Linguagens, Educação e Sociedade http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc <p>A Revista <em><strong>Linguagens, Educação e Sociedade</strong></em> <strong>(LES)</strong> é um veículo de divulgação científica do Programa de Pós-Graduação em Educação<em>,</em> do Centro de Ciências da Educação, da Universidade Federal do Piauí, criado em 1996, com a edição de dois números anuais, passando a ser publicada na versão eletrônica, a partir de 2017, com publicação quadrimestral.</p> <p>A <strong>LES</strong> tem o objetivo de contribuir com a divulgação do conhecimento científico no campo da Educação e áreas afins, produzido por pesquisadores brasileiros e estrangeiros. A Revista publica resultados de pesquisas originais e inéditos, revisões bibliográficas e resenhas de obras relevantes para a área de Educação, em português, espanhol e inglês, em conformidade com sua política editorial.</p> <p><strong>Qualis</strong> (2017-2020): A3 | <strong>ISSN</strong>: 1518-0743 | <strong>e-ISSN</strong>: 2526-8449 | <strong>Prefixo DOI</strong>: 10.26694</p> Universidade Federal do Piauí pt-BR Linguagens, Educação e Sociedade 2526-8449 AS TECNOLOGIAS DE INDIVIDUAÇÃO E O DISCURSO BIOPEDAGÓGICO SOBRE A EDUCAÇÃO http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/3386 <p>As tecnologias de individuação ou os modos de formação da natureza do indivíduo, segundo Gilbert Simondon têm uma condição quase imperceptível ao passo em que o seu resultado é objetivamente concreto. Na educação, é como se elas operassem sutilmente, de modo que sobre a teoria e a prática educativas fosse possível a instalação de uma produção de subjetividade específica pela qual o fluxo social deve necessariamente passar. Acredita-se que essa produção se deu e ainda se dá influenciada pelo domínio do discurso biopedagógico, que esteve no cerne da problemática pedagógica do século XX. Para analisar o problema em questão, este texto recorreu a um estudo bibliográfico e chegou à consideração de que essas tecnologias se encontram disseminadas no campo social e ainda configuram práticas pedagógicas, mesmo que tensionadas pelos paradigmas contemporâneos que colocam em jogo tais formas de produção da individuação e da subjetividade.</p> Bruno Gonçalves Borges Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 1 21 10.26694/rles.v28i56.3386 MOVIMENTOS SOCIAIS E EDUCAÇÃO POPULAR: UMA ANÁLISE CRÍTICA DOS DISCURSOS DE LÍDERES POLÍTICOS NA WEB http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4455 <p>Este artigo teórico/exploratório, originado de uma pesquisa doutoral, financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), vinculado à Rede Latinoamericana de Pesquisa em Educação do Campo, da Cidade &amp; Movimentos Sociais (RedePECC&amp;MS), teve por objetivo analisar, no pensamento social, como o discurso de líderes políticos brasileiros influentes estimulam o “ódio de classes” e o “ódio político”. O recorte temporal foi de janeiro de 2013 a outubro de 2020, período de difusão do marketing político digital por meio de plataformas como <em>Facebook </em>e <em>Twitter</em>. O corpus de análise foi constituído por 11 fragmentos discursivos de líderes de militância intensa, reconhecidos por sua trajetória em defesa dos direitos sociais, referências como representantes do “pensamento progressista”, influenciadores dos Movimentos Sociais e com grande visibilidade nos meios de comunicação. O resultado revelou como estímulos e aspectos semióticos sobre o “ódio de classes” se apresentavam de forma significativa nas falas do então Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e ecoavam por diversos líderes e influenciadores, incorporando-se aos processos de educação informal.</p> Nadilson Ribeiro de Siqueira Natanael Reis Bomfim Copyright (c) 2023 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 1 26 10.26694/rles.v28i56.4455 A BNCC E A EDUCAÇÃO ESCOLAR INDÍGENA: O CASO DO DOCUMENTO CURRICULAR REFERENCIAL MUNICIPAL DE ITAMARAJU (BAHIA) http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4865 <p>Este artigo apresenta um estudo sobre os níveis de adesão aos pressupostos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e das diretrizes da modalidade Educação Escolar Indígena no currículo municipal. Por meio de uma pesquisa qualitativa realizada com base na análise documental e no estudo de caso do documento curricular do município de Itamaraju (Bahia), do Ensino Fundamental, identificaram-se alguns níveis de consonância aos parâmetros da BNCC e aos marcos legais e pedagógicos da educação escolar indígena, sobretudo, a respeito da inclusão do componente curricular Língua Materna (Patxohã) do povo Pataxó do sul da Bahia.</p> Eliete da Silva Pereira Copyright (c) 2023 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 29 10.26694/rles.v28i56.4865 IMPACTOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA COM JOGOS DIGITAIS PARA O ENSINO DE MÚSICA: UM ESTUDO COLABORATIVO http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4967 <p>A promulgação da Lei nº 13.278/16, que estabelece a obrigatoriedade dos conteúdos de música, artes visuais, teatro e dança na educação básica, juntamente com a crescente necessidade de formação docente, serviram de motivação para a pesquisa sobre o emprego de jogos digitais na formação continuada de docentes de música. Portanto, este estudo tem como objetivo investigar os impactos da formação continuada de um docente de música do Ensino Fundamental por meio da utilização de jogos digitais como ferramenta educacional. Para tanto, foi realizado um estudo qualitativo por meio de uma pesquisa colaborativa que envolveu a colaboração entre pesquisadores e um docente de música do ensino fundamental. A coleta de dados incluiu análise documental, observações, entrevistas e questionários. A análise textual discursiva (ATD) foi aplicada para examinar textos discursivos coletados. A análise dos dados revelou que a formação continuada de docentes por meio de jogos digitais foi validada, uma vez que promoveu o entusiasmo do docente e engajamento dos estudantes. Os resultados também apontaram para a importância do planejamento e reflexão no uso de jogos digitais e destacaram a colaboração entre pesquisadores e docentes. Esperamos que a estratégia pedagógica investigada neste estudo, com base na pesquisa colaborativa, apresente um enfoque pedagógico alternativo para o contexto da educação musical.</p> Beatriz de Oliveira Ogata Sidinei de Oliveira Sousa Vinícius Fagundes Vargas Copyright (c) 2023 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 1 30 10.26694/rles.v28i56.4967 O LIVRO DE NÃO FICÇÃO PARA CRIANÇAS: ENTRE A AETONORMATIVIDADE E A ALTERIDADE http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/3983 <div> <p class="ResumoeAbstract">O presente artigo tem como objetivo discutir sobre a relação criança e adulto no circuito do livro não ficcional. Para isso, é apresentado um panorama sobre as percepções das infâncias, no qual elencamos o conceito de Nikolajeva (2009) de “Aetonormatividade” para tentar demonstrar como muitas produções editoriais constroem uma relação verticalizada e desigual entre adultos e crianças na dimensão textual. Neste sentido, são apresentadas duas obras que caminham nessa perspectiva aetonormativa, “Água” (2020) do “Programa Conta pra mim” e “Mundinho Azul” de Ingrid Bellinghausen (2011). Em contraposição, são elaboradas algumas propostas de discussão como a ideia de partilha da informação sob o prisma da alteridade, dessa maneira, as crianças e os adultos compartilham informações e experiências do mundo, a partir de suas assimetrias e semelhanças, em busca de construir uma rede de conexões e saberes entre humanos e não humanos. A partir dessa perspectiva são apresentados dois livros não ficcionais, “Web” de Isabelle Simler(2018) e “Arboles” de Lemniscates (2015) que estão submersos em uma trama de linguagens e textos que convocam os leitores, a partilharem o conhecimento sobre o mundo, tendo sempre em vista, a inventividade e a sensibilidade como indícios potenciais a serem seguidos por todos, adultos e crianças, que pretendem produzir, elaborar, mediar e ler um livro não ficcional.</p> </div> Marcus Vinicius Rodrigues Martins Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 24 10.26694/rles.v28i56.3983 ANÁLISES DA MATRIZ DE REFERÊNCIAS DE CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS DO ENCCEJA http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4515 <p>A pesquisa tem como objetivo analisar como as competências e habilidades da Matriz de Referência das Ciências da Natureza e suas Tecnologias (MRCNT) do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (ENCCEJA) mobilizam os conhecimentos dos jovens e adultos que não tiveram acesso à escolaridade na idade própria. Entendemos que a MRCNT delimita quais conteúdos, habilidades e conhecimentos são importantes para o ENNCEJA e para a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Sendo uma política pública, destacamos quais são os objetivos do ENCCEJA e como se caracterizam os seus sujeitos. Como referencial teórico, destacamos as perspectivas do currículo pré-ativo e do vivido acompanhadas de discussões sobre o conhecimento a partir das noções do <em>conhecimento em si</em> e do <em>conhecimento para fazer algo.</em> O referencial metodológico para abordarmos a MRCNT foi a análise de conteúdos de Laurence Bardin. Concluímos que os conhecimentos destacados nas habilidades e competências presentes na MRCNT são todos relacionados a conhecimentos disciplinares e sobre a natureza das ciências, abrindo-se pouco espaços para os conhecimentos e culturas locais. Na medida em que os conhecimentos presentes na Matriz são pretensamente objetivos e universais, eles se adequam aos sistemas de avalições em larga escala que favorecem a cristalização dos conhecimentos, a generalização das formas de preparo dos estudantes e a arrecadação de dados de performance.</p> David Andrade Marques da Silva Isabel Martins Copyright (c) 2023 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 30 10.26694/rles.v28i56.4515 ESCUTA SENSÍVEL NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA ABORDAGEM PEDAGÓGICA CENTRADA NA CRIANÇA http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4868 <p>O presente estudo tem como objetivo central analisar o processo de escuta das manifestações das crianças na educação infantil e sua incorporação nos planejamentos e efetivação da prática pedagógica. As discussões apoiam-se na perspectiva conceitual da Sociologia da Infância, na concepção de criança como produtora de cultura e linguagens. Os procedimentos metodológicos utilizados possuem como base uma pesquisa descritiva e exploratória com abordagem qualitativa. As observações na sala de referência de uma turma pré-escolar e a entrevista com a educadora responsável pela turma foram escolhidas como os instrumentos de produção de dados. As reflexões tecidas neste estudo tiveram como principais suportes teóricos o trabalho de pesquisadores como Belloni (2009); Corsaro (2011), Sarmento (2008), Rinaldi (2012), Friedmann (2019), Delgado e Müller (2005), e Müller (2006). A partir dos achados na pesquisa foi possível organizar três categorias de estudo: a) espaço/ tempo na rotina das crianças; b) o planejamento através das vozes das crianças; c) a percepção sobre as crianças e suas vozes. Os resultados evidenciaram uma participação minimizada, controlada, na qual a professora não utiliza estratégias pedagógicas para que as crianças participem ativamente se posicionando sobre o seu processo de aprendizagem. Conclui-se, diante disso, que as crianças são sujeitos competentes que precisam ser consideradas nas suas diversas linguagens, e ao visualizá-las como centro da proposta pedagógica é possível a realização de um trabalho significativo e participativo, com elas, que amplie seu desenvolvimento, o que afirma a importância da escuta sensível para elaboração e condução das ações educativas na educação infantil.</p> Laíse Soares Lima Gicelma de Oliveira Cavalcante Ingrid Nayanne da Silva Santos Copyright (c) 2023 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 1 30 10.26694/rles.v28i56.4868 O AGENCIAMENTO ECONÔMICO-FORMATIVO DA EDUCAÇÃO NO CAMPO NO ACRE http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4561 <p>Este estudo enfatiza o exame dos programas e projetos educacionais do campo no Vale do Juruá-Acre, verificando suas articulações com a agenda global dos organismos multilaterais e seus reflexos sobre a pobreza. Como constituintes metodológicos atinentes às concepções teóricas e gerados pelos dados documentais, pelo enfoque de natureza qualitativa, desenvolvemos uma análise dialética. Na pesquisa, identificou-se o predomínio da dimensão econômico-formativa, tanto no conhecimento escolar quanto no trabalho, apreendidos para legitimar um ideário educativo e de modo de vida que captura as individualidades e singularidades dos povos do campo, produzindo uma convergência de interesses que falseia a realidade e repercute como condicionante socioeconômico e educativo.</p> Marcondes de Lima Nicácio Copyright (c) 2023 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 26 10.26694/rles.v28i56.4561 CONCEPÇÕES AVALIATIVAS NO BLOCO INICIAL DE ALFABETIZAÇÃO: NARRATIVAS DOCENTES E DA COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4872 <p>O presente estudo analisou as concepções sobre práticas avaliativas na alfabetização de cinco docentes atuantes nos 1º, 2º e 3º anos do ensino fundamental e da coordenadora pedagógica de uma escola da Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal. No campo da avaliação e suas múltiplas facetas, o estudo dialoga com Luckesi (2013; 2011; 2006; 2003), Perrenoud (1999), Hadji (2001), Villas Boas (2017; 2014; 2008;) e Freitas (2014). Além desses, essa temática está ancorada em documentos de base legal, a exemplo das Diretrizes Pedagógicas do bloco inicial de alfabetização (DISTRITO FEDERAL, 2012); as Diretrizes de Avaliação Educacional: Aprendizagem, Institucional e em Larga Escala (DISTRITO FEDERAL, 2014a), Diretrizes Pedagógicas para Organização do 2º Ciclo (DISTRITO FEDERAL, 2014b) e no do Currículo em Movimento (DISTRITO FEDERAL, 2018). Trata-se de um estudo de natureza qualitativa (ANGROSINO, 2009; RESENDE, 2009). Para a produção de dados, recorreu-se à entrevista com grupo focal realizada em outubro de 2021, de forma online, por meio da plataforma Meet, com cinco professores/as atuantes em turmas de alfabetização, bem como entrevista semiestruturada presencial com a coordenadora pedagógica de uma escola pública da cidade de Ceilândia- DF. Para o tratamento e análise dos dados, recorreu-se à análise de conteúdo temática (BARDIN, 1977; FRANCO, 2008). Os resultados apontaram para a defesa da perspectiva formativa de avaliação, de modo que tanto os/as docentes quanto a coordenadora pedagógica mencionaram alternativas didáticas que adotavam para assegurar essa prática.</p> Camilli de Castro Barros Solange Alves de Oliveira-Mendes Copyright (c) 2023 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 27 10.26694/rles.v28i56.4872 A INTERFERÊNCIA DA PEDAGOGIA DOS MULTILETRAMENTOS NA BNCC DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO FUNDAMENTAL http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4405 <p>Neste trabalho, nos propomos a analisar a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) de Língua Portuguesa dos Anos Finais do Ensino Fundamental, com foco na proposta dos multiletramentos. Trata-se de um recorte de uma pesquisa de mestrado em andamento. Por se tratar de um estudo ainda em processo de conclusão, apresentaremos no presente artigo os resultados referentes à nossa primeira categoria analítica, que está alicerçada na seguinte questão investigativa: como está caracterizada a proposta de multiletramentos apresentada na BNCC de Língua Portuguesa dos Anos Finais do Ensino Fundamental? Assim, apresentamos uma análise comparativa entre a BNCC e a abordagem da Pedagogia dos Multiletramentos, tomando como foco analítico os textos referentes à seção introdutória (p. 67-86), bem como os campos de atuação (campo artístico-literário, campo das práticas de estudo e pesquisa, campo jornalístico-midiático e campo de atuação na vida pública) — descritos nas seções referentes às práticas de linguagem, destinados aos Anos Finais do Ensino Fundamental. Ademais, interpretamos em que medida as bases teórico-conceituais advindas da Pedagogia dos Multiletramentos estão postas na BNCC de Língua Portuguesa dos Anos Finais do Ensino Fundamental. O aporte teórico se ancora em KALANTZIS, COPE; PINHEIRO (2020); RIBEIRO (2020); CAZDEN <em>ET AL</em> (2021); GRUPO NOVA LONDRES, (2021); entre outros. Quanto à metodologia, recorremos à abordagem qualitativa de base interpretativista, utilizando os procedimentos da pesquisa documental. Os resultados parciais apontam que a BNCC de Língua Portuguesa dos Anos Finais do Ensino Fundamental está revestida de conceitos advindos da Pedagogia dos Multiletramentos, embora esses conceitos não estejam associados diretamente à teoria do GNL (Grupo Nova Londres).</p> Rogéria Dantas de Melo Justino Roziane Marinho Ribeiro Copyright (c) 2023 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 30 10.26694/rles.v28i56.4405 PROCESSOS EDUCACIONAIS EM TEMPOS DE PANDEMIA E SEUS DESDOBRAMENTOS: REFLEXÕES SOBRE O POTENCIAL DA PESQUISA-TRANS-FORMAÇÃO http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4775 <p>O presente artigo tem a intencionalidade de discutir a perspectiva da Pesquisa-Trans-Formação, modalidade de pesquisa que vem sendo desenvolvida por um grupo pertencente ao Programa de pós-graduação em Educação: Psicologia da Educação, o Grupo Atividade Docente e Subjetividade (GADS). Esta modalidade traz em sua significação histórica um chamamento para o agir revolucionário, tensionando a atuação crítica e transformadora que pode ser excitada na realidade pesquisada. Este artigo versa sobre um recorte analítico acerca dos encontros formativos realizados junto a uma média de quinze professores de escolas públicas da cidade de São Paulo, que se propuseram a discutir os desafios dos processos de ensino-aprendizagem durante a pandemia. O objetivo desta pesquisa foi a apreensão da dimensão subjetiva dos processos educacionais em tempos de pandemia e os seus desdobramentos. A intenção de desenvolver pesquisas e formações, decisivamente nesta perspectiva crítica marxista da qual tratamos aqui, pode ser percebida no movimento práxico científico desta modalidade de pesquisa - que tem como pedra angular a crítica, a necessidade de apreensão da realidade social para além de sua aparência, que considere o movimento histórico da realidade, que mantenha a coerência teórico-metodológica na concepção dialética das interrelações teoria-prática-método-técnica-síntese, tudo isso rigorosa e explicitamente assumido desde a escolha do objeto, do objetivo, dos procedimentos e formas de análise e de interpretação. Nesse caminho orientado pela dialética pesquisar-formar-transformar, tendo por base as contribuições de Karl Marx, Lev Vigotski e Paulo Freire, refletimos neste artigo sobre o potencial do desenvolvimento de formações realizadas sob a modalidade da Pesquisa-Trans-Formação, mostrando a relevância dos processos da pesquisa na criação de importantes mediações na formação de consciência crítica e desvelamento de condições de alienação.</p> Luciana de Oliveira Rocha Magalhães Wanda Maria Junqueira de Aguiar Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 19 10.26694/rles.v28i56.4775 TDAH NO ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA: análise dos trabalhos publicados no ENEBIO (2011 a 2021) http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4965 <p>O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) caracteriza-se como uma condição neurobiológica de causas genéticas que ocasiona sintomas como desatenção, hiperatividade e impulsividade. Compreendendo que esses sintomas afetam principalmente as crianças em idade escolar, este estudo tem como objetivo analisar a produção de trabalhos nos anais do Encontro Nacional de Ensino de Biologia (ENEBIO) relacionada a produções acadêmicas sobre a inclusão de alunos com TDAH no ensino de Ciências e Biologia<em>.</em> Trata-se de uma pesquisa de caráter qualitativo, do tipo levantamento bibliográfico, com um recorte temporal de 10 anos, sendo correspondente ao período de 2011 a 2021. A busca dos trabalhos se deu a partir dos seguintes descritores: TDA/H, transtorno, déficit de atenção, hiperatividade, educação especial, educação inclusiva. Os resultados apontam que há uma baixa quantidade de artigos publicados no ENEBIO sobre inclusão de alunos com o transtorno, evidenciando a necessidade de novos estudos. O baixo número de resultados dificulta as discussões sobre a temática, bem como a elaboração de estratégias didático-pedagógicas que possibilitem a inclusão de estudantes com TDAH no ensino de Ciências e Biologia.</p> Beatriz dos Reis Almeida Viviane Borges Dias Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 10.26694/rles.v28i56.4965 O LUGAR DA VELHICE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EJA: ANÁLISE DE CONHECIMENTOS EM GERONTOLOGIA http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4071 <p>O presente artigo apresenta o resultado de uma investigação sobre “O lugar da velhice na formação de professores da EJA: uma análise de crenças, atitudes e conhecimentos gerontológicos” e tem por objetivo identificar o nível de conhecimento que os professores da EJA têm sobre o processo de envelhecimento, a velhice e o idoso. Para tal utilizou o Questionário Palmore-Neri-Cachioni e um questionário sociodemográfico. Como resultados identificou que os professores apresentam um baixo nível de conhecimento básico em Gerontologia, o que pode encontrar forte relação com iniciativas de formações docentes e produção de material formativo que não conseguiram alcançar o objetivo esperado. O Brasil é um dos países com a maior taxa de envelhecimento no mundo, o que significa que a cada dia avançamos para uma realidade onde mais e mais indivíduos chegarão à velhice, demandando um aporte social que dê conta de suas necessidades, entre elas as necessidades educacionais. É urgente que uma formação de professores que contemple os conhecimentos gerontológicos em seu bojo, a fim de superar os preconceitos e exclusões que as pessoas idosas sofrem fora e dentro das escolas. </p> Everton Willian de Oliveira Cavalcanti Márcia Regina Barbosa Nayana Pinheiro Tavares Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 27 10.26694/rles.v28i56.4071 O PANORAMA DE FECHAMENTO E NUCLEAÇÃO DAS ESCOLAS DO CAMPO NO MUNICÍPIO DE PITANGA/PR ENTRE 1995 E 2020 http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4565 <p>O artigo apresenta os resultados de uma pesquisa de mestrado em educação cujo principal objetivo é analisar o fechamento e a nucleação das escolas do campo no município de Pitanga, localizado no estado do Paraná. A pesquisa foi realizada por meio de abordagem qualitativa e documental, com o intuito de compreender o processo histórico de fechamento das escolas do campo entre os anos de 1995 e 2020. O período de análise foi estabelecido a partir da independência do último município que se desmembrou de Pitanga. Para obter informações sobre as escolas fechadas nesse período específico, foram realizadas pesquisas documentais na Secretaria de Educação. Quanto à metodologia, trata-se de uma pesquisa qualitativa, enquanto que em relação aos objetivos, pode ser classificado como exploratória, e em termos de procedimentos técnicos, caracterizando-se como bibliográfico. Neste estudo, busca-se estabelecer uma discussão acerca da relação entre o fechamento e a nucleação de escolas, que se torna uma tendência consolidada em diversos municípios do Paraná. Os dados obtidos indicam que a tendência de fechamento de escolas no município de Pitanga é contínua, sendo fechadas mais de 80 escolas do campo em pouco mais de duas décadas. Foram utilizados como documentos norteadores a Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB 9.394/96 e as Diretrizes Curriculares da Educação do Campo (2006). Entre os principais autores estão: Caldart (2012), Hage (2014), Paula (2015) e Vasconcellos (1993).</p> Samoel Cordeiro de Souza Primo Marcos Gehrke Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 1 26 10.26694/rles.v28i56.4565 VIOLÊNCIA ESCOLAR E PRÁTICA PEDAGÓGICA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4345 <p>A violência é um fenômeno visível socialmente, e a escola é uma instituição onde se desenvolve de diferentes formas, denotando a sua relevância no ambiente educacional. Neste contexto, objetiva-se descrever os estudos publicados, entre os anos de 2013 a 2022, acerca da violência escolar, tendo como parâmetro a prática pedagógica dos professores na Educação Básica. O estudo é de natureza quanti-qualitativa de cunho exploratório e descritivo, desenvolvido a partir de estatísticas básicas, análise de similitude e de conteúdo. A partir do <em>corpus textual </em>em análise, emergiram três categorias: <em>i</em>) violência, que apresentou conexão com os termos escola, prática docente e pesquisa; <em>ii</em>) professor, que interagiu com aluno, estudo e ensino; e, <em>iii</em>) escolar, que se interligou com contexto social. Os resultados indicam que a violência escolar tem forte impacto sobre o comportamento dos docentes e discentes, o que resulta em adoecimento e desmotivação pela profissão entre os professores e provoca evasão escolar, medo e danos psicológicos nos alunos. Conclui-se que a violência escolar é uma variável que precisa ser mais estudada e discutida pelos profissionais da educação e pela sociedade, a fim de construir soluções que, por um lado, combatam atitudes danosas ao ambiente escolar e, por outro, evitem danos físicos e psicológicos, particularmente, aos principais sujeitos do processo ensino-aprendizagem.</p> Enizete Andrade Ferreira Estumano Emmanuelle Pantoja Silva Maély Ferreira Holanda Ramos Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 1 24 10.26694/rles.v28i56.4345 CEGUEIRA NOSSA DE CADA DIA E TEORIA DA PANÓPTICA: POLÍTICA DE MILITARIZAÇÃO DE ESCOLAS PÚBLICAS http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4875 <p align="justify"><span style="font-family: Liberation Serif, serif;"><span style="font-size: medium;"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Candara, serif;"><span style="font-size: small;">Este artigo é um recorte de uma pesquisa de doutorado em andamento, faz parte das discussões sobre Políticas Públicas Educacionais, com enfoque no processo de transposição de escolas da Educação Básica para o modelo cívico-militar. Trata-se de compreender o crescimento exponencial do número de escolas da Educação Básica que tiveram a gestão escolar transferida para a Polícia Militar da Bahia (PMBA). Nesse sentido, buscou-se como objetivo geral discutir os efeitos da gestão militarizada para a dimensão democrática e participativa destas escolas. A pesquisa está sendo realizada a partir da abordagem qualitativa, empregando o Método Delphi e como referencial analítico a teoria foucaultiana. A recolha dos dados iniciais fornece indícios do caráter burocrático da instituição Polícia Militar repercutindo na dificuldade de acessos a informações fundamentais para o aprofundamento das análises. Nessa perspectiva, consideramos que a gestão democrática não é um caminho pronto, da mesma maneira, é um processo que não ocorrerá espontaneamente, desenrola-se em uma dinâmica de relações de poder.</span></span></span></span></span></p> Érico José dos Santos Gabriela Sousa Rêgo Pimentel Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 22 10.26694/rles.v28i56.4875 LECTURA DE TEXTOS DE DIVULGACIÓN CIENTÍFICA EN LA ENSEÑANZA SECUNDARIA: UN ANÁLISIS DE LA PRÁCTICA DOCENTE http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4961 <p>O ensino de leitura tem recebido atenção especial, principalmente após as avaliações nacionais e internacionais, que mostram o baixo nível de compreensão leitora dos alunos brasileiros do ensino médio. Esta pesquisa teve como objeto de estudo a incidência da concepção de leitura como decodificação, subjacente à prática pedagógica nas aulas de leitura de divulgação científica no nível médio, a fim de compreender a relação entre essa concepção e a seleção de procedimentos didático-pedagógicos que os professores realizam para suas práticas, com vistas ao lugar dado ao aluno como protagonista na construção dos sentidos do texto. O objetivo deste artigo é refletir sobre a didática da leitura de textos populares de ciências e descrever o percurso desde a escolha dos textos e das atividades propostas pelos professores até revelar as dimensões e categorias de análise que demonstram a viabilidade da análise de conteúdo para analisar o corpus. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semiestruturadas, observação da prática docente e grupos focais. A concepção de texto como produto acabado e de leitura como descodificação ou expressão do pensamento sobrepôs-se à concepção de leitura como interação. Assim, verificou-se que, no espaço da sala de aula de leitura acadêmico-científica o texto não é entendido como processo, e a leitura não é concebida como coprodução de sentidos. Daí, a necessidade de formação contínua dos professores e de novos estudos sobre esse tema, mesmo nos níveis pré-universitários de ensino.</p> Edna Maria de Oliveira Ferreira Carolina Tramallino César Costa Vitorino Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-15 2024-01-15 28 56 1 28 10.26694/rles.v28i56.4961 PRÁTICAS DE LEITURA NA ESCOLA E QUALIDADE NA/DA EDUCAÇÃO http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4118 <p>O presente artigo tem por objetivo mostrar como o desenvolvimento de práticas de leitura no ambiente escolar se constitui numa ferramenta essencial para a construção de um sistema educativo de efetiva qualidade, alinhado com o contexto em que os estudantes estão inseridos. Trata-se de um estudo exploratório bibliográfico de cunho qualitativo que buscou esclarecer a conceituação histórica do termo qualidade na/da educação e apresentar as discussões relacionadas aos parâmetros de qualidade a serem adotados no sistema educacional brasileiro a partir de obras de referência de Luiz Fernandes Dourado; Marcelo Mocarzel e Jorge Najjar; e Romualdo Portela de Oliveira e Gilda Cardoso de Araújo. Dessa forma, também, por meio do levantamento bibliográfico, buscou-se a compreensão dos processos que envolvem a leitura como um ato social, ferramenta essencial para a democratização da educação e implantação de uma sociedade mais justa, nas obras de Paulo Freire enquanto que para a discussão acerca da leitura e letramento literário, foram utilizadas as publicações de Magda Soares, Isabel Solé e Rildo Cosson. Conclui-se o artigo, (re) afirmando a estreita relação existente entre os processos de qualidade na/da educação e as práticas de leitura dentro do contexto escolar como uma consequência da educação libertadora, considerando que o domínio da língua escrita e da leitura crítica tornam possível o aumento da qualidade dos resultados das ações educacionais e se manifestam positivamente no meio social, tornando-o mais justo e democrático. </p> Cintia Chung Marques Corrêa Fernanda Gonçalves Doro Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 1 24 10.26694/rles.v28i57.4118 DO RISO DE NIETZSCHE E COMO É POSSÍVEL UMA EXPERIÊNCIA FORMATIVA ORIENTADA PELA DÚVIDA http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/4797 <p>Neste artigo, propomos compreender o riso que habita a obra do filósofo alemão Friedrich Nietzsche, mais especificamente, em <em>Zaratustra</em> e <em>A Gaia Ciência</em>, como catalisador de uma experiência formativa, considerando seu potencial de pôr em dúvida as certezas, as verdades e as normatividades, abrindo espaço ao devir, ao novo, ao desconhecido. Propomos tratar este riso como uma força capaz de romper processos que tendem a nos solidificar ontologicamente, em nome de uma formação que nos eleve a capacidade de criação e transformação da realidade de que fazemos parte. Um riso que movimenta o trágico, e que pode nos fazer alçar voo, em nome de uma existência, em última instância, criadora.</p> Lúcia Hardt Stefania Peixer Lorenzini Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 1 26 10.26694/rles.v28i56.4797 CURRÍCULO ESCOLAR E PRÁTICAS DOCENTES NA PERSPECTIVA DAS IDENTIDADES/DIFERENÇAS EM UMA ESCOLA PÚBLICA AMAZÔNICA http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/3970 <p>O presente artigo discute as percepções de docentes de uma escola pública amazônica a respeito das identidades/diferenças culturais entrelaçadas ao desenvolvimento profissional. Toma-se como principal referência o campo teórico dos Estudos Culturais (Hall, 1997; 2015) e sua articulação com a educação (Candau 2008; 2012; Fleuri, 2000), com foco na formação de professores, considerando-se o conceito de desenvolvimento profissional (Novoa, 2009; Tardif, 2012). Os procedimentos metodológicos da pesquisa se baseiam nos pressupostos da bricolagem (Kincheloe; Berry; 2007; Nelson; Treichler; Grassberg, 2013), articulando entrevistas semiestruturadas, grupos de discussão <em>on-line</em>, além de análise documental. A análise dos dados, em especial aqueles emergidos por meio das narrativas dos/as professores/as, aponta práticas educativas que reforçam a invisibilidade e/ou silenciamento das diferentes culturas e identidades consideradas “inferiores” e/ou “sem cultura”, indicando, portanto, a necessidade do desenvolvimento profissional docente com abordagem para as temáticas das identidades/diferenças, a fim de contribuir para a ressignificação de práticas educativas voltadas para a educação intercultural.</p> Noé Cardoso da Silva Genivaldo Frois Scaramuzza Copyright (c) 2024 Linguagens, Educação e Sociedade 2024-01-17 2024-01-17 28 56 10.26694/rles.v28i56.3970