Especialização produtiva e competitividade tecnológica das exportações piauienses no período 2009-2017

Autores

  • Leildes Dias da Silva
  • Adriano Alves de Rezende
  • Marcelo dos Santos da Silva
  • Priscila de Queiroz Leal

Palavras-chave:

Especialização produtiva, Competitividade, Exportação, Piauí

Resumo

A exportação é aliada do crescimento econômico de um país e território, especialmente quando os produtos exportados são tecnologicamente competitivos e apresentam inserção internacional. O objetivo desse estudo é analisar o conteúdo tecnológico e a competitividade da exportação do Piauí no período 2009-2017. Para isso, exportação foi classificada em grupos tecnológicos setoriais por meio da taxonomia de Pavitt e índices de competitividade foram obtidos. O resultado mostrou que apenas os produtos classificados como produtos primários agrícolas e indústria agroalimentar são competitivos e pontos fortes da pauta exportadora. Desse modo, evidencia-se que a exportação piauiense é concentrada em produtos com baixo conteúdo tecnológico e pouco valor agregado.

Referências

AMENDOLA, G.; DOSI, G.; PAPAGNI, E. The dynamics of international competitiveness. Weltwirtschaftliches Archiv, 129, 1993, p. 451-471. Disponível em: <https://link.springer.com/article/10.1007/BF02707997>. Acesso em: 28 ago. 2020.

BENDER, S.; LI, K. W. The changing trade and reaveled comparative of Asian and Latin American manufacture exports. Center Discussion Paper, n. 843, 2002, p. 1-26. Disponível em: <http://www.econ.yale.edu/growth_pdf/cdp843.pdf>. Acesso em: 29 set. 2020.

BRAINER, M. S. C. P.; XIMENES, L. J. Pecuária. In: BEZERRA et al. (Org.). Perfil socioeconômico do Piauí. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2015, p. 43-55.

CABRAL, I. C. Os agregados e a produção agrícola piauiense na segunda metade do século XIX. In: LIMA, N. C. (Org.). Páginas da história do Piauí colonial e provincial. Teresina: EDUFPI, 2020, p. 117-132.

DALUM, B. Export specialisation, structural competitiveness and national systems of innovation. In: LUNDVALL, B. A. National systems of innovation: toward a theory of innovation and interactive learning. London: Anthem Press, 2010, p. 195-217.

DE NEGRI, F. Padrões tecnológicos e de comércio exterior das firmas brasileiras. In: DE NEGRI, J. A.; SALERNO, M. S. (Org.). Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. Brasília: Ipea, 2005, p. 73-118.

DE NEGRI, J. A.; SALERNO, M. S.; CASTRO, A. B. Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. In: DE NEGRI, J. A.; SALERNO, M. S. Inovações, padrões tecnológicos e desempenho das firmas industriais brasileiras. Brasília: Ipea, 2005, p. 5-46.

DOSI, G. Technological paradigms and technological trajectories: a suggested interpretation of the determinants and directions of technical change. Research Policy, v. 11, n. 3, 1982, p. 147-162. Disponível em: <http://sjbae.pbworks.com/w/file/fetch/38055602/dosi_1982.pdf>. Acesso em: 23 dez. 2020.

DOSI, G; PAVITT, K; SOETE, L. The economics of technical change and international trade. London: Harvester Wheatshead, 1990.

FAROLE, T.; REIS, J. G.; WAGLE, S. Analyzing trade competitiveness: a diagnostics approach. Policy Research Working Paper, n. 5329, 2010, p. 1-20. Disponível em: <https://papers.ssrn.com/ sol3/papers.cfm?abstract_id=1619171>. Acesso em: 22 set. 2020.

FAJNZYLBER, F. Competitividad internacional: evolución y lecciones. Revista de la CEPAL, n. 36, 1988, p. 7-24. Disponível em: <https://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/11714/ 036007024_es.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 29 set. 2020.

FREEMAN; SOETE, L. A economia da inovação industrial. Campinas: Unicamp, 2008.

GUERRIERI, P. International trade pattern, structural change and technology in major Latin American countries. Giornale degli Economisti e Annali di Economia, ano 53, n. 4/6, 1994, p. 285-314. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/23247729?seq=1>. Acesso em: 28 ago. 2020.

GUTMAN, G. E.; MIOTTI, L. E. Exportaciones agroindustriales de América Latina y el Caribe: especialización, competitividad y oportunidades comerciales en lós mercados de la OCDE. Cepal: 1996. Disponível em: <https://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/30670/S9680701 _es.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 31 ago. 2020.

HAGUENAUER, L. Competitividade: conceitos e medidas. Uma resenha da bibliografia recente com ênfase no caso brasileiro. Revista de Economia Contemporânea, v. 16, n. 1, 2012, p. 146-176. Disponível em: <https://revistas.ufrj.br/index.php/rec/article/view/24220>. Acesso em: 29 set. 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Piauí: panorama, 2020. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pi/panorama>. Acesso em: 22 set. 2020.

HIDALGO, A. B. Especialização e competitividade do Nordeste no mercado internacional. Revista Econômica do Nordeste, v. 29, n. especial, p. 491-515, 1998.

JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO PIAUÍ (JUCEPI). Conheça o Piauí, 2020. Disponível em: <http://www.jucepi.pi.gov.br/piaui.php>. Acesso em: 22 set. 2020.

KALDOR, N. The effect of devaluations on trade in manufactures. Further essays on applied economics. London: Duckworth, 1978.

KRUGMAN, P. R.; OBSTTFELD, M. Economia internacional: teoria e política. São Paulo: Pearson, 2005.

LAFAY, G. La mesure des avantages comparatifs révélés. Economie Prospective Internationale, n. 41, 1990, p. 27-44. Disponível em: <http://www.cepii.fr/IE/PDF/EI_41-003-1990.pdf>. Acesso em: 23 dez. 2020.

LALL, S. Export performance, technological upgrading and foreign direct investment strategies in the Asian newly industrializing economies. Desarrollo Productivo, n. 88. Santiago: CEPAL, 2000, p. 1-69. Disponível em: <https://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/4461/S00080739 _en.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 29 set. 2020.

LAPLANE, M. F. et al. O caso brasileiro. In: CHUDNOVSKY, D. (Org.). El boom de las inversiones extranjeras directas en el Mercosur. Buenos Aires: Siglo XXI, 2001. Disponível em: <https://www.redsudamericana.org/sites/default/files/doc/BoomIED_Cap3_0.PDF>. Acesso em: 28 ago. 2020.

LIMA, N. C. Em cada página, história do Piauí colonial e provincial. In: LIMA, N. C. (Org.). Páginas da história do Piauí colonial e provincial. Teresina: EDUFPI, 2020, p. 7-18.

MINISTÉRIO DA ECONOMIA (ME). Comex Stat, 2020. Disponível em: <http://comexstat.mdic.gov.br/pt/home>. Acesso em: 22 set. 2020.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS (MDIC). Comex Stat, 2017. Disponível em: <http://comexstat.mdic.gov.br/pt/home >. Acesso em: 18 ago. 2020.

MOEDAS, J. M. M. R. S.; SILVA, T. J. F.; BARROS, F. B. G. Desempenho econômico do Piauí 2002-2016, 2019. Disponível em: <https://www.bnb.gov.br/documents/80223/6034753/2019 _CJES_17PI.pdf/bcf003f6-3c5d-18d1-676c-2f2a76a465fe>. Acesso em: 22 set. 2020.

NUNES, M. A. Taxonomia Pavitt: uma aplicação ao setor externo do Brasil e do Rio Grande do Sul no período de 1996 a 2009. 2010. 94 f. Monografia (Bacharelado em Ciências Econômicas) – Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. Disponível em: <https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/25420/000750898. pdf?sequence=1>. Acesso em: 26 out. 2020.

ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO (OCDE). Manual de Oslo: proposta de diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica, 2005. Disponível em: <http://www.finep.gov.br/images/afinep/biblioteca/ manual_de_oslo.pdf>. Acesso em 12 jun. 2020.

PAVITT, K. Sectoral patterns of technical change: towards a taxonomy and a theory. Research Policy, v. 13, n. 6, 1984, p. 343-373. Disponível em: <https://www.sciencedirect.com/ science/article/abs/pii/0048733384900180>. Acesso em 19 mar. 2020.

POSSAS, M. S. Concorrência e competitividade: notas sobre estratégia e dinâmica seletiva na economia capitalista. 1993. 245 f. Tese (Doutorado em Economia) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993. Disponível em: <http://repositorio.unicamp.br/jspui/bitstream/ REPOSIP/286024/1/Possas_MariaSilvia_D.pdf>. Acesso em: 11 set. 2020.

RABELO, E. A. Tentáculos do progresso na fronteira regional: a produção do Piauí como espaço nordestino. Revista Especialidades, v. 1, n. 0, 2008, p. 1-27. Disponível em: <https://periodicos.ufrn.br/espacialidades/article/view/17585>. Acesso em: 22 set. 2020.

SAVIOTTI, P. P. Crescimento da variedade: implicações políticas para os países em desenvolvimento. In: LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E.; ARROIO, A. (Org.) Conhecimento, sistemas de inovação e desenvolvimento. Rio de Janeiro: UFRJ; Contraponto, 2005, p. 291-320.

SCHUMPETER, A Joseph. A teoria do desenvolvimento econômico. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

SILVA, M. S. et al. Padrão de especialização tecnológica e competitiva das exportações baianas. Revista Desenbahia, v. 12, n. 21, 2015, p. 131-162.

TIGRE, P. B. O papel da política tecnológica na promoção das exportações. In: PINHEIRO, A. C.; MARKWALD, R.; PEREIRA, L. V. (Org.). O desafio das exportações. Rio de Janeiro: BNDES, 2002. Disponível em: <https://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/export/sites/default/bndes_pt/ Galerias/Arquivos/conhecimento/livro_desafio/Relatorio-07.pdf>. Acesso em: 01 dez. 2020.

VERNON, R. International investment and international trade in the product cycle. The Quartely Journal of Economics, v. 80, n. 2, 1966, p. 190-207. Disponível em: <https://www.jstor.org/stable/1880689?seq=1>. Acesso em: 31 ago. 2020.

VIANA, F. D. F. Inserção externa e competitividade da região Nordeste no período pós-abertura comercial: uma análise a partir do método shift-and-share e de indicadores de competitividade revelada. 2006. 126 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2006.

VIDAL, M. F. Agricultura. In: BEZERRA et al. (Org.). Perfil socioeconômico do Piauí. Fortaleza: Banco do Nordeste do Brasil, 2015, p. 37-41. Disponível em: <https://www.bnb.gov.br/documents/ 80223/4476032/PI+Perfil+2015.pdf/92901df6-c38a-d5cb-1896-ee4139f02599>. Acesso em: 22 set. 2020.

XAVIER, C. L; SILVA, K. A. O. Padrão de especialização e competitividade das exportações de Minas Gerais no período 1995-2004. Revista Econômica do Nordeste, v. 38, n. 4, p. 563-582, 2007.

Downloads

Publicado

2021-02-21