ABORDAGENS PEDAGÓGICAS: UM ESTUDO DOS CONCEITOS DE LIBÂNEO E MIZUKAMI PARA PENSAR A RELAÇÃO ENTRE PROFESSOR E ALUNO NO ENSINO SUPERIOR

Autores

Palavras-chave:

abordagens pedagógicas; Relacionamento entre professor e aluno; Ensino superior.

Resumo

Este artigo tem como objetivo conhecer alguns dos conceitos, classificações e apontamentos relacionados às abordagens pedagógicas de Libâneo (1985) e Mizukami (1986) e sua implicação na relação professor aluno no ensino superior. Para tanto foi realizada pesquisa bibliográfica de natureza exploratória. Que de acordo com Trivinos (1967) tem o objetivo de delimitar e proporcionar um manejo seguro de determinada teoria. Parte-se de uma hipótese e se aprofunda o estudo no limite de uma realidade específica, buscando maior conhecimento a partir de uma revisão de literatura. A vantagem do caráter exploratório, segundo Lakatos e Marconi (2010), está no número de informações coletadas e na facilidade de análise por parte de outros pesquisadores. O resultado evidencia que a relação entre professor e aluno é definida a partir de uma abordagem pedagógica constituída por sua visão de mundo. Nela está incluída a forma como aprendeu e vivenciou o seu próprio processo educativo, seu o contexto histórico, cultural e político. Em cada situação que vive, o professor se aproxima ou se afasta de determinada tendência, podendo utilizá-las inclusive de forma conjunta, mesmo que, muitas vezes, sem um conhecimento prévio ou aprofundado dos estudos das abordagens pedagógicas.

Biografia do Autor

KAREN KAUFFMANN DA SILVA, Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Mestre em Educação pela Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL (2021), com desenvolvimento de pesquisa em Abordagens Pedagógicas e Relacionamento Interpessoal entre Professor e Aluno no Ensino Superior. Especialista em Gestão de Pessoas pelo Centro Universitário Ritter dos Reis - UNIRITTER (2017), com pesquisa final focada em Estratégias de Marketing de Relacionamento aplicadas a uma Instituição de Saúde. Graduada em Relações Públicas pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS (2013), com pesquisa sobre Comunicação Organizacional e Comunicação Interna

LEONETE LUZIA SCHMIDT, Universidade do Sul de Santa Catarina

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Santa Catarina (1990); Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996). Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação: História Política, Sociedade da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Estágio Pós Doutoral pelo Programa de Pós Graduação em Educação na UFSC. Professora Permanente do Programa de Pós Graduação em Educação e do Curso de Pedagogia da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Referências

ANASTASIOU, L. G. C. Ensinagem como Desafio à Ação Docente, Revista Pedagógica, Chapecó, Ano 4, n. 8, Jan./Jun. 2002

.

ANASTASIOU, L. G. C; ALVES, L. Processos de Ensinagem na Universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville: Univille, 2015.

ANTUNES, Celso. Relações interpessoais e auto-estima: sala de aula como um espaço de crescimento integral, faz. 16. Petrópolis, RJ. Vozes, 2007.

COSTA, Josimey. Criar, comunicar e expandir. In: Castro, Gustavo de (et al). Ensaios de Complexidade. Porto Alegre: Sulina, 1997.

DIAS, Isabel Simões. Competências em Educação: conceito e significado pedagógico, Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional: São Paulo, v.1, n.1, p.73-78, jan/jul, 2010.

FILATRO, Andrea. Teorias e Abordagens Pedagógicas. São Paulo. Senac, 2018. Disponível em: https://ler.amazon.com.br/kp/embed?linkCode=kpe&ref_=cm_sw_r_kb_dp_PSGXyb2MC8RPW&asin=B07BS1L9FX&tag=tpltrs-20&amazonDeviceType=A2CLFWBIMVSE9N&from=Bookcard&preview=newtab&reshareId=AH3TM9RV448YC8MG7RVT&reshareChannel=system. Acesso em: 23 out 2021

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo. Paz e Terra, 1996

______. Pedagogia da indignação: Cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

GIL, Antônio Carlos. Didática do ensino superior. Atlas, 2006.

LAKATOS, Eva; MARCONI, Marina. Fundamentos de metodologia cientifica. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2010.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1985.

MIZUKAMI, M. da G. N. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: E.P.U, 1986.

______. Complexidade e transdisciplinaridade: A reforma da Universidade e do ensino fundamental. Natal: EDFRN, 2000.

______. O método II: a vida da vida. 2ªed. Porto Alegre. Sulina, 2002.

______. O método III: A consciência da consciência. Porto Alegre. Sulina, 1999.

PIMENTA, Selma G; ANASTASIOU, Léa das Graças C. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2002.

SEVERINO, Antônio. Dimensão ética da investigação científica. Práxis Educativa. Ponta Grossa, v.9, n.1, p.199-208, jan./jun, 2014.

SAVIANI, Dermeval. A expansão do ensino superior no brasil: mudanças e continuidades. Poíesis Pedagógica, v.8, n.2 ago/dez, p.4-17, 2010

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à Pesquisa em Ciências Sociais - A pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1967.

WEY, Hebe. O processo de relações públicas. São Paulo: Summus,1986.

WHEATLEY, Margaret J. Lideranças para tempos de incertezas: A descoberta de um novo caminho. São Paulo: Cultrix, 2006.

Downloads

Publicado

2022-08-28

Como Citar

KAUFFMANN DA SILVA, K., & SCHMIDT, L. L. . (2022). ABORDAGENS PEDAGÓGICAS: UM ESTUDO DOS CONCEITOS DE LIBÂNEO E MIZUKAMI PARA PENSAR A RELAÇÃO ENTRE PROFESSOR E ALUNO NO ENSINO SUPERIOR. Linguagens, Educação E Sociedade, 25(49). Recuperado de http://periodicos.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/2771