A EDUCAÇÃO INCLUSIVA: a atuação dos professores junto aos alunos com deficiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/epeduc.v6i1.4196

Palavras-chave:

Educação inclusiva, Formação de professores, Deficiência, Aprendizagem

Resumo

A pesquisa objetiva analisar as práticas de ensino de educação inclusiva na ótica de escolas públicas do DF, compreendendo o desenvolvimento dos professores que trabalham e atuam com estudantes com necessidades educacionais especiais. O estudo encontra-se ancorado à luz de autores, como: Tardif (2008), Mantoan (2013, 2015), Carvalho (2014), Orrú (2017) que contextualizam a formação docente, o desenvolvimento infantil e a educação inclusiva. Os resultados demonstraram que os professores tem ciência sobre a educação inclusiva; no entanto, apresentam carência quanto ao conhecimento das diversas deficiências e as adoções para o uso de recursos e atividades diferenciadas, para trabalhar na sala de aula com os alunos que apresentam alguma limitação. Concluímos que a formação continuada se torna um viés de superação e avanço nas práticas pedagógicas no contexto escolar, de modo a tornar mais significativo o olhar do professor em relação aos seus alunos.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução de Luís Antero e Augusto Pinheiro. Lisboa – Portugal: Edições 70, 1977.

BELO, Chantal; CARIDADE, Helena, CABRAL, Luisa; SOUSA, Raquel. Deficiência Intelectual: Terminologia Conceptualização. Revistas Diversidades: Eixos de esperanças. V.22, Olinda: dezembro, 2008.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para assuntos jurídicos. Decreto Nº 3.298 de 20 de dezembro de 1999. (1999). Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.ht . Acesso em: 05 mai. 2019.

CARVALHO, Rosita Elder. Removendo barreiras para a aprendizagem. 2. ed. Porto Alegre: Mediação, 2002.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Roberto. Metodologia Científica.6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

COELHO, Cristina M. Madeira: Aprendizagem e Desenvolvimento de pessoas com deficiência. In: ORRÚ, Sílvia Ester: Estudantes com necessidades especiais: singularidades e desafios na prática pedagógica inclusiva. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2012

CRESWELL, Jonh W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativos e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2007.

DISTRITO FEDERAL. Secretaria de Estado de Educação. (SEEDF). Educação Especial: Orientação pedagógica. Brasília, 2010.

GIL, Antonio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

ONU. Organização das Nações Unidas. CDPD – Convenção Internacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência. Disponível em: https://www.fundacaodorina.org.br/a-fundacao/deficiencia-visual/convencao-da-onu-sobre-direitos-das-pessoas-com-deficiencia/. Acesso: 17 de julho de 2019.

PARRA, Domingos Filho; ALMEIDA, João Santos. Metodologia Científica. 5. ed. São Paulo: Futura, 2002.

SILVA, Carla Maciel da. Deficiência Intelectual no Brasil: uma análise relativa a um conceito e aos processos de escolarização. Dissertação de mestrado – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre: UFRGS, 2016.

SOUTO, Mauricélia Tomáz. Educação inclusiva no Brasil: contexto histórico e contemporaneidade. Trabalho de conclusão de curso (graduação em Química) - Universidade Estadual da Paraíba. Centro de Ciências e Tecnologia, 2014.

Downloads

Publicado

2023-04-18

Como Citar

DANTAS, O. M. A. da N. A.; FREITAS, E. R. de; SILVA, D. T. A. da. A EDUCAÇÃO INCLUSIVA: a atuação dos professores junto aos alunos com deficiência. Epistemologia e Práxis Educativa - EPEduc, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 01-17, 2023. DOI: 10.26694/epeduc.v6i1.4196. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/epeduc/article/view/4196. Acesso em: 26 maio. 2024.