em prol da liberdade individual, entendida em sentido negativo, isto é, ausência de empecilhos para a ação. No mais, o primeiro seria parte da filosofia política, um dos contratualistas da vertente “liberal”, enquanto o outro seria fundador da economia política, com a sustentação de que deve haver uma liberdade de comércio. Assim, afora os elementos de afinidade, os temas seriam, em tudo o mais, diversos, e cada um estaria em uma área do pensamento. Esse parentesco, no entanto, parece muito mais forte do que normalmente se coloca, e que Adam Smith repõe com precisão conceitual as formulações fundamentais de John Locke, substituindo engenhosamente a percepção racional das leis naturais pela conjunção de paixões por meio do mecanismo da “simpatia”. Isso, no entanto, acaba por chegar a duas diferenciações, a primeira das quais se expressa bem claramente, e está no fato da escravidão; a segunda, no entanto, bem mais discreta, que é o empobrecimento sociocultural dos trabalhadores, o que ocorre no sistema livre e bem ordenado, como efeito colateral da prosperidade da nação. Isso abre espaço para a crítica do ideário do sistema econômico liberal e sugere, na obra, a ação do estado para proporcionar melhores condições para os trabalhadores.

Referências

LOCKE, John. Essay concerning human understanding. Oxford: Oxford University Press, 1971.

____________ Two treatises of government. Oxford: Oxford University Press, 1960.

____________ Dois tratados sobre o governo. Trad. de Júlio Fischer. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

SMITH, Adam. Ensaios filosóficos. Alexandre Amaral Rodrigues/Pedro Galé (Org.). Alexandre Amaral Rodrigues, Pedro Galé, Pedro Paulo Pimenta (Trad.). São Paulo: Editora Unesp, 2019.

____________ The theory of moral sentiments. Indianapolis: Liberty Fund, 1984. Reimpresso a partir de Oxford: Clarendon Press, 1976.

____________ Teoria dos sentimentos morais. São Paulo: Martins Fontes, 2002. Trad. de Lya Luft. Revisão de Eunice Ostrensky.

____________ The wealth of nations. Indianapolis: Liberty Fund, 1996. Reimpresso a partir de Oxford: Clarendon Press, 1979.

____________ A riqueza das nações. Trad. Alexandre Amaral Rodrigues e Eunice Ostrensky. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

____________ A riqueza das nações. Trad. Luiz João Baraúna. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

____________ Lectures on jurisprudence. Indianapolis: Liberty Fund, 1982. Reimpresso a partir de Oxford: Clarendon Press, 1978.

____________ Lectures on rhetoric and belles lettres. Indianapolis: Liberty Fund, 1985. Reimpresso a partir de Oxford: Clarendon Press, 1983.

Secundárias

BERRY, J.C. “Adam Smith and early-modern thought”. In The Oxford Handbook of Adam Smith. Oxford: Oxford University Press, 2013.

OTTESON, James R. Adam Smith’s marketplace of life. Cambridge University Press: Cambridge, 2002

PHILLIPSON, Nicholas. Adam Smith: an enlightened life. Londres: Penguin Books, 2011.

POCOCK, J.G.A. “Virtudes, direitos e maneiras: Um Modelo para Historiadores do Pensamento Político”. In Linguagens do ideário político. Sérgio Miceli (Org.); Fábio Fernandez (Trad.) – São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2003.

SUZUKI, Márcio. A forma e o sentimento do mundo: jogo, humor e arte de viver na filosofia do século XVIII. São Paulo: Editora 34, FAPESP, 2014.

Downloads

Publicado

2023-03-09

Como Citar

RODRIGUES, A. A. . PAIXÕES E RAZÃO: A PROXIMIDADE INESPERADA ENTRE ADAM SMITH E JOHN LOCKE. PENSANDO - REVISTA DE FILOSOFIA, [S. l.], v. 13, n. 29, p. 74-106, 2023. DOI: 10.26694/pensando.v13i29.13157. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/pensando/article/view/4041. Acesso em: 20 abr. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS/VARIA