Modalidades de educação: um diálogo com Maria da Glória Gohn, a partir da perspectiva da educação informal

Autores

  • Lúcio Enrico Vieira Attia Universidade Federal de Pernambuco -UFPE

DOI:

https://doi.org/10.26694/caedu.v4i3.3016

Palavras-chave:

Modalidades da Educação, Maria da Glória Gohn, Educação Informal, Festas Populares, Encontro de Bois de Olinda

Resumo

Desde a década de 90 a pesquisadora Maria da Glória Gohn tem se dedicado a desenvolver estudos sobre a Educação, que sistematiza em três modalidades: Educação Formal, Não-Formal e Informal, centralizando seus esforços, sobretudo, no âmbito da Educação Não-Formal. Na pesquisa que desenvolvo no doutorado, busco construir um conceito/metodologia, que tenho provisoriamente denominado como Pedagogia da Festa, para poder pensar as festas populares, no âmbito da Educação Informal, como um campo de estudos da Educação. Assim, pergunta-se neste texto: os elementos constitutivos da categorização elaborada pela autora seriam adequados para sistematizar o conhecimento produzindo pelas celebrações brasileiras, a partir da Educação Informal? Neste sentido, a escrita deste artigo tem como objetivo desenvolver uma reflexão, acerca das modalidades de educação - desde a perspectiva da Educação Informal, dialogando com a produção da principal estudiosa brasileira sobre o tema. O documento foi elaborado tendo como metodologia a análise da produção bibliográfica da pesquisadora em ordem cronológica da publicação de seus textos nas últimas duas décadas. Parte do mais antigo ao mais recente, com o intuito de poder vislumbrar, além de sua delimitação das modalidades educativas, o processo de elaboração e aprofundamento de sua construção ao longo do tempo. Como resultados, a proposta apresentada, ao iniciar sua reflexão de outro ponto de vista, mesmo que ainda em seus contatos iniciais, sugere o deslocamento de algumas proposições da autora, ao mesmo tempo em que vivencia o deslocamento da concepção de seu próprio argumento, em busca de uma maior correlação [e compreensão] entre as modalidades de educação, sobretudo a Educação Informal e as festas populares.

Referências

ARIES, Philippe. História social da criança e da família. Tradução Dora Flaksman. 2ª edição. Rio de Janeiro, Zahar. 1981. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/5525040/mod_resource/content/2/ARI%C3%88S.%20Hist%C3%B3ria%20social%20da%20crian%C3%A7a%20e%20da%20fam%C3%ADlia_text.pdf Acesso em 10 de junho de 2013.

ATTIA, Lúcio Enrico Vieira. Encontro de Bois de Olinda “a festa na Quarta de Cinzas é na casa de Dona Dá!” Ponto de convergência para múltiplas “culturas viajantes”. Dissertação de Mestrado em Cultura e Territorialidades, UFF. Niterói, 2015. 218 p. Disponível em: https://www.academia.edu/42913913/ENCONTRO_DE_BOIS_DE_OLINDA_A_FESTA_DA_QUARTA_DE_CINZAS_%C3%89_NA_CASA_DA_DONA_D%C3%81_Ponto_de_converg%C3%AAncia_para_m%C3%BAltiplas_culturas_viajantes Acesso em 17 mar 2022.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. O que é educação? São Paulo. Brasiliense, 1981. Disponível em:https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/1992579/mod_resource/content/1/O%20que%20e%20educa%C3%A7%C3%A3o.pdf Acesso em 17 mar 2022.

CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro e. Tempo e narrativa nos folguedos de boi. In: CAVALCANTI, Maria Laura Viveiros de Castro e (org): As festas e os dias: ritos e sociabilidades festivas. Rio de Janeiro: Contracapa. 2009, 28p. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rpcsoc/article/view/810. Acesso em 28 ago 2013.

DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. Tradução de Paulo Neves. São Paulo. Martins Fontes, 2007 (Coleção Tópicos). Disponível em: https://ayanrafael.files.wordpress.com/2011/08/durkheim-c3a9-as-regras-do-mc3a9todo-sociolc3b3gico.pdf . Acesso em: 07 jul. 2021

GOHN, Maria da Glória. A Educação Não-formal e a relação escola-comunidade. EccoS – Revista Científica, 6 (2). 2004. 39-66. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/eccos/article/view/380 Acesso em 22 março 2022.

________. Educação não-formal, participação da sociedade civil e estruturas colegiadas nas escolas. Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. V.14 Nº 50 p. 27-38 jan-mar 2006. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ensaio/a/s5xg9Zy7sWHxV5H54GYydfQ/?lang=pt Acesso em 22 março 2022.

________ Não-fronteiras: universos da educação não-formal. Coleção Rumos Educação Cultura e Arte, 2. São Paulo: Itaú Cultural, 2007. 96 p. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000221139 .Acesso em 22 março 2022.

________ Educação Não-Formal e o Papel do Educador (a) Social. Revista Meta: Avaliação, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 28-43, junho 2009. ISSN 2175-2753. Disponível em: <https://revistas.cesgranrio.org.br/index.php/metaavaliacao/article/view/1>. Acesso em: 09 sep. 2022.

________ Educação Não Formal, Aprendizagens e Saberes em Processos Participativos. Investigar em Educação - II ª Série, Número 1, 2014. 35-51. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/mod/url/view.php?id=2346870. Acesso em 22 março 2022.

______ Educação Não-formal nas instituições sociais. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 18, n. 39, p. 59-75, set./dez. 2016. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/mod/url/view.php?id=2346870. Acesso em 22 março 2022.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações - Comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2003. Disponível em: https://notamanuscrita.files.wordpress.com/2014/08/jesus-martin-barbero-dos-meios-as-mediac3a7c3b5es.pdf Acesso em 14 fev 2014.

MAUSS, Marcel. Ensaio sobre a dádiva. Forma e razão da troca nas sociedades arcaicas. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/1888?show=full

Acesso em 30 set 2015.

RESENDE, Cláudia Barcellos. Os limites da sociabilidade: “cariocas” e “nordestinos”

na feira de São Cristóvão. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/viewFile/2145/1284 . Acesso em

set 2013.

Downloads

Publicado

2022-12-29

Como Citar

ATTIA, L. E. V. . Modalidades de educação: um diálogo com Maria da Glória Gohn, a partir da perspectiva da educação informal. CAMINHOS DA EDUCAÇÃO diálogos culturas e diversidades, [S. l.], v. 4, n. 3, p. 01-21, 2022. DOI: 10.26694/caedu.v4i3.3016. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/cedsd/article/view/3016. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS