Sexual violence perpetrated against black Brazilian women: an integrative review

Autores

  • Anna Vytórya de Oliveira Silva
  • Gabriela Guimarães da Mota
  • Ariel Oliveira Rocha
  • Iraneide Nascimento dos Santos
  • Itamar Lages
  • Edilene Maria da Silva Barbosa
  • Ana Virgínia Rodrigues Veríssimo

DOI:

https://doi.org/10.26694/reufpi.v12i1.4066

Palavras-chave:

Delitos Sexuais, Enquadramento interseccional, População negra, Mulheres

Resumo

Objetivo: Analisar as evidências científicas em saúde sobre a violência sexual perpetrada contra mulheres negras no Brasil. Métodos: Revisão integrativa realizada em seis etapas, na qual a busca ocorreu em maio de 2023, nas bases de dados MEDLINE/PubMed, Scopus, Embase e no portal da Biblioteca Virtual de Saúde. A seleção se deu em duas etapas e, para extração das informações, utilizou-se formulário elaborado pelos autores cuja análise dos resultados se deu por meio da análise de conteúdo. Resultados: A partir da análise dos oito estudos emergiram as seguintes categorias: o perfil da violência sexual perpetrada contra mulheres negras; e a interseccionalidade e seus impactos sobre a violência sexual perpetrada contra mulheres negras. As práticas de violência sexual mais perpetradas foram o toque, a manipulação, os beijos forçados e as relações sexuais, com maior prevalência em mulheres jovens negras, que são mais culpabilizadas e responsabilizadas pela sociedade do que as demais. Conclusão: Há uma prevalência da violência sexual contra a mulher negra que, na maioria das vezes, está inserida em condições de vulnerabilidade social. Tendo em vista o racismo estrutural presente na atualidade, faz-se necessário o conhecimento desse tema a fim de promover um melhor atendimento para essas mulheres.

Referências

Viana AJB, Sousa ESS, Neves EM. Racismo nos serviços de saúde: a ausência do cuidado com as mulheres negras vítimas de violência sexual. Rev de Pesq Cuid é Fundamental Online.2015;7:65–76. Doi: https://doi.org/10.9789/2175-5361.2015.v7i5.65-76

Silvio LA. Racismo estrutural. São Paulo: Sueli Carneiro; 2019.

Linhares K. O corpo da mulher negra: a dualidade entre o prazer e o trabalho [Internet]. 2015. Available from: http://www.sies.uem.br/trabalhos/2015/623.pdf

Bandeira LM. Violência de gênero: a construção de um campo teórico e de investigação. Socied e Estado. 2014;29(2):449–69. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-69922014000200008

Oliveira ACA. Lélia Gonzalez e o pensamento interseccional: uma reflexão sobre o mito da democracia racial no Brasil. Interritórios. 2020;6(10):89. Doi: https://doi.org/10.33052/inter.v6i10.244895

Gessner R, Fonseca RMGS, Oliveira RNG. Violence against adolescents: an analysis based on the categories gender and generation. Rev da Escola de Enf da USP. 2014;48(spe):102–8. Doi: https://doi.org/10.1590/S0080-623420140000600015

Violência contra as mulheres - OPAS/OMS | Organização Pan-Americana da Saúde [Internet]. www.paho.org. Available from: https://www.paho.org/pt/topics/violence-against-women

Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). Violência contra as mulheres [Internet]. Available from: https://www.paho.org/pt/topics/violence-against-women

Freitas ME. Assédio moral e assédio sexual: faces do poder perverso nas organizações. Rev de Adm de Empresas. 2001;41(2):8–19. Doi: https://doi.org/10.1590/S0034-75902001000200002

Chauí MS. Convite a filosofia. São Paulo: Ática; 2012.

Visível e Invisível: A Vitimização de Mulheres no Brasil - 3ª edição. Fórum Brasileiro de Segurança Pública [Internet]. 3 ed.;2021. Available from: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2021/06/relatorio-visivel-e-invisivel-3ed-2021-v3.pdf

Xavier EC, Rocha KB. Subjetividade e interseccionalidade: experiências de adoecimento de mulheres negras com doença falciforme. Av. en Psicol. 2017;35(2):267. Doi: http://dx.doi.org/10.12804/revistas.urosario.edu.co/apl/a.3804

Lima KD de, Pimentel C, Lyra TM. Disparidades raciais: uma análise da violência obstétrica em mulheres negras. Ciênc & Saúde Colet. 2021;26(suppl 3):4909–18. Doi: https://doi.org/10.1590/1413-812320212611.3.24242019

Ferreira SC, Jesus LC de, Pinto AJCC. A produção do saber-cuidar em enfermagem a partir das interseccionalidades étnico-raciais, de classe e de gênero no brasil. Cenas Educacionais. 2021;4:e11858–8. Available from: https://itacarezinho.uneb.br/index.php/cenaseducacionais/article/view/11858/8627

Mendes KDS, Silveira RC de CP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Text & Context - Enf. 2008;17(4):758–64. Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Page MJ, McKenzie JE, Bossuyt PM, Boutron I, Hoffmann TC, Mulrow CD, et al. A declaração PRISMA 2020: diretriz atualizada para relatar revisões sistemáticas. Epidemio e Serv de Saúde. 2022;31(2). Doi: http://dx.doi.org/10.1136/bmj.n71

Cerqueira D, Ferreira H, Bueno S, Alves PP, Lima RS, Marques D, et al. Atlas da Violência 2021. São Paulo: FBSP; 2021.

Mourad Ouzzani, Hossam Hammady, Zbys Fedorowicz, and Ahmed Elmagarmid. Rayyan - a web and mobile app for systematic reviews. Systematic Reviews (2016) 5:210, Doi: 10.1186/s13643-016-0384-4

Galvão CM. Evidence hierarchies. Acta Paul Enferm. 2006;19(2):5–5. Doi: https://doi.org/10.1590/S0103-21002006000200001

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2010.

Melo CM de, Soares MQ, Bevilacqua PD. Sexual violence: evaluation of cases and care for women in specialized and non-specialized health services. Ciênc & Saúde Colet. 2022;27(9):3715–28. Doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232022279.07242022EN

Minayo MCS, Pinto LW, Silva CMFPD. Our daily violence according to PNS 2019 data. Ciênc & Saúde Colet. 2022;27(9):3701-3714. Doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232022279.07532022EN

Mascarenhas MDM, Melo AS, Rodrigues MTP, Bahia CA, Lima CM, Corassa RB, et al. Prevalence of exposure to violence among adults - Brazil, 2019. Rev Bras de Epidemio. 2021;24:e210019. Doi: https://doi.org/10.1590/1980-549720210019.supl.2

Mathias AK, Bedone A, Osis MJ, Fernandes AM. Perception of intimate partner violence among women seeking care in the primary healthcare network in São Paulo state, Brazil. Int J Gynaecol Obstet. 2013;121(3):214-7. Doi: https://doi.org/10.1016/j.ijgo.2012.12.019

Ribeiro CV. Sexual harassment and assault in domestic work: an exploration of domestic workers and union organizers in brazil. The J Latin American and Carib Anthrop. 2018;24(2):388–405. Doi: https://doi.org/10.1111/jlca.12348

Linhares LV, Torres ARR, Lucena AKV, Napolis NSC. Blaming the black victim: the victim’s skin color and belief in a just world. Trends in Psychology. 2023;31:1–15. Doi: https://doi.org/10.1007/s43076-021-00134-7

Linhares LV, Torres AR. She deserved it: analysis of variables that influence the accountability of victims of sexual violence. Acta Colomb de Psicol. 2022;25(1):218–29. Doi: https://www.doi.org/10.14718/ACP

Corrêa MD, Moura L, Almeida LP, Zirbel I. As vivências interseccionais da violência em um território vulnerável e periférico. Saúde e Soc. 2021;30(2). Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902021210001

Akotirene C, Ribeiro D. Interseccionalidade. São Paulo: Jandaíra; 2019. Doi: https://doi.org/10.26512/les.v20i2.28624

Davis A. A liberdade é uma luta constante. São Paulo: Boitempo Editorial; 2018. Doi: https://doi.org/10.31977/grirfi.v18i2.873

Davis A. Mulheres, raça e classe. São Paulo: Boitempo; 2016. Available from: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4248256/mod_resource/content/0/Angela%20Davis_Mulheres%2C%20raca%20e%20classe.pdf

Bell H. O feminismo é para todo mundo políticas arrebatadoras. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos; 2018. ISBN:978-85-01-11559-1 Available from: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/6969603/mod_resource/content/1/bell_hooks_O_feminismo_%C3%A9_para_todo_mundo_Pol%C3%ADticas_arrebatadoras%20%282%29.pdf

Alberguini S. Repercussões da violência sexual na vida das mulheres [dissertação]. Santos: Universidade Federal de São Paulo; 2019:76.

Fernandes BCA, Cerqueira C. A violência contra as mulheres como uma violação dos direitos humanos: do positivado ao noticiado. Gên Dir. 2017;6(1). Available from: http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/ged/index

Costa ES, Silva KL. As políticas públicas frente à violência sexual contra a mulher. Nucleus. 2020;17(1):239–62. Doi: https://doi.org/10.3738/1982.2278.3717

Brasil. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Presidência da República. Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres [Internet]. 2011 [citado 2023 Mar 03]. Available from: https://www12.senado.leg.br/institucional/omv/entenda-a-violencia/pdfs/politica-nacional-de-enfrentamento-a-violencia-contra-as-mulheres

Brasil. Lei No 10.778, de 24 de Novembro de 2003. Estabelece a notificação compulsória, no território nacional, do caso de violência contra a mulher que for atendida em serviços de saúde públicos ou privados. 2003 [citado 2023 fev 25]. Available from: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/2003/L10.778.htm

Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social. Política Nacional de Saúde Integral da População Negra - 3 edição. Brasília (DF): Editora do Ministério da Saúde; 2017. [citado 2023 fev 10]. Available from: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_populacao_negra_3d.pdf

Oliveira AFS, Emanuelle T, Barreto CA. O cuidar em enfermagem à mulher vítima de violência sexual. Rev Saúde em Foco [Internet]. 2019;11:567-573. Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-07072010000100018

Borret RH, Araujo DHS de, Belford PS, Oliveira DOPS de, Vieira RC, Teixeira DS. Reflexões para uma prática em saúde antirracista. Rev Bras de Ed Médica. 2020;44. Doi: https://doi.org/10.1590/1981-5271v44.supl.1-20200405

Publicado

2023-10-24

Como Citar

1.
Silva AV de O, Mota GG da, Rocha AO, Santos IN dos, Lages I, Barbosa EM da S, Veríssimo AVR. Sexual violence perpetrated against black Brazilian women: an integrative review. Rev Enferm UFPI [Internet]. 24º de outubro de 2023 [citado 2º de março de 2024];12(1). Disponível em: http://periodicos.ufpi.br/index.php/reufpi/article/view/4066

Edição

Seção

Revisão