RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO E A PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: UMA SÍNTESE HISTÓRICA

THE RELATIONSHIPS BETWEEN EDUCATION AND THE PSYCHOLOGY OF EDUCATION IN BRAZIL: A HISTORICAL SYNTHESIS

Autores

  • Antonia Dalva França-Carvalho Universidade Federal do Piauí
  • Armstrong Miranda Evangelista Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.26694/epeduc.v3i1.10756

Palavras-chave:

Educação, Psicologia da Educação, Indivíduo

Resumo

Este artigo aborda a relação histórica entre a Educação no Brasil e a Psicologia, ancorando-se na produção literária que mostra o surgimento da Psicologia da Educação no Brasil, no início do século XX, seja enquanto disciplina, seja enquanto campo de conhecimento, antes mesmo da Psicologia. Em princípio, enquanto campo de conhecimento a psicologia educacional foi eminentemente, experimental e individual; servindo a interesses hegemônicos, ocupou-se se com a elaboração de testes de inteligência, de prontidão e aptidão; o objetivo era identificar as diferenças individuais, provavelmente, para responder porque a escola não conseguia cumprir a contento o seu papel. Enquanto disciplina, veio implementar os currículos das escolas normais no Brasil, buscou formar o professor capaz de compreender a personalidade da criança e orientar a sua aprendizagem. Este artigo também evidencia a preponderância da abordagem behaviorista que, na história (e ainda hoje), traçou os contornos da educação no Brasil. A partir daí reflete sobre a premência de se tomar na educação o sujeito na perspectiva de análise, o que implica na ampliação dos construtos teóricos da Psicologia em direção ao indivíduo coletivo e histórico bem como nas situações de educação formal, valorizando-se a perspectiva dialética e interdisciplinar.

Referências

DELORS, Jackes. Educação: um tesouro a descobrir: relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para todos. 6. ed. São Paulo: Cortez; Brasília-DF: MEC; UNESCO, 2001.

FRANÇA-CARVALHO, Antonia D. As transposições dos constructos teóricos da psicologia para as práticas pedagógicas: Limites e possiblidades. Linguagem, Educação e Sociedade (UFPI), Teresina, v. 08, p. 62-70, 2002.

FREITAS, Maria Teresa de Assunção. O pensamento de Vygotsky e Bakhtin no Brasil. Campinas: Papirus, 1994.

GOULART, I. B. Psicologia da educação: fundamentos teóricos e aplicações à prática pedagógica. 2ª ed.. Petrópolis- RJ: Vozes. (1989).

GOULART, I.B. Piaget: Experiências Básicas para Utilização pelo Professor. Petrópolis, Ed. Vozes, 1985.

LIBÂNEO, Jose C. A democratização da escola pública. A pedagogia crítcosocial dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1992.

_______ Produção de saberes na escola: suspeitas e apostas. In: CANDAU, Vera Maria (Org.). Didática, currículo e saberes escolares. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

MASSIMI, M. História das idéias de psicológicas no Brasil em obras do período colonial. Dissertação de Mestrado. São Paulo. USP, 1984.

MOREIRA, Marco A. Linguagem e aprendizagem significativa. In: II Encontro Internacional: Linguagem, Cultura e Cognição. Mesa redonda Linguagem e Cognição na Sala de Aula de Ciências. Belo Horizonte, MG, Brasil, 16-18/jul/2003.

ROMANELLI, Otaíza de Oliveira. História da Educação no Brasil.1930/1973.9 ed. Petrópolis-RJ: Vozes,1987.

ROSA, Sany S da. Construtivismo e mudança. 5 ed. São Paulo: Cortez, 1997 (Coleção questões da nossa época SEBER, M. da

Piaget: o diálogo com a criança e o desenvolvimento do raciocínio. São Paulo: Scipione, 1997.

Downloads

Publicado

2020-06-02

Como Citar

FRANÇA-CARVALHO, A. D. .; MIRANDA EVANGELISTA, A. . RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO E A PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: UMA SÍNTESE HISTÓRICA: THE RELATIONSHIPS BETWEEN EDUCATION AND THE PSYCHOLOGY OF EDUCATION IN BRAZIL: A HISTORICAL SYNTHESIS. Epistemologia e Práxis Educativa - EPEduc, [S. l.], v. 3, n. 1, 2020. DOI: 10.26694/epeduc.v3i1.10756. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/epeduc/article/view/1843. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigos