Funcionário e homem-massa

A tipificação de Vilém Flusser e Ortega y Gasset do homem contemporâneo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/pensando.vol14i31.3767

Palavras-chave:

Homem-massa, Funcionário, Ortega y Gasset, Vilém Flusser, Filosofia

Resumo

Este artigo apresenta a compreensão que Ortega y Gasset e Vilém Flusser tiveram do homem contemporâneo e de suas dificuldades. Ambos comentam um momento histórico onde a enorme maioria dos homens revela pouca preocupação e responsabilidade com seu destino e singularidade pessoal. Os dois filósofos enxergam um homem pouco comprometido com a excelência, superficial no trato com as coisas e sem aderir a um código moral como foi comum em outros momentos da história. Um outro aspecto importante dessa tipificação é que o conceito minoria de Ortega e o funcionário de Flusser não se referem à classe social, eles resumem uma maneira de viver. Esse tipo predominante e descrito por ambos tem na sociedade uma função bem definida. O homem-massa de Ortega e o funcionário de Flusser apesar dessas semelhanças, possuem significativas diferenças. Para Ortega, a função exercida pela minoria é uma especialidade, uma missão para a qual alguém precisará estar excepcionalmente qualificado, enquanto que para Flusser a minoria é um grupo que ocupa pequeno espaço na vida social e tem pouco peso no destino do grupo.  A apresentação desse homem contemporâneo pelos dois autores permitirá entender a compreensão que tiveram das suas dificuldades e do que precisam fazer para superá-las.

Biografia do Autor

José Maurício de Carvalho, UNIPTAN

Possui graduação em Psicologia, Filosofia e Pedagogia pela Universidade Federal de São João Del Rei (respectivamente em 1980, 1983 e 1984); especialização em filosofia clínica (2005) e em prática clínica (2018), pelo Instituto Packter de Porto Alegre; em Teologia: Fé e diálogo no mundo contemporâneo, na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Juiz de Fora (1986) e doutorado em Filosofia pela Universidade Gama Filho (1990). Realizou estágios de pós-doutorado na UFRJ (2002), na Universidade Nova de Lisboa - Portugal (1994), ambos em Filosofia e na UFJF em Psicologia (2020). Atualmente é professor do Centro Universitário Presidente Tancredo de Almeida Neves e Coordena o Comitê de Ética nesse mesmo Centro Universitário (UNIPTAN). Professor Titular de filosofia contemporânea aposentado da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ). Tem experiência na área de Filosofia, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia contemporânea, cultura, fenomenologia e ética. É Psicólogo Clínico atualmente atuando em consultório (CRP04-3051).

Referências

BERNARDO, Gustavo. A dúvida de Flusser. São Paulo: Globo, 2002. 316 p.

CARVALHO, José Mauricio de. Sugestões para o estudo da política contidas no Espectador de Ortega y Gasset. In: Estudos Filosóficos. São João del-Rei: n. 3, jul./dez. de 2009. p. 11-23.

CARVALHO, José Mauricio de. Estado e nação no pensamento de Ortega y Gasset. p. 124-142. In: Estudos Filosóficos. São João del-Rei: UFSJ, n. 6, jan./jun. de 2011.

CARVALHO, José Mauricio de. Ortega y Gasset e a ditadura das massas. p. 217-235. In: BENJAMIN, C. C, PICOLI, R. A, SILVA, F. B. e BUENO, R. Ditadura. São Paulo: Max Limonad, 2017.

CARVALHO, José Mauricio de. Delfim Santos e o desenvolvimento humano. Porto Alegre: MKS, 2018. 303 p.

DACAL, Guillermina Alonso. La rebelión de las masas; pronóstico de una realidade desafiante. p. 273-279. In: Revista de Estudios Orteguianos. v. 2, Madrid: Fundación Ortega y Gasset, 2001.

ESTEBAN, Pedro Luis Moro. La crisis del deseo. La rebelión de las masas a la luz de Meditación de la técnica. In: Revista de Estudios Orteguianos. Madrid: Fundación Ortega y Gasset, v. 2, 2001. p. 215-222.

FLUSSER, Vilém. Pós-História, vinte instantâneo e um modo de usar. São Paulo: Duas Cidades, 1983. 168 p.

FLUSSER, Vilém. Filosofia da caixa preta. São Paulo: Annablume, 2011. 108 p.

GRAY, Rockwell. José Ortega y Gasset, el imperativo de la modernidad. Madrid: Espasa Calpe, 1994. 397 p.

LAVEDÁN, Maria Isabel Ferreiro. La docilidade de las masas em la teoría social de Ortega y Gasset. p. 223-229. In: Revista de Estudios Orteguianos. v. 2, Madrid: Fundación Ortega y Gasset, 2001.

MARÍAS, Julian. Acerca de Ortega. Madrid: Espasa Calpe, 1991. 276 p.

ORTEGA Y GASSET, José. La rebelión de las masas. p. 113-310. Obras Completas. v. IV, Madrid: Alianza, 1994.

ORTEGA Y GASSET. Misión de la Universidad. p. 311-353. Obras Completas. v. IV, Madrid: Alianza, 1994.

PASCERINI, Maria Cristina. Reflexiones sobre la crisis de la vida colectiva en La rebelión de las masas. Uma visión dantesca de la sociedade? In: Revista de Estudios Orteguianos. Madrid, Fundación Ortega y Gasset, v. 2, 2001. p. 264-272.

PIMENTEL, Berta. Crise e sentido ou a missão de José Ortega y Gasset. In: Arquipélago - Filosofia. Ponta Delgada: Universidade dos Açores, v. 6, 1998, p. 145-175.

STEIN, Ernildo. A caminho de uma fundamentação pós-metafísica. Porto Alegre: Edipucrs, 1997. 163 p.

Downloads

Publicado

2023-05-06

Como Citar

DE CARVALHO, J. M. Funcionário e homem-massa: A tipificação de Vilém Flusser e Ortega y Gasset do homem contemporâneo. PENSANDO - REVISTA DE FILOSOFIA, [S. l.], v. 14, n. 31, p. 55-64, 2023. DOI: 10.26694/pensando.vol14i31.3767. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/pensando/article/view/3767. Acesso em: 24 maio. 2024.

Edição

Seção

ARTIGOS/VARIA