Evidence-based practice: incorporating research into clinical practice

Autores

  • Luís Carlos Lopes-Júnior

DOI:

https://doi.org/10.26694/reufpi.v12i1.4400

Resumo

Evidências Científicas (ECs) configuram-se como “resultados de pesquisas científicas”, realizadas através de procedimentos que incorporaram critérios de validade, isto é, viabilidade (F-feasibility), adequação (A-appropriateness), significado (M-meaning) e efetividade (E-effectiveness) das práticas de saúde, levando-se em conta todas as possíveis fontes de vieses(1). O termo Prática Baseada em Evidências (PBE) foi cunhado entre as décadas de 70 e 80, sendo originário do movimento da Medicina Baseada em Evidências (MBE), quando foi proposta uma hierarquia dos níveis de ECs, de modo a direcionar a busca das melhores ECs disponíveis para a tomada de decisões na prática clínica(2). No ano de 2002, enfermeiras engajadas na prática clínica e em pesquisa estabeleceram um modelo para implementação da PBE, o “Advancing Research and Clinical Practice through Close Collaboration (ARCC)”, com o intuito de aprimorar e melhor integrar a pesquisa à prática clínica, atrelando aos cuidados de saúde locorregionais e nacionais(3).

Assim, a PBE consiste em uma abordagem ancorada na resolução de problemas para prover o cuidado em saúde que integra as melhores ECs disponíveis provenientes de estudos bem delineados, e combina com as preferências e valores do paciente e a expertise do profissional de saúde. Para a implementação da PBE na prática clínica, é preciso que o profissional de saúde mantenha a atitude questionadora de modo a transformar a prática clínica(3). O fio condutor da PBE é a utilização de resultados de pesquisas na prática. Nesse sentido, o movimento de Enfermagem Baseada em Evidências emerge como um elo que interliga as melhores ECs e sua aplicação na prática clínica, primando pela tomada de decisão para um cuidado cientificamente qualificado e seguro(1). Na prática do enfermeiro, a aplicação da PBE consiste em sete passos: 1) elaboração da questão clínica; 2) busca de ECs; 3) avaliação crítica das ECs recuperadas no processo de busca; 4) tomada de decisões com base nas melhores  ECs; 5) avaliação dos resultados da decisão clínica a ser implementada; 6) mudanças com base nas ECs disponíveis; 7) disseminação dos resultados da decisão clínica/mudança da práxis(3).

 

[...]

Referências

Pearson A, Wiechula R, Court A, Lockwood C. A re-consideration of what constitutes "evidence" in the healthcare professions. Nurs Sci Q. 2007;20(1):85-8.

Nelson AM. Best practice in nursing: a concept analysis. Int J Nurs Stud. 2014;51(11):1507-16. doi: 10.1016/j.ijnurstu.2014.05.003

Melnyk BM, Fineout-Overholt E, Stillwell SB, Williamson KM. The seven steps of evidence-based practice. Am J Nurs[Internet]. 2010[cited 2016 Nov 21];110(1):51-3.

Ingersoll GL. Evidence-based nursing. Nurs Outlook 2000 July/August; 48(4):151-2.

Kerr H, Rainey D. Addressing the current challenges of adopting evidence-based practice in nursing. Br J Nurs. 2021 Sep 9;30(16):970-974. doi: 10.12968/bjon.2021.30.16.970.

Jordan Z, Lockwood C, Munn Z, Aromataris E. The updated Joanna Briggs Institute model for evidence-based healthcare. Int J Evid Based Healthc. 2019;17(1):58-71. doi: 10.1097/XEB.0000000000000155

Bauer MS, Kirchner J. Implementation science: What is it and why should I care? Psychiatry Res. 2020;283:112376. doi: 10.1016/j.psychres.2019.04.025

Boehm LM, Stolldorf DP, Jeffery AD. Implementation Science Training and Resources for Nurses and Nurse Scientists. J Nurs Scholarsh. 2020 Jan;52(1):47-54. doi: 10.1111/jnu.12510.

Canadian Institutes of Health Research. Disponível em: http://www.cmaj.ca/content/181/3-4/165 e http://www.cihr-irsc.gc.ca/e/29529.html.

Publicado

2023-06-21

Como Citar

1.
Lopes-Júnior LC. Evidence-based practice: incorporating research into clinical practice. Rev Enferm UFPI [Internet]. 21º de junho de 2023 [citado 2º de março de 2024];12(1). Disponível em: http://periodicos.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/4400

Edição

Seção

Editorial