Amor: Ação coletiva intersticial na América Latina

Autores

DOI:

https://doi.org/10.26694/rer.v6i1.14353

Resumo

A presente obra organizada pelo já renomado e consagrado professor e pesquisador argentino Adrián Scribano (filiado institucionalmente ao CONICET e lotado na Facultad de Ciencias Sociales da Universidad de Buenos Aires) e sua equipe multinacional – composta por Jeanie Herrera (Guatemala), Joziene Assis (Brasil), Melina Amao Ceniceros (México), Rafael Ariaza Peña (Chile) e Sharon Diaz (Uruguay) – provoca o leitor com densa discussão sobre a cultura moral-emotiva latino-americana a partir da emoção específica e ocidental por excelência Amor. Em enfoques contextuais geográfica e nacionalmente dispostos (México, Guatemala, Brasil, Uruguai, Chile e Argentina), mas historicamente conectados pela experiência de trauma, de pânico e de falência de normalidades normativas e, ato contínuo, de remontagem individual e coletiva dos contratos sociais tácitos e suas respectivas imputações axiológicas, comportamentais e expressivas, o Amor é abordado como potência representacional e, sobretudo, como Ação Coletiva (tão ao gosto dos teóricos simbólico-interacionistas) de estruturação tensional de esferas públicas e políticas em torno de conflitos sociais.

Downloads

Publicado

2023-10-22

Como Citar

BORGES BARBOSA, R. . Amor: Ação coletiva intersticial na América Latina. Revista EntreRios do Programa de Pós-Graduação em Antropologia, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 186-188, 2023. DOI: 10.26694/rer.v6i1.14353. Disponível em: https://periodicos.ufpi.br/index.php/entrerios/article/view/5150. Acesso em: 17 abr. 2024.